Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2021 Número 1647 Ano 89

Um aniversário de bênçãos

agosto/2021

Numa manhã radiosa de esperança, idealistas de mente aberta, confiantes no futuro e na grandiosidade da Doutrina Espírita, fundaram a Federação Espírita do Paraná – FEP.

Era um domingo, 24 de agosto de 1902. Imaginamos como deve ter sido tocante a reunião desataviada do lado de cá, mas de significado extraordinário para os Luminares presentes.

Quantos benfeitores se terão conjugado àqueles corações cheios de fé e de ardor pela Doutrina Espírita.

A Ata registra o feito e a assinam Vicente Nascimento Jr., redator d’A Doutrina, Augusto Correia Pinto, Benedicto Vianna, João Urbano de Assis Rocha, Sebastião Paraná, João Álvaro de Aguiar, Domingos Duarte Velloso, Grupo Espírita Allan Kardec, e Grupo Espírita Luz nas Trevas, ambos de Antonina.

No entanto, quantos mais, da Espiritualidade, terão estado ali, felicitando-se pela concretização material da célula coordenadora do Movimento Espírita do Paraná.

Os pinheiros erguiam, como ainda o fazem, suas copas aos céus, despejando pelos ramos, pelo tronco vigoroso, pela seiva vibrante as  bênçãos dos céus.

Quanto terão investido os benfeitores espirituais até ali. Quanto mais não o têm feito, ao longo de mais de um século, recordando-nos, mais de uma vez, as palavras do Espírito de Verdade1:

Ditosos os que hajam dito a seus irmãos:

 “Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra”, porquanto o Senhor lhes dirá: “Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!” Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão!

E, por isso, reprisa, tantas vezes, a Federativa, em suas conclamações2:

Unamo-nos, amemo-nos, realmente, e dirimamos as nossas dúvidas, retificando as nossas opiniões, as nossas dificuldades e os nossos pontos de vista, diante da mensagem clara e sublime da Doutrina com que Allan Kardec enriquece a nova era, compreendendo que lhe somos simples discípulos. (…)

 Demo-nos as mãos e ajudemo-nos; esqueçamos as opiniões contraditórias para recordarmos dos conceitos de identificação, confiando no tempo, que é o grande enxugador de lágrimas e a tudo corrige.

 Recordemos, na palavra de Jesus, que “a casa dividida rui”, todavia ninguém pode arrebentar um feixe de varas que se agregam numa união de forças.

 … a União deve viger em nossos corações.

Forjada em têmpera de aço, pelo trabalho, pela solidariedade, pela tolerância, pelo ardor dos corações apaixonados pelo Cristo, daqueles que não mediram esforços, que não titubearam em suas convicções, que não se incomodaram com o suor do trabalho, que não se constrangeram em derramar lágrimas, que não se intimidaram diante dos desafios, que não se acovardaram quando frente a perseguições e problemas, para que a semeadura sacrificial de ontem resultasse em fruto providencial hoje, adotou, desde 2013, e proclama o lema: Unidos para construir o Futuro.

A sua é a bandeira do amor e da paz, seiva vital da grande árvore da esperança, revigorada pelas boas notícias do Consolador prometido.

Pautando suas práticas no Trabalho, na Solidariedade e na Tolerância, por serem os pilares do relacionamento humano, orienta que esses princípios devam estar sempre estampados em nossas consciências, como diretrizes de ação contínua e ininterrupta, que nos facultará alcançar a realização de nossos melhores propósitos. Como família e como Movimento Espírita, mais ainda poderemos realizar, quando reunidos em forte feixe de varas homogêneas, que ensejará maior emergência da propriedade de resistência às investidas do mal e de nossas próprias fragilidades.

Sabedora de que o finalismo do Criador para com Sua criatura é a felicidade plena, alcançável quando se vivencie integralmente o amor ao próximo, tanto quanto a si mesmo, e a Deus acima de todas as coisas, a FEP, juntamente com cada Centro Espírita e com cada um dos espíritas, anuncia, há 119 anos, o milenar roteiro Celeste para tal desiderato, trazido por Jesus, quando apresentou-se como o Caminho, a Verdade e a Vida, o Elo Misericordioso entre cada um de nós e o Pai, religando-nos, desde agora, ao Senhor da Vida.

Dando os primeiros passos para a próxima década, recém-esboçada, a FEP ruma para os seus 120 anos, esperando alcançá-los ainda e sempre no bom trabalho, com a união dos voluntários que se desdobram nos Centros Espíritas, nas Uniões Regionais Espíritas, em seu esforço pessoal e conjunto.

Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra.1

 

Referências:

1 KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo. Rio de Janeiro: FEB, 2001. cap. XX, item 5.

2 FRANCO, Divaldo Pereira. Aos espíritas – Coletânea de mensagens sobre a Unificação, o Movimento Espírita e os Espíritas. Por diversos Espíritos. Salvador: LEAL, 2006. cap. 4.

 

Assine a versão impressa
Leia também