Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Seminário em Goiânia

abril/2019 - Por Carlyne Paiva

Ainda dentro da mesma temática, o dia 5 foi dedicado a seminário. Para abordar o tema proposto, Divaldo iniciou sua fala relembrando ao público presente o mito de Tirésias, da Grécia Antiga; rememorando Platão em um de seus diálogos,  mencionando que a verdadeira felicidade humana depende de uma ética: sistema de valores através dos quais o indivíduo tem a paz da sua consciência.

Este mesmo princípio ético é citado por Sócrates, disse, a quem é atribuída a frase “Conhece-te a ti mesmo”, de autoria, em verdade, dos sete sábios da Grécia Antiga. Mencionou e trabalhou a questão 919 do livro base da Codificação Espírita, a respeito do autoconhecimento.

Prosseguiu, afirmando que a ética é o equilíbrio, são os dizeres de Jesus, é o Amor, é nunca devolver o mal. Frisou, por fim, que a família é o lugar em que Deus colocou o ser humano para desenvolver experiências iluminativas. Exemplificando, narrou uma passagem da vida de Archibald Joseph Cronin, presente em seu livro autobiográfico Pelos caminhos da minha vida. É o relato de dois meninos, pertencentes a uma família dantes abastada, que se tornaram órfãos de guerra e se recusaram a pedir esmolas, preferindo trabalhar. Aos domingos, pontualmente, iam visitar a irmã adoentada numa clínica de ortopedia traumatológica, clínica que pagavam, com o fruto do seu trabalho. Essas crianças, concluiu o orador, não tinham pais encarnados, mas ao cuidar uns dos outros, constituíam verdadeira família.

Encerrou sua fala agradecendo aos ouvintes, de maneira comovedora, dizendo que eles integram a sua família universal e espiritual.

Foto: Edgar Patrocínio

Assine a versão impressa
Leia também