Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Sê gentil com as crianças

outubro/2009

Sê gentil com as crianças.

Elas necessitam de oportunidade e de amor para lograrem o triunfo.

Esses cidadãos em formação ignoram as lutas que os aguardam.

Distende-lhes o gesto de simpatia, transmitindo-lhes confiança na humanidade que representas.

Não as atemorizes, nem as maltrates.

Quem visse aquele menino, em Nazaré, no passado, entre outras crianças, brincando descuidadamente, não poderia imaginar que era o construtor da Terra e nosso Modelo e Guia.

 (Vida feliz, Divaldo Franco/Joanna de Ângelis, cap. XXVIII, ed. Leal)

 P: E os filhos que se rebelam em frequentar e aprender a Doutrina Espírita, mostrando uma emancipação precoce dos vínculos que detêm sob a responsabilidade dos pais? Como orientá-los a aceitar esses princípios de educação que lhes ofertamos, sem feri-los em suas vontades?

R: Enquanto os filhos dependam da família, vivendo às expensas dos pais, devem participar da orientação religiosa que esses vivenciam. Através de um trabalho perseverante e bem cuidado, de paciência e exemplificação, é possível persuadir a criança e o jovem a se manterem na atividade espírita, participando do Movimento Infantojuvenil, que é enriquecedor e construtor de felicidade.

Ao Centro Espírita compete a elaboração de uma programação agradável e bem orientada, a fim de atrair crianças e jovens, evitando as velhas formas de catequese, já ultrapassadas, e propondo uma metodologia compatível com as necessidades do momento.

P: Nesse sentido da educação, qual a importância da evangelização espírita infantil nas Casas Espíritas?

R: Essa terapia preventiva é relevante. Primeiro, por esclarecer o aprendiz em torno das finalidades básicas da existência terrena, depois, pelos conhecimentos que ministra, ajudando na formação do caráter e da personalidade; por fim, pelo excelente meio social que oferece ao educando. Um Centro Espírita no qual não exista a evangelização espírita é um corpo brilhante no momento, mas sem a alma que o comandará no futuro…

 (A Jornada Numinosa de Divaldo Franco- ensaio biográfico.
Sérgio Sinotti, cap. Grandes temas da atualidade, item A família, ed. Leal)

P: Poderia, pela sua experiência, nos falar…quanto à criança, sobre a metodologia de ensino empregada nas evangelizações…?

R: …Quanto à nossa metodologia, devemos procurar, periodicamente, reunir pedagogos, psicólogos, estudiosos do comportamento, para encontrarmos os melhores métodos, mais compatíveis com os tempos modernos na área da educação, tornando as nossas reuniões mais atraentes, porque se nós seguirmos os velhos métodos, as crianças não aguentarão. Por exemplo, terem aula de religião, como tiveram durante a semana inteira de aula convencional.

Temos que encontrar um método agradável, de diálogos, de pequenos espetáculos, principalmente jograis, em que a criança se sinta valorizada, onde não seja apenas um ouvinte, mas que participe, sentindo-se integrada naquele conjunto…

(Conversando com Divaldo Pereira Franco.
Cap. A evangelização de crianças e as fugas dos jovens
da Casa Espírita, ed. FEP)

Assine a versão impressa
Leia também