Jornal Mundo Espírita

Agosto de 2019 Número 1621 Ano 87

Vaticano promove busca por ETs

junho/2014

Conferência científica promovida pelo Vaticano investiga o esforço da busca por alienígenas.

Veja que ironias quatro séculos são capazes de produzir. Em 1600, a Inquisição Romana queimou Giordano Bruno na fogueira, após condená-lo como herege. Uma de suas ofensas foi afirmar que cada estrela no céu era um sol como o nosso, com sua própria coleção de planetas girando ao redor dela. Esses mundos, por sua vez, seriam habitados, segundo o filósofo. Saltamos para 2014. O Observatório do Vaticano — instituição astronômica da Santa Sé — organizou uma grande conferência científica [17 a 22 de março de 2014] com o tema: A Busca por Vida Além do Sistema Solar. Exoplanetas, Bioassinaturas e Instrumentos.

Bruno, que nunca pecou pela discrição, certamente teria rido alto. Entre 1593 e sua execução em praça pública, ele foi encarcerado e torturado nos calabouços da Igreja. Apesar disso, recusou-se a recantar suas supostas heresias, em busca de clemência.

Ao ouvir a condenação, inquebrantável, Bruno teria dito: Possivelmente vocês que pronunciam minha sentença têm mais medo do que eu que a recebo. O pensador italiano sabia que sua visão de mundo vinha para ficar e, mais dia, menos dia, se provaria correta. O que ele talvez não imaginasse é que os herdeiros intelectuais de seus carrascos a promoveriam com tanta pompa e circunstância.

O interessantíssimo evento aconteceu na Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, onde fica o Observatório Steward, que abriga o Grupo de Pesquisa do Observatório do Vaticano.

Foram mais de duzentos cientistas participantes e diversos pesquisadores graúdos da astrobiologia, entre eles Steven Benner (que estuda a origem da vida) e Sara Seager (que investiga a possibilidade de detectar sinais de uma biosfera alienígena em planetas fora do Sistema Solar). Também na programação a astrofísica Jill Tarter, grande campeã da pesquisa SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre), e o astrônomo brasileiro Eduardo Janot Pacheco, da Universidade de São Paulo.

Salvador Nogueira.
Folha de São Paulo -17.3.2014.

Assine a versão impressa
Leia também