Jornal Mundo Espírita

Março de 2019 Número 1616 Ano 86

Simpósios e Conferências – uma retrospectiva

dezembro/2013

Foi no ano de 1992, na gestão de Napoleão de Araujo, que a Federação Espírita do Paraná organizou o I Simpósio Paranaense de Espiritismo, de 31 de outubro a 1º de novembro, no Centro de Convenções de Curitiba, tendo como convidados Altivo Ferreira, Divaldo Pereira Franco e José Raul Teixeira.

O sucesso com a adesão de participantes, que lotaram as dependências do local, fez com que ocorressem as versões seguintes:

de 25 a 27 de agosto de 1995, no então Colégio Lins de Vasconcellos, no bairro Bom Retiro, homenageando os 130 anos do livro O céu e o inferno (A Justiça Divina segundo o Espiritismo), com Altivo Ferreira, Célio Trujillo Costa, Divaldo Pereira Franco, Jorge Andréa, José Raul Teixeira e Ney Lobo;

em 1997, de 8 a 10 de agosto, o enfoque foi O livro dos Espíritos, há 140 anos iluminando corações e mentes, com Divaldo, Raul e Ney Lobo;

O Amor, alma da vida, com Divaldo e Raul, de 20 a 22 de agosto de 1999, na IV versão do Simpósio, teve as atividades transferidas para o Ginásio de Esportes do Círculo Militar do Paraná, também conhecido como Palácio de Cristal;

o V Simpósio, abordou Espiritismo, educação para a paz, em 2001( 30 de março a 1º de abril) e o VI Simpósio (25 a 27 de abril de 2003), Faces da violência, ambos com a coordenação de Divaldo e Raul. A inovação, ocorrida em 2001, com respeito à data da realização do evento, que se dava em agosto, comemorando o aniversário da FEP, foi em função do clima de Curitiba que recepcionava os participantes, em pleno inverno, com baixas temperaturas e chuvas, por vezes, intensas, literalmente castigando os companheiros, especialmente, os que se deslocavam de regiões quentes.

Considerando que, a partir do II Simpósio, se optou por sua realização nos anos ímpares, criou-se, em 1994, na gestão de Maurício Roberto Silva, para os anos pares, a Conferência Estadual Espírita CEE. A primeira, de 12 a 14 de agosto de 1994, trouxe A visão espírita do mundo contemporâneo e a Divaldo e Raul, somaram-se Alberto Almeida, José Jorge, Ney Lobo e Octávio Melchiades Ulysséia, no Colégio Lins.

Em 1996 (23 a 25 de agosto), as atividades foram desenvolvidas por Altivo Ferreira, José Raul Teixeira e Ney Lobo. A partir desse ano, a FEP optou por outro modelo, abandonando as conferências simultâneas, com auditório único, permitindo ao público assistir ao evento, na totalidade, sem ter que realizar opções de tema e de orador, o que mereceu aplausos dos participantes.

Altivo Ferreira, José Raul Teixeira e Sandra Della Pola homenagearam os 130 anos do livro A gênese, na III versão da Conferência (28 a 30 de agosto de 1998) e a versão seguinte, no ano 2000 (18 a 20 de agosto), enfocou Brasil 500 anos, com Altivo, Divaldo e Raul.

O ano 2002 foi voltado às comemorações do Centenário da FEP. Assim, o sugestivo tema da V CEE foi Reflexões de um Século de vida, de 12 a 14 de abril, com Divaldo e Raul.

A saga do amor na Terra, evocando os 140 anos de O Evangelho segundo o Espiritismo, trouxe Sandra Borba Pereira, junto a Divaldo e Raul, nos dias 23 a 25 de abril de 2004.

A partir desse ano, considerando que as nuances entre Simpósio e Conferência eram demasiado sutis, quase inexistentes em algumas versões, opta-se por passar a denominar o evento estadual, de realização anual, Conferência Estadual Espírita. Era a gestão de Maria Helena Marcon.

No ano seguinte, Divaldo, Raul e Cosme Massi desenvolveram A justiça do amor de Deus, evocando os 140 anos do livro O céu e o inferno, de 8 a 10 de abril.

Atraindo, por sua qualidade de temática e oradores, sempre maior público, em 2006, a CEE foi transferida para o Centro de Exposições do Parque Barigui. De 24 a 26 de março, os mesmos oradores abordaram A lei da reencarnação.

A partir de 2007, a CEE foi transferida para Pinhais, no Expotrade, abrigando o crescente público. Na IX CEE, Divaldo, Raul e Cosme, de 23 a 25 de março discorreram sobre O livro dos Espíritos – 150 anos de convite ao amor e à instrução e, em 2008 (7 a 9 de março), Os sinais de Deus na Criação.

A partir de 2009, na presidência de Francisco Ferraz Batista, opta-se por se convidar mais oradores, buscando oportunizar aos participantes o conhecimento de outros trabalhadores valorosos do nosso país. Família é o tema escolhido, para os dias 13 a 15 de março, com Divaldo, Raul, Cosme, Alberto Almeida e Sandra Borba Pereira. Esse ano assinala, ainda, a realização de Conferências pelo interior do Estado, em dias anteriores, pelos próprios conferencistas convidados, constituindo-se a realização em Pinhais, como o coroamento da grande atividade.

A XII CEE traz ao Paraná, de 12 a 14 de março de 2010, Divaldo, Raul, Alberto, Sandra e Nestor Masotti, para a temática Vida: desafios e soluções.

Em 2011 (18 a 20 de março), Divaldo, Raul, Alberto, Sandra, Haroldo Dutra Dias e Suely Caldas Schubert comparecem para as reflexões em torno da Mediunidade com Jesus.

Em 2012 (16 a 18 de março), a esses convidados se soma Sandra Della Pola, para discorrer sobre Transição planetária.

Os mesmos convidados, em 2013 (8 a 10 de março), se fizeram presentes para o palpitante tema Amanhecer de uma Nova Era.

O novo formato da CEE, a partir de 2014, gestão de Luiz Henrique da Silva, foi apresentado na edição anterior deste Jornal e o que desejamos é que o evento prossiga com fidelidade doutrinária, profundidade das abordagens, a fim de que todos os que compareçam, levem conteúdo para suas reflexões e saiam enriquecidos de aprendizagem.

 

Simpósio – tem como objetivo informar as novidades sobre determinado assunto. O público, que não participa com apartes, pode pedir o esclarecimento de dúvidas no final da exposição.

Conferência – exposição oral, perante um auditório, de um tema da especialidade do orador, com tempo de duração previamente estabelecido. Os apartes não são permitidos e nem sempre existe debate ao final da exposição.

Assine a versão impressa
Leia também