Jornal Mundo Espírita

Janeiro de 2020 Número 1626 Ano 87

Rogativa da Juventude

julho/2009

Reparaste-me os erros, no entanto, peço me mostres o caminho para que eu venha a trilhá-lo.

Acordei para o bem, sonhando servi-lo com fidelidade e pureza, contudo, numerosos quadros da vida anuviaram-me o coração.

Segui amigos que me traçaram rotas de luz, enredando-se nas armadilhas da sombra.

Induziram-me à abnegação e ao desprendimento, disputando as posses da Terra.

Aconselhavam-me a ajuda sem recompensa, agarrando-se ao próprio interesse.

Chamavam-me à humildade, exaltando a si mesmos.

Quantos falaram de intolerância e de paciência!

Trazidos, porém, à hora do sacrifício derramavam azedume e pessimismo como se trouxessem no peito um vaso de fogo e fel.

Por isso, muitas vezes, tenho a desorientação instalada em minha alma.

Sei que meus modos te ferem, que as minhas palavras te afligem… Ainda assim, perdoa-me para que te possa compreender.

Não te busco a proteção como quem reclama.

Rogo-te auxilio moral, por amor do Cristo, que morreu na cruz para que entendêssemos a verdade.

Todavia, não me fales apenas.

Ensina-me como devo fazer.

           Meimei
(Ideal Espírita, Chico Xavier/Waldo Vieira
cap. 77, ed. Comunhão Espírita Cristã)

Ao atendermos nossos jovens tenhamos coerência entre o discurso e a prática, a fim de que possamos passar orientações seguras a esses corações, que atravessam tempestades emocionais naturais dessa fase.

Assine a versão impressa
Leia também