Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87

Planejar é preciso

fevereiro/2019

A obra do bem em que te encontras empenhado não pode prescindir de planejamento.
Joanna de Ângelis/Divaldo Pereira Franco/Espírito e Vida/cap. 38

Cada passagem de ano marca o fim de um ciclo e o início de um novo. Normalmente, é época de reflexão sobre o que passou e sobre o que queremos para o futuro. Esse é um movimento natural do ser humano, ser inteligente da Criação, que tem em seu íntimo a percepção da lei de progresso que rege o Universo e que requer o esforço pessoal de cada um, no sentido de desenvolver o próprio processo evolutivo e da sociedade onde está inserido.

Dessa forma, ao final de cada ano, avaliamos o que realizamos, o que deixamos de realizar, o que foi bom e o que não foi tão bom e, mesmo que de forma inconsciente, fazemos alguns planos para concretizar o que almejamos para o próximo ano, o próximo ciclo que se inicia.

Há bastante tempo, o planejamento faz parte das estratégias administrativas do mundo empresarial, como ferramenta de fundamental importância para que objetivos e metas sejam bem definidos e alcançados, para que haja sucesso nas ações e retorno do investimento feito no ramo em que cada instituição atua. Planejar permite direcionamento e emprego eficaz de recursos materiais, financeiros e humanos, reduz desperdícios e otimiza esforços para a concretização de objetivos comuns estabelecidos por um grupo de pessoas.

Utilizar ferramentas de gestão é ação cada vez mais comum em instituições e atividades humanas. Nas instituições públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos, vamos verificando que alcançam mais sucesso aquelas que estabelecem metas e objetivos claros, que gerenciam adequadamente seus recursos, que avaliam constantemente seus resultados e que corrigem rotas, sempre que necessário. Por outro lado, vemos, com frequência, muitas instituições que não conseguem cumprir sua finalidade, apresentando dificuldades financeiras, perdendo espaço para empresas inovadoras. Algumas tendo a necessidade de encerrar as suas atividades.

Olhando o movimento espírita brasileiro e, em especial do Paraná, percebemos o quanto já evoluíram as nossas atividades, no sentido de organização adequada, para que a mensagem consoladora do Espiritismo continue avançando, no intuito de alcançar todos os recantos do nosso Estado, de forma segura e eficaz, envolvendo os Centros Espíritas e todos os seus trabalhadores.

Nesse mesmo sentido, as atividades dos Departamentos de Infância e Juventude dos Centros Espíritas necessitam se servir dessas ferramentas para que o trabalho de divulgação e vivência da Doutrina Espírita, pautada nos ensinamentos de Jesus, possam atingir os seus objetivos junto às crianças, jovens e famílias, que os buscam, procurando consolo, conhecimento, oportunidade de trabalho e vivência cristã.

Se ainda não o fizeram, é momento de olhar o ano que passou, ouvir os companheiros de trabalho, trocar ideias, avaliar os resultados das ações, buscar fontes seguras de orientação e direcionamento para a tarefa de Evangelização Espírita e, munidos de informações e subsídios, planejar as tarefas para o ano que apenas se esboça.

Em especial, podem e devem contar com o apoio das Uniões Regionais Espíritas – UREs, que têm representantes escolhidos para atuar junto aos Centros Espíritas de cada região, nas tarefas de Evangelização Espírita Infantojuvenil.

É função da URE apoiar as ações dos Centros Espíritas, repassando orientações e diretrizes nacionais e estaduais, coletando dados, promovendo e divulgando treinamentos e eventos que permitam o aprimoramento do trabalhador e da tarefa de Evangelização.

Nesse movimento de união, de compartilhamento, de busca de aperfeiçoamento e de vivência cristã, nos fortalecemos e garantimos a oportunidade de desenvolver atividades condizentes com o planejamento maior, que está sob a direção do nosso Mestre Jesus.

Sigamos juntos e confiantes no rumo apontado por Aquele que é, com certeza, a Luz do mundo.

Diretores dos Departamentos de Infância e Juventude das Uniões Regionais Espíritas:

1ª URE: Demilson Silva Costa

2ª URE: Virgínia Ostroski Salles

3ª URE: Dilvana Fantin

4ª URE: Joana D’Arc Koroviski

5ª URE: Lucenire Câmara

6ª URE: Neide Aparecida Pereira

7ª URE: Ana Flávia Sipoli Cól

8ª URE: Rafael Luís Santos Meurer

9ª URE: Geruza Pereira da Silva Vacari

10ª URE: Stela Desto

11ª URE: Vanea Podanoschi Senger

12ª URE: Carla Denise Sauer Marques

13ª URE: Sheila Augusta Coimbra Domingues

14ª URE: Mayara Regina Corte Pereira

15ª URE: Inês Topolski

16ª URE: Guilherme Henrique Carvalho Ferreira

17ª URE: Índia Nara Smaha

18ª URE- Metropolitana Norte: Alessandro C. Bandeira/Geani Vasconcelos

19ª URE – Metropolitana Leste: Mauro César Batista

20ª URE – Metropolitana Oeste: Francielle Mattoso Kosteczka/Raphael Leocádio

21ª URE: Maria Nizete Antunes

Assine a versão impressa
Leia também