Jornal Mundo Espírita

Maio de 2020 Número 1630 Ano 88

Preito de gratidão a um espírito ilustre

maio/2020

Ele nasceu em 1º de maio de 1880, em Sacramento,  MG, portanto, neste maio, comemoramos os 140 anos de seu renascimento na Terra.

Eurípedes Barsanulfo foi educador, homem público, filantropo, jornalista, farmacêutico e médium. Nos primeiros anos do Século XX, ao tomar contato com as verdades da Doutrina Espírita, encantou-se com a sua racionalidade e beleza. Em nome da coerência e do seu caráter íntegro, renunciou à sua posição de secretário da Irmandade São Vicente de Paulo, entidade ligada à Igreja Católica, tendo em vista que o Espiritismo era visto por ela, com censura.

Demonstrou todo o seu ardor doutrinário ao ser desafiado para um debate, por um sacerdote, que alegava que o Espiritismo era contrário aos ensinamentos do Cristo. Eurípedes defendeu os postulados Kardequianos, de maneira firme, porém, serena, com discurso coerente e irrepreensível, do ponto de vista doutrinário, provando que o Espiritismo é o Cristianismo Redivivo.

Em 1905, fundou o Grupo Espírita Esperança e Caridade. Dois anos depois, o Colégio Allan Kardec, baseado nas orientações da Pedagogia de Johann Heinrich Pestalozzi (1746/1827). Nesse colégio, os alunos, além de terem excelente formação acadêmica e moral tinham ainda, na sua grade escolar, a Doutrina Espírita.

Fundou também o jornal Gazeta de Sacramento e atuou como homem público entre 1907 e 1912.

Suas faculdades mediúnicas (cura e bicorporiedade, nas quais era assistido pelos Espíritos Vicente de Paulo e Bezerra de Menezes) sempre foram utilizadas no atendimento às dores e necessidades do próximo.

Tinha uma farmácia de manipulação de remédios homeopáticos, o que lhe valeu um processo de prática ilegal da Medicina, movido por um médico da região. O processo acabou por ser arquivado.

Eurípedes viveu, entre nós, somente 38 anos e 6 meses, desencarnando em sua cidade natal,  em 1º de novembro de 1918, vitimado pela pandemia do vírus Influenza, a Gripe Espanhola, que atingiu o mundo entre janeiro de 1918 e dezembro de 1920. Morreu trabalhando, atendendo àqueles que necessitavam de ajuda.

Nosso preito de respeito e admiração a esse iluminado e generoso Espírito.

Marco Antônio Negrão
Foto: Acervo FEP

Referências:

1 http://www.feparana.com.br/topico/?topico=630

2 NOVELINO, Corina. Eurípedes, o homem e a missão. Araras: IDE, 1979.

 

 

Assine a versão impressa
Leia também