Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87

Semeando a Paz

março/2019

A verdadeira felicidade está no ato de amar.
A paz é o resultado do amor.4
Divaldo Pereira Franco

 

A construção da paz no mundo é desejo inerente ao ser humano, filho de Deus, que é o Criador de tudo que existe, Pai de amor, de sabedoria, de bondade e de justiça. Mesmo que de forma inconsciente, de maneira equivocada e por caminhos tortuosos, o homem está sempre desejando a paz. Na sua busca pela felicidade, está à procura da paz, mesmo que não o saiba, pois não há felicidade plena, onde não exista amor, onde não exista paz.

Em sua característica ainda infantil, com relação ao seu desenvolvimento espiritual, o homem acredita encontrar a felicidade e a paz através do prazer egoísta e imediatista. Não é capaz de perceber que a paz é uma construção íntima que deve resultar em um bem coletivo, e que não é fruto de ações intempestivas e de prazeres momentâneos, mas resultado de um longo processo educativo.

Nesse sentido, a Doutrina Espírita é recurso de capital importância para a Humanidade, com condições de auxiliar o ser humano no processo de desenvolvimento da paz. Segundo palavras do Codificador, Allan Kardec, em Obras Póstumas1:

Somente o Espiritismo, bem entendido e bem compreendido, pode (…) tornar-se, conforme disseram os Espíritos, a grande alavanca de transformação da Humanidade.

Entender o Espiritismo é perceber a grandiosidade dessa doutrina reveladora, permitindo-nos saber de onde viemos, porque aqui estamos, para onde vamos, trazendo-nos luz sobre tantos questionamentos para os quais ainda não tínhamos resposta. Bem compreendê-lo é vislumbrar a possibilidade de transformação do ser humano a partir desses conhecimentos, é reconhecer o seu poder educativo para a evolução do Espírito na construção de sua felicidade.

Observando, a partir desse entendimento, o processo de Evangelização de crianças e jovens à luz da Doutrina Espírita como um processo educativo do Espírito, auxiliando-o, desde pequeno a perceber-se como ser integral, crítico, consciente, participativo, herdeiro de si mesmo, cidadão do universo, agente de transformação do seu meio, rumo a toda perfeição de que é suscetível2, compreendemos claramente que, desenvolvendo atividades de Evangelização, estamos trabalhando para a construção da paz íntima e, consequentemente da paz no mundo.

Auxiliar a criança e o jovem a perceber a dimensão espiritual da vida, a entender-se como individualidade crítica e consciente, responsável por seus atos, que são frutos de suas escolhas e que geram consequências para si mesmo e para toda a sociedade, é investimento certeiro para o desenvolvimento da paz individual e coletiva.

Todo o esforço que envolve o processo de Evangelização Espírita tem como objetivo primordial a formação de homens de bem2, homens que se dirigem para a vivência plena do amor ensinado por Jesus, esse amor que respeita ao próximo, que respeita a si mesmo, que busca o melhor para todos, que confia na Providência Divina, aceita Seus desígnios e se esforça em ser a cada dia um pouco melhor e a construir um mundo melhor.

Conforme afirma o médium e orador espírita, Divaldo Pereira Franco, idealizador do Movimento Você e a Paz, em sua 21ª edição:

A verdadeira felicidade está no ato de amar. A paz é o resultado do amor.3

Sendo assim, podemos concluir que somente alcançaremos a felicidade que tanto almejamos quando praticarmos cotidianamente o verdadeiro e puro amor e, conforme afirma Divaldo, teremos como resultante dessa prática a paz verdadeira.

Concluímos, a partir destas reflexões que, esforçando-nos para o desenvolvimento de ações na Evangelização Espírita Infantojuvenil e/ou motivando e levando as crianças e jovens a participarem ativamente dessas atividades, estamos contribuindo diretamente para a formação de homens de bem, que farão a diferença em nossa sociedade, agindo consoante a Lei de Amor, promovendo a paz que desejamos.

Para finalizar, relembramos um dos trechos da bela canção de Nando Cordel, Paz pela Paz e que, em sintonia com a palavra esclarecida de Divaldo Franco, canta em versos:

A paz do mundo

Começa em mim

Se eu tenho amor

Com certeza sou feliz

Se eu faço o bem ao meu irmão

Tenho a grandeza dentro do meu coração

Chegou a hora da gente construir a paz

Ninguém suporta mais o desamor

 Sigamos semeando e construindo a paz!

 

Referências:

  1. 1. KARDEC, Allan. Obras Póstumas. e esp. Rio de Janeiro: FEB, 2005. cap. Projeto – 1868.
  2. 2. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA/CONSELHO FEDERATIVO NACIONAL. Orientação para a ação evangelizadora espírita da juventude: subsídios e diretrizes. Brasília: FEB, pt. 1, cap. 2, it. 2.1.
  3. 21º Movimento Você e a Paz. Jornal Mundo Espírita, Curitiba: FEP, ano 86, n. 1615, fev. 2019.
Assine a versão impressa
Leia também