Jornal Mundo Espírita

Junho de 2020 Número 1631 Ano 88

Renove seu olhar

maio/2020 - Por Cezar Braga Said

No novo tempo
Apesar dos perigos
Da força mais bruta
Da noite que assusta
Estamos na luta
Pra sobreviver
(Ivan Lins e Vitor Martins)

Todos os dias a vida se renova na Terra, em particularidades que, via de regra, ignoramos.

O sol nasce e se põe sem que vejamos nisso alguma magia ou beleza.
Flores fenecem e botões se entreabrem sem nenhum aplauso da nossa parte.
Frutos chegam à nossa mesa sem nos darmos conta do cheiro, sabor, cor e texturas que possuem.O ar que inalamos em casa, nas ruas, num bosque, em todos os lugares, entra e sai de nossos pulmões sem qualquer movimento de gratidão ou louvor ao Criador.A água que chega em nossas torneiras abastecendo o lar e saciando a nossa sede, é sorvida com automatismo e não vemos nisso nenhum encanto.No céu, cores se revezam desde a aurora até o arrebol!

Pássaros cantam nos diversos caminhos por onde transitamos!Os mares beijam as praias, o planeta abraça os oceanos e estes abraçam com carinho os continentes!Lagos espelham o céu azul!Cachoeiras cantam melodias inigualáveis, sonoras e belas!Pequenos córregos e riachos declamam versos em delicadas poesias.Fontes cristalinas solfejam acordes!Chuvas amenas ou torrenciais surgem para promover a renovação dos solos, das plantas, além de operarem modificações positivas nas energias que se concentram em certos lugares e regiões.

Ventos e tempestades tentam estabelecer algum diálogo conosco e não vemos nem ouvimos nada…Animais nos fazem companhia, dotados de sensibilidade e também de uma centelha espiritual, ajudam a dar sentido aos nossos dias e quando não somos indiferentes a eles, enxergamos apenas uma iguaria para satisfazer o nosso insaciável apetite.

Seguimos surdos e cegos para essa linguagem divina, inarticulada e estranha para nós… (assim como pode parecer este texto também!)

Famílias inteiras fogem de guerras e regiões áridas, morrem na travessia de oceanos ou mesmo no trajeto de caminhos difíceis. Muitas sobrevivem em campos para refugiados ou são impedidas de encontrar acolhimento e vida nova em países fechados em si mesmos.Governos autocráticos e corruptos locupletam-se com poder, fama e dinheiro, enquanto milhões morrem sem ter um teto, saneamento básico, escolaridade e um pedaço de pão.Pessoas são discriminadas por questões sexuais, religiosas, cor da pele, ideologia, etnia…

Educadores sofridos empreendem esforços colossais para informar, sensibilizar, conscientizar, educar toda uma leva de crianças e adolescentes abandonados por políticas públicas sérias e contínuas.Há uma necessidade de renovação em toda a Humanidade!

A mensagem neste momento é clara, mas requer sensibilidade, olhos de ver, ouvidos de ouvir, coração para sentir além de mãos para agir.Temos sido cristãos sem Cristo e esse paradoxo precisa ser resolvido para que tenhamos uma nova família, uma nova sociedade, um novo governo, uma nova Humanidade.Mas nada disso será possível sem a gestação e o parto de um novo ser humano: fraterno, solidário, amoroso, gentil e educado com os demais seres vegetais, animais e humanos.Um ser que saiba respeitar, conviver e aprender com as diferenças, sem aceitar injustiças e indiferenças.

Que a parada desses dias nos remeta a reflexões mais profundas que aquelas rasas do cotidiano, onde agimos apenas como consumidores atendendo a necessidades meramente fisiológicas, importantes e necessárias, mas não suficientes para a construção de um mundo com mais compartilhamento e menos acumulação, mais cooperação e menos competição, com mais NÓS e menos EU.

 

Assine a versão impressa
Leia também