Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

XIX Movimento Você e a Paz

fevereiro/2017

O Movimento Você e a Paz, fundado em 1998, por Divaldo Pereira Franco, em sua 19ª edição, esteve em bairros de Salvador/Bahia, no período de 11 a 19 de dezembro [2016], alcançando sua culminância na Praça do Campo Grande.

No dia 11, o Movimento esteve no Bairro Rio Vermelho, nas proximidades da Rua da Paciência. O público tomou conta da praça. Com destacada apresentação de João Araújo, mestre de cerimônias, o microfone foi franqueado para Ruth Brasil Mesquita, Marcel Mariano e Divaldo Pereira Franco, que finalizou seu pronunciamento com o Poema da gratidão, do Espírito Amélia Rodrigues.

No dia seguinte, Você e a Paz esteve na praça Sérgio de Carvalho, no Parque São Brás. Divaldo, dinâmico e vibrante, ao assomar à tribuna, destacou que há dois tipos de criaturas humanas, o que se faz ponte e o que é parede. O indivíduo caracterizado como ponte é solidário, prestativo, servil. Aquele denominado parede é egoísta, solitário, soberbo.

Finalizando, exortou à prática da oração, da paz, do silêncio interior, da gratidão a Deus, estimulando que cada um, ao voltar ao seu lar, dissesse o quanto amava aqueles que lá residiam, sintonizando os pensamentos com as forças cósmicas.

No Dique do Tororó, no dia 14, tudo foi preparado com detalhes: iluminação, palco, as águas engalanadas por luzes multicores. O conjunto emprestava sua beleza para compor uma harmonia ímpar. Respirava-se paz.

O Coral Encontro de Luz, da Federação Espírita do Estado da Bahia, regido pelo Maestro Milton Cezar, preparou corações e mentes.

O mestre de cerimônias, em  homenagem a Nilson de Souza Pereira, pacifista e pacificador por excelência, leu o Poema A dádiva, do escritor libanês Gibran Khalil Gibran (1883 – 1931): Há os que dão pouco do muito que possuem, e fazem-no para serem elogiados, e seu desejo secreto desvaloriza suas dádivas. Há os que pouco têm e dão-no inteiramente. Esses confiam na vida e na generosidade da vida e seus cofres nunca se esvaziam.

Há os que dão com alegria e essa alegria é sua recompensa. Há os que dão com pena, e essa pena é seu batismo.

E há os que dão sem sentir pena, nem buscar alegria e sem pensar na virtude. Dão, como num vale o mirto espalha sua fragrância no espaço.

Pelas mãos de tais pessoas Deus fala; e através de seus olhos Ele sorri para o mundo.

O Farol da Barra, tradicional ponto turístico de Salvador, em 16 de dezembro recebeu o Movimento. O primeiro a falar foi o Padre Emanuel Antonio Olavo Amarante, da Paróquia Sant’Ana, em São Paulo. Padre Olavo, impactado pela emoção, disse que se sentia honrado com o convite para falar sobre a paz. Seguiram-no Ruth Brasil Mesquita, Marcel Mariano e Divaldo.

A canção Paz pela Paz, de Nando Cordel, foi entoada vibrantemente por todos os presentes que, de mãos dadas e abraçados, desejaram-se mutuamente uma vida de paz.

E, no dia 19, na Praça Dois de Julho, no Campo Grande, com um público ocupando todos os espaços, se deu o encerramento dessa edição.

A Secretária de Políticas para as Mulheres, Olívia Santana, representando o Governador do Estado da Bahia, Rui Costa, destacou o crescimento do Movimento.

Foram agraciados com o Troféu Você e a Paz, na categoria Instituições que realizam,  a organização Fraternidade Sem Fronteiras; o Instituto FATUMBI e o Projeto Incluir.

Na categoria Personalidade física que se doa, Conceição Macedo, do Instituto Beneficente Conceição Macedo; o Projeto Criar e Crescer – Grupo Guerreiros da Paz e Ivete Sangalo, por ações culturais para arrecadar recursos destinados ao tratamento de crianças portadoras de câncer.

Monsenhor Gaspar Sadoc, amigo e colaborador do Você e a Paz, foi homenageado postumamente. Sua última mensagem para o Movimento, do qual participou inúmeras vezes, foi de gratidão e ternura.

Destacando a construção da paz na Humanidade, pronunciaram-se os seguintes líderes religiosos: Jamira Nery Ferreira, diretora executiva da Prosperidade da Seicho-no-iê do Brasil; Xeique Alhaji Abdul Hameed Ahmad, líder Espiritual do Centro Cultural Islâmico da Bahia; Makota Valdina Pinto, representante das religiões Afro; Pastor Djalma Torres, Diretor do Centro de Pesquisa, Estudos e Serviço Cristão e Presidente da Igreja Evangélica de Antioquia – Tororó; e o Ministro Antônio Sérgio Araújo Cabral, representando a Igreja Messiânica Mundial do Brasil.

Divaldo Pereira Franco, líder desse grande empreendimento pacificador, lembrou as palavras do Príncipe da Paz, conforme anotadas pelo Evangelista João (14:27): Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

Sob o comando de Nando Cordel foi entoada a canção Paz Pela Paz. Com alegria esfuziante e calorosos abraços, o povo foi deixando a praça com a certeza de que a paz é possível e, que a violência é somente um grito de socorro dos que se encontram em desespero e sem um sentido para a vida.

Paulo Salerno (resumo)
Fotos de Paulo Salerno e Jorge Moehlecke

Assine a versão impressa
Leia também