Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2020 Número 1634 Ano 88

Spirite – comentários de Allan Kardec

agosto/2020

Em 1865, surgiu em Paris, o romance Spirite, da autoria do famoso escritor Pierre Jules Théophile Gautier, também poeta, jornalista e crítico literário, contemporâneo e entusiasta da obra de Victor Hugo.

Em março de 1866, Allan Kardec comentou a publicação e suas repercussões na imprensa da época, dizendo da parcimônia com que se referiam a ela.

(…) não se trata, absolutamente, de um tratado de Espiritismo. A verdade está no fundo das ideias e pensamentos, que são essencialmente espíritas e narrados com uma delicadeza e uma graça encantadoras, muito mais que nos fatos, cuja possibilidade por vezes é contestável. Embora romance, esta obra não deixa de ter grande importância, primeiro pelo nome do autor, e porque é a primeira obra capital saída dos escritores da imprensa, onde a ideia espírita é afirmada sem rodeios, e surgida no momento em que parecia um desmentido lançado na onda de ataques dirigidos contra esta ideia.

No Brasil, o romance, traduzido por Wallace Leal Rodrigues, foi publicado  em 1972, com o título O Ignorado Amor.

Tudo se passa na elegante Paris do Século XIX (…). Uma estória de amor onde as lembranças do passado com os Espíritos se fazem presentes. Conceitos espíritas, como descrição do mundo espiritual e a possibilidade do intercâmbio entre os dois mundos, são descritos por Théophile Gautier de uma forma suave onde a sua sensibilidade e a beleza de seu estilo se confundem com uma obra mediúnica, como se fossem os próprios envolvidos narrando suas experiências através da psicografia. Belíssimas descrições, valiosos ensinos e um estilo cativante, de ímpar beleza literária, onde a inteligência do autor e a impecável tradução empolgam o leitor.

Assine a versão impressa
Leia também