Jornal Mundo Espírita

Abril de 2021 Número 1641 Ano 89

Trabalhadores do DIJ em ação

maio/2011

Amilton Salgado Filho

 1 – Como Diretor de DIJ da 13ª URE, qual a sua visão da tarefa de evangelização?

Com a finalidade de auxiliar a transformar as crianças e jovens em homens de bem, e colaborar para a construção moral do planeta, a tarefa de evangelização é trazer o amor do Cristo aos corações infantis, libertando-os para uma vida mais feliz.

2 – Em sua opinião, qual seria a tarefa principal de um diretor de DIJ?

Incentivar, realmente se envolver com a tarefa, exigindo muitas vezes renúncia, elaborando formas de treinamento aos evangelizadores das Casas para que tenham o devido preparo, repassando e cativando dessa forma os seus respectivos evangelizandos.

3 – Pode o DIJ trabalhar sem o auxílio dos pais?

Acredito que sem o auxílio direto sim, porém, a Casa deve desenvolver formas para agregar esses pais no contexto espírita.

4 – Como os cursos/treinamentos poderão auxiliar os evangelizadores e coordenadores de juventudes?

Auxiliam na aquisição de novas técnicas e visões a respeito das faixas etárias das crianças e jovens, considerando a empatia e maturidade fisiológica com quem se está trabalhando.

5 – A FEP vem cumprindo a tarefa de dinamizar os DIJs/UREs? Como?

Sim. Promovendo encontros, materiais, contatos contínuos que objetivam o melhoramento dos departamentos, seus tarefeiros e suas ações.

6 – Deixe aqui sua mensagem aos evangelizadores e coordenadores de juventudes.

Acredito que o caminho está em nossas mãos, com a responsabilidade de um melhor preparo nas casas espíritas, participando do movimento espírita com troca de informações, o que irá repercutir numa dinâmica aceitável pelos evangelizandos, fazendo com que esses mesmos seres possam permanecer na grande obra, contribuindo com seus valores doutrinários.

Assine a versão impressa
Leia também