Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Projeto de capacitação do trabalhador espírita

abril/2014 - Por Luis Maurício de Resende

Quando os ensinos espíritas forem bem compreendidos, examinados, absorvidos pelos homens, estes mudarão o comportamento social, em razão da modificação moral que cada ser se imporá, erguendo-se uma comunidade pacífica e justa, a espraiar-se, generosa, por toda parte, auxiliando a transformação da Terra, regenerada e luminosa, que seguirá no rumo da destinação que a espera como aos seus habitantes, hoje em lutas cruentas e rudes, por haverem abdicado das armas do amor, da mansidão e da fraternidade.

Vianna de Carvalho/Divaldo Pereira Franco- Enfoques espíritas, cap. 4.

 

Como desenvolver a transformação moral? Como compreender a Justiça Divina e seus desdobramentos? Como buscar consolo em um mundo onde ainda prevalecem as aflições?

Todo aquele que mergulha a mente no conhecimento da Doutrina Espírita e que se permite estudá-la, tem respostas coerentes, claras e de profundo significado em torno dessas questões. Allan Kardec estabeleceu que a contribuição da Doutrina Espírita para o progresso do planeta se daria, a partir da compreensão (entendimento intelectual) dessa, para então, como consequência lógica, a transformação moral.

O lúcido Codificador, na Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita, em O livro dos Espíritos, obra que contém toda a Doutrina Espírita, em reiteradas vezes (itens VIII, XIII, XVII), afirma e justifica a necessidade de se estudar o Espiritismo.

Portanto, cabe ao Movimento Espírita fomentar, em caráter de prioridade e indissociável a quaisquer outras ações, o estudo da Doutrina Espírita.

Cumprindo sua missão de divulgar a Doutrina Espírita e representar, orientar, unificar e fomentar o Movimento Espírita do Paraná, a Federação Espírita do Paraná – FEP vem, desde a década de 1980, promovendo inúmeras ações, no intuito de implementar o estudo no Movimento Espírita Estadual.

Ao longo dessas décadas, foram inúmeros os seminários desenvolvidos, apostilas formatadas, programas de estudos elaborados, técnicas e estratégias difundidas,  amplo material de apoio disponibilizado.

Ao longo de 2013, um Projeto começou a ganhar forma e foi sendo aperfeiçoado, envolvendo todos os departamentos e coordenadorias da FEP, assim como o Conselho Federativo Estadual, que o analisou e aprovou em reunião ordinária.

Dessa forma, todos os departamentos e coordenadorias da FEP estão engajados em um único Projeto de Capacitação do Trabalhador Espírita, que, em quatro etapas ou fases, proporcionará a capacitação de trabalhadores, em todas as áreas do Movimento Espírita, pautada sua ação na reflexão e estudo da Doutrina Espírita.

A primeira fase iniciou no dia 15 e 16 de fevereiro, no Recanto Lins de Vasconcellos, e terá desdobramentos em mais três encontros, totalizando sessenta horas de estudo, nas quais serão tratadas as seguintes temáticas:

–                     Princípios básicos da Doutrina Espírita

–                     O  Codificador e a Codificação Espírita

–                     Metodologia da Ciência Espírita

–                     Centro Espírita e Movimento Espírita

–                     Como pesquisar e estudar

–                     Recursos didáticos e recursos e aspectos pedagógicos.

Para desenvolver a primeira fase, a FEP convidou Sandra Della Pola, do Movimento Espírita gaúcho, que colaborou na formatação final do Projeto, e será a coordenadora dos três primeiros encontros, ficando o quarto sob a responsabilidade de Marli Bratfisch, do DIJ/FEP.

O objetivo dessa primeira fase é a formação de multiplicadores, para que, concluídos os quatro encontros, esses levem as mesmas reflexões e capacitação para as suas UREs. Participam dessa fase, representantes de todas as UREs, diretores de departamentos e coordenadores de áreas da FEP.

Em fevereiro, sessenta e seis inscritos estiveram presentes. Assinalando da importância do Projeto, manifestou-se o Presidente da FEP, Luiz Henrique da Silva, na abertura, secundado pelo 2º Vice-Presidente, Danilo Arruda da Luz.

–                     Sandra Della Pola, em exposição narrativa e dialogada, em trabalhos em grupos, reflexões sobre textos, conduziu o estudo que abordou os itens: Como pesquisar e estudar; Princípios básicos da Doutrina Espírita; O Codificador e a Codificação Espírita.

Os próximos encontros estão agendados para os dias 26 e 27 de abril, 28 e 29 de junho e 09 e 10 de agosto. Concluída essa fase, as atividades serão desenvolvidas nas UREs, dando início à segunda fase do Projeto. Nas UREs, os multiplicadores atuarão, envolvendo os trabalhadores espíritas de sua região e, em particular, os responsáveis pelos setores ou áreas nos centros espíritas: Infância e Juventude; Serviço Social Espírita; Unificação; Estudo da Doutrina Espírita; Atendimento Espiritual; Comunicação Social Espírita; Administrativo/Institucional, não contemplada a Mediunidade, pelo Projeto que já desenvolve e se encontra em fase adiantada.

Esses trabalhadores, participando dessa fase, em suas regiões, estarão credenciados a participar da terceira fase do Projeto, na qual a responsabilidade será de cada um dos setores de atendimento da FEP em desenvolver uma estrutura de capacitação para sua área, visando novamente formação de multiplicadores, para atuarem em suas UREs, agora, em cada área específica.

Assim, em um Projeto integrador, tendo o estudo como a base do trabalho, a FEP proporcionará a médio prazo, a capacitação de expressivo número de trabalhadores, colaborando para o burilamento nas ações do Movimento Espírita no Paraná.

Com certeza, um Projeto arrojado e, nos termos em que foi concebido e está sendo desenvolvido, inédito no Movimento Espírita.

Assine a versão impressa
Leia também