Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2021 Número 1647 Ano 89

Tudo é solidário na Natureza

junho/2021

Quando buscamos extrair o espírito da letra, conseguimos transcender o significado literal das palavras, que, por mais claro que seja cada termo, é sempre acanhado diante do que nos fala o seu sentido, com sua abstração.

Ao lermos uma palavra, por exemplo, águia, a letra pura e simples nos remete à ave de rapina da família Accipitridae e uns poucos detalhes mais, somente. Já, para além das letras, a palavra traz, implicitamente, sua vida, seus hábitos, sua simbologia.

Se a letra está a serviço do belo, do bem, do bom, do nobre, diz-se que em seu espírito encontramos a memória do divino, a sua essência, com seu padrão vibratório próprio.

É o caso de ecologia.

Oikos, raiz da palavra ecologia, é de origem grega e pode ser traduzida para o português como casa, ambiente habitado ou família, assuntos domésticos, cuidar da casa.

A ecologia é o estudo da manutenção do lar terrestre. Mais precisamente, é o estudo das relações que interligam todos os membros do lar terrestre.

A palavra foi utilizada inicialmente pelo biólogo alemão Ernst Haeckel.

Ecologia se refere à preocupação com o sistema geral da vida, suas nascentes, origens, e sua manutenção em equilíbrio.

A Natureza, por si mesma, é harmônica e manifesta-se em sintonia com o equilíbrio cósmico.

Isso ainda não podemos dizer de um de seus elementos: o homem, ou seja, nós, seres humanos. Vejamos: para a retirada do ouro, matamos os rios e a vegetação no entorno.

Para alguns hectares a mais de terra para plantio, devastamos florestas, flora e fauna.

Desperdiçamos o precioso líquido, a água, mesmo com os diversos alertas de escassez e as inúmeras razões para preservar o líquido.

Prosseguimos despreocupados com o montante de lixo que produzimos, sem colaborar na separação do orgânico e de tudo que pode ser reciclado.

Em função de uma sobrecarregada agenda profissional e de relacionamento social, ficamos sem tempo para a família, e fazemos de nossos filhos, órfãos de pais vivos.

Com a predominância aguda do eu e o desvalor do nós, as relações conjugais adoecem e a união enferma não se sustenta.

Com o anseio de muito ter e as tensões para conseguir mais, fazemos dos nossos dias uma arena de lutas, e de nossas noites um palco para a insônia, acomodados num leito que mais parece um leito de hospital, com o mal-estar por companhia.

Agredir a natureza, suas forças e suas criaturas, é agredir a nós mesmos, o ser humano, a Humanidade. O inverso é verdadeiro.

A natureza é um intrincado e delicado sistema ecológico, onde a sinergia entre as suas inseparáveis partes produz seu maior efeito emergente: a Vida!

Sinergia é quando o todo é maior do que a soma das partes.

Nada é inútil em a Natureza; tudo tem um fim, uma destinação.

Em admirável Lei da Providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza.

Como lemos na resposta à questão 540 de O Livro dos Espíritos: É assim que tudo serve, que tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo. Admirável lei de harmonia, que o vosso acanhado espírito ainda não pode apreender em seu conjunto!

E com a resposta à questão de número 607, alínea a, aprendemos: Reconhecei a grandeza de Deus nessa admirável harmonia, mediante a qual tudo é solidário na Natureza. Acreditar que Deus haja feito, seja o que for, sem um fim, e criado seres inteligentes sem futuro, fora blasfemar da Sua bondade, que se estende por sobre todas as suas criaturas.

Ainda somos, no geral, o agente desequilibrador do sistema ecológico, a começar de nós mesmos, com a falta de zelo pela nossa saúde, nosso desinteresse pela razão e significado da existência, distanciados de nossa realidade espiritual.

Para além de nós mesmos, como consequência de nossos atos ou falta deles, o contexto geral atual na Terra fala por si.

Diferente disso, a manutenção do lar terrestre em níveis harmoniosos, somente com alteração de nossa escala de valores, que pede mudança de padrões de pensamento, sentimento e ações de cada um de nós.

Tudo em a Natureza, desde o grão de areia, canta, isto é, proclama o Poder, a Sabedoria e a Bondade de Deus.

Preservar o equilíbrio geral é contribuir para a manifestação da vida.

Em a Natureza, tudo é harmonia: o egoísmo é que causa desconformidades.

A única maneira de construirmos o futuro ditoso é extinguir dos sentimentos o egoísmo, é substituí-lo pelo seu antagonista: o altruísmo, que desenvolve os sentimentos superiores que decorrem da razão e do discernimento.

Não só a nossa admiração por tudo o que vive na superfície da Terra. Nosso zelo e preservação é essencial.

Usar a inteligência para promover o uso sustentável dos recursos naturais e adotar consumo consciente, vem em benefício de cada um e de todos.

Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes1, é o alerta de Jesus.

Referência:

1 BÍBLIA, N. T. João. Português. O novo testamento. Tradução de João Ferreira de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1966. cap. 13, vers. 17.

 

Assine a versão impressa
Leia também