Jornal Mundo Espírita

Janeiro de 2020 Número 1626 Ano 87

Ventos do Novo Ano

fevereiro/2011 - Por Lins de Vasconcellos

Jesus,

Pelo ano que está prestes a findar-se na nossa reencarnação; pelo trabalho que se apresentou; pelas oportunidades renovadas de uma preparação para as possibilidades de que todos nós estejamos com ingresso no ano que se inicia, que possamos conversar um pouco mais contigo, para dizer-te que não pedimos que nos afastes os inimigos, mas  que nos dês forças para aprender a compreendê-los, a usar para com eles da indulgência de que tanto necessitamos para conosco.

Não pedimos que nos afastes das dores, porque muitas delas são nossas companheiras e amigas que nos ajudam a crescer, a reflexionar e entender nosso destino; tampouco rogamos que nos afastes das expiações, das provas, pois que estão escritas no prontuário de nossa alma. Mas se tivermos que insistir nos pedidos, dada a nossa pequenez, que possamos pedir no ano que finda e no ano que se inicia, que o Mestre Inesquecível possa continuar nos ofertando as suas bênçãos a fim de continuarmos caminhando, mesmo sobre os abrolhos, sobre as pedras, sem olhar para a retaguarda, e divisarmos um horizonte melhor, na certeza de que as sementes que formos espalhando, se espalhadas em solo fértil, pelo trabalho sem reclamação, haverão de produzir os frutos esperados.

Todos aqueles que estão, sejam quais forem suas opções religiosas, ligados ao trabalho na Vinha do Senhor, haverão de continuar merecendo essa atenção que solicitamos.

Muitas lutas já travamos e muitas travaremos, em vários campos da nossa ação humana. Que não nos assustem as lutas, mas sim a covardia. Que não nos assuste o desafio, mas sim o comodismo. Que não nos assustem as lágrimas, mas sim a dureza do coração, porque, armazenados com o destemor, haveremos de continuar singrando o mar da nossa renovação íntima.

Bendito será sempre aquele que, por amor a Jesus, lutar. Mesmo que tenha que se dobrar de joelhos e experimentar do pó da terra, já é um vitorioso, como aquele que jamais desistirá, enriquecendo-se com a certeza de que a recompensa que o Sublime Galileu nos prometeu, há muito tempo, não é a recompensa das quimeras, dos templos de faustosidade, do poder passageiro, da riqueza inútil, mas sim, a alegria renovadora da consciência tranquila, da paz da nossa consciência.

Muitos projetos estabelecemos como meta e, numa perfunctória análise, haveremos de configurar-nos como vitoriosos, eis que lutamos para não nos afastarmos do reto caminho.

Muitos outros estamos cogitando e persistindo nessa abnegação em que temos nos empenhado. Haveremos também de superar as metas futuras que temos planificado.

Pelo fato de ostentarmos a oportunidade bendita da reencarnação, poderemos ser considerados vencedores. O que mais poderá então advir, senão a conquista do imarcescível amor, quando, singrando por ela, vencermos as etapas, no sentido de melhorar a nós próprios?

Jesus aguarda de todos nós que cumpramos os nossos compromissos, que demos contas de nossas responsabilidades, mas que possamos ir mais além, o quanto possível, para auxiliar aqueloutros nos seus fardos próprios, pois não há como ter alegria se não dividirmos a compreensão de todas as coisas.

Envidemos continuidade à nossa lida, cultivando otimismo e confiança, na certeza, que já nos é inamovível, de que nunca estaremos sós.

Que este Jesus, que representa para nós o caminho para Deus, abençoe esta Casa, seus trabalhadores, os familiares dos mesmos… e que possamos ter um ano pródigo de realizações e de venturas, em nome de Deus.

Mensagem recebida por Divaldo Franco no dia 29/12/2010.

Assine a versão impressa
Leia também