Jornal Mundo Espírita

Maio de 2020 Número 1630 Ano 88

Raul Teixeira no Paraná…

União da Vitória, 10/12

janeiro/2011

Bem como as demais palestras, a FEP se responsabilizou pela infraestrutura das atividades. Primeiro, com a equipe extraordinária da 15ª URE, que, desde a sua criação, recente, nos tem recebido com extremado carinho e cuidado. Depois, com a equipe da Diretoria Executiva, preparando os equipamentos de transmissão e amplificação de som, assim como para o registro das palestra para posterior distribuição.

Na composição da mesa diretiva estiveram presentes Antonio Portes Junior (presidente da

3ª URE), Marcelo Scaramella (presidente da 15ª URE) e Francisco Ferraz (presidente da FEP).

O clube Aliança, pertencente aos militares, acolheu cerca de 500 pessoas durante o evento. Na oportunidade, Raul falou a respeito das Colônias Espirituais e a relação com Nosso Lar (colônia já bastante conhecida dos espíritas). Destacou que existe, entre os espíritas, não raro, uma visão distorcida relativamente ao funcionamento das ditas cidades espirituais. Há, por exemplo, uma ideia generalizada de que a colônia Nosso Lar servirá para acolher todos os espíritas que se comportarem de acordo com os princípios que esposam. Um equívoco, pois, segundo Raul, cada região terá a ela uma colônia, um posto de atendimento, uma setor de acolhimento e transição vinculados, de tal modo que não haja muita discrepância entre a cultura na qual estamos imersos com aquela que vamos encontrar nos primeiros momentos além da morte do corpo, até que os adaptemos e sejamos encaminhados às colônias onde permaneceremos por algum tempo, de acordo com o mérito de cada qual. Isso para falar daqueles que não transgrediram, não se desajustaram, não criaram débitos a ponto de os afastar do socorro dos benfeitores.

Foi, de fato, uma palestra elucidativa e importante para os que sempre estamos refletindo em torno das questões da conduta moral e das suas implicações no pós-morte.

Assine a versão impressa
Leia também