Jornal Mundo Espírita

Julho de 2020 Número 1632 Ano 88

XI Encontro Confraternativo de Juventudes Espíritas do Paraná

abril/2011

Nos dias 5, 6, 7 e 8 de março ocorreu o XI Encontro Confraternativo de Juventudes Espíritas do Paraná, com o tema “Ser Ecológico”, organizado e coordenado pela equipe do Departamento de Infância e Juventude – DIJ da Federação Espírita do Paraná.

O evento foi realizado no Recanto Lins de Vasconcellos, lugar de natureza exuberante e bela, que despertou em todos o encantamento pelas araucárias.

No sábado pela manhã, os 108 jovens participantes, de 19 UREs no PR (do total de 20), receberam seus crachás e um kit ecológico (ecobag em malha pet, caneca e camiseta feita de garrafa pet).

Alegres e curiosos, os participantes iniciaram sua jornada ecológica através do “túnel das sensações”, dividido em três momentos, que teve como objetivo desconectá-los da rotina agitada e excesso de estímulos.

No primeiro momento foi exibido um vídeo que mostrava a vida agitada e barulhenta da cidade grande, com poluição sonora e aglomeração.

No segundo, eles foram recebidos em um ambiente acolhedor que os remetia à vida familiar alegre, com imagens, sons e o aroma delicioso de café.

No terceiro momento, o ambiente os aproximava da Natureza e de sua essência espiritual, através de imagens e sons, finalizando com passe e água fluidificada; enfim, recebiam as boas-vindas ao Recanto, contemplando o bosque das araucárias.

Após o delicioso almoço preparado com carinho pela equipe de cozinha do Hospital Bom Retiro, foi feita a abertura do encontro.

Estiveram presentes Francisco Ferraz Batista (presidente da FEP), Luiz Henrique da Silva (1º vice-presidente), Daniel Dallagnol (2º vice-presidente), Tatyanna Braga de Moraes (diretora do DIJ) e Nelson Henrique da Silva (vice-diretor do DIJ).

O presidente da FEP, após a prece, deu as boas-vindas, enaltecendo a importância da juventude no Movimento Espírita e abrindo as portas do Recanto para o primeiro evento realizado naquele espaço verde.

Para despertar a curiosidade, foi realizado um divertido quiz com perguntas ecológicas.

Para o estudo do tema, os jovens foram distribuídos em seis grupos, representando elementos da Natureza: sol, terra, ar, água, flora e fauna.

No primeiro dia de estudo os jovens falaram sobre os programas de sustentabilidade em suas cidades, as impressões do túnel e o que esperavam do encontro.

Iniciou-se o trabalho sobre o elemento de cada grupo e sobre o ecossistema da Terra.

Após o jantar, os jovens se confraternizaram na plenária com o momento musical apresentado pelo jovem e talentoso Leandro Pereira e o show da banda “Alma Sonora”.

O segundo dia começou com a animada alvorada “vamos acordar”.

Após o momento musical, os jovens iniciaram reflexões sobre respeito e relações.

No período da tarde ocorreram as oficinas com materiais reciclados: reciclarte e customização. Nesta última, os jovens customizaram uma peça de roupa que usaram no jantar.

O estudo da noite continuou com a construção do ecossistema.

Para encerrar a segunda noite, a equipe de artes apresentou a “Contação de histórias”, com divertidas e criativas histórias do nosso folclore.

Conclui-se o segundo dia com a oração de São Francisco, a qual deixou todos os corações emocionados e felizes.

No terceiro dia, uma tênue névoa despertou todos para a “Caminhada da percepção dos sentidos”. Este exercício de contemplação e recolhimento aguçou a percepção dos jovens ao caminhar e explorar a flora e fauna do recanto.

Emocionados, abraçaram árvores, aspiraram o ar puro, escutaram a alegria dos pássaros, estenderam seus olhares até os céus.

Com a alma revigorada e leve, retornaram aos grupos para reflexões:

— Devo buscar, após conhecer o Espiritismo, perceber a vida de outra forma; identificar os recursos de que disponho; transformar minha vida, abandonando a inércia e o conformismo?

– Devo ocupar-me também em contribuir para a felicidade comum e ampliar a esperança dos outros?

No período da tarde, o estudo concentrou-se no tema: Pensamento – Lixo Mental, baseado no texto “Poluição e Psicosfera”, do livro Após a Tempestade, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Franco.

À noite, após a continuação dos grupos sobre o ecossistema, sob o comando do talentosíssimo Marquinhos Gordiman (Marcus Azuma), aconteceu o eletrizante Altas Horas.

A banda CAVIAX embalou a noite. As três biólogas (Nathalia Yurika, Eimmy Santos e Cláudia Macedo) responderam a questões sobre meio ambiente, e o encerramento ficou por conta de Alexandre Azuma, orquestrando a plateia com a música Hei Dabadum.

Para acalmar a galera, a turma eficientíssima da cozinha preparou um delicioso chá com bolachinhas.

Sob a proteção do Alto, após o Evangelho, terminou o terceiro dia, derramando dos céus, como lágrimas, uma fina garoa.

O Recanto despertou sob raios suaves de sol ao som da alegre alvorada.

Encerrando os estudos em grupo, os jovens, já conscientes de sua responsabilidade e do compromisso como Espíritos imortais, construíram propostas de como vivenciar o “Ser Ecológico” que habita em cada um. Foram apresentados exemplos de verdadeiros ecologistas: Jesus, Francisco de Assis, Bezerra de Menezes e Chico Xavier.

Sem timidez, o Astro Rei nos brindou com sua presença e, com a convicção de que todos no planeta representam um único ecossistema, os 108 jovens e todos os 50 trabalhadores (representando os 4 encontros regionais de Juventudes do Paraná: EEV, CONMEL, ENJUVESP, ENCORAJE, tomados por forte emoção e cantando Hei Dabadum, formaram um grande círculo, na área externa do centro de treinamento do Recanto, e ali seis jovens plantaram uma muda de ipê branco, simbolizando a concretização de todo o saber que foi despertado e construído nos quatro dias.

Sob o amparo doce e amoroso da Espiritualidade Amiga, após comovente prece de encerramento conduzida por Francisco Ferraz Batista, todos unidos entoaram a canção “Te ofereço paz”, e assim encerrou-se o encontro, entre abraços e lágrimas de gratidão ao Senhor da Vida.

Cada participante (jovens e trabalhadores) recebeu uma muda de flor, para que pudesse multiplicar na sua cidade o Ser Ecológico que habita em todos nós.

Encerramos o encontro, lembrando Jesus: “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?” (Mateus, cap. 6 v. 26)

E também: “Marchai, marchai nos caminhos da prece e ouvireis a voz dos anjos. Que harmonia! Não mais os ruídos confusos e a entonação aguda da Terra; são as liras dos arcanjos, a voz doce e suave dos serafins, mais leves que a brisa da manhã, quando brinca nas folhagens dos vossos grandes bosques”. (Santo Agostinho, Paris, 1861 – O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVII item 23).

Com a certeza de dias felizes no planeta e alegria no coração, cada jovem retornou à sua cidade com a responsabilidade de cuidar e amar a Mãe Terra.

Assine a versão impressa
Leia também