Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Planejar é preciso

fevereiro/2017

Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve. Lewis Carroll

Um novo ano se inicia e, em breve, estaremos recebendo novamente as crianças, jovens e famílias para as atividades de evangelização em nossas casas espíritas. Todos de ânimo renovado para mais uma etapa na jornada terrestre, com as perspectivas características, geradas com o começo de mais um ano.

Enquanto espíritas, conhecedores das Leis Divinas, temos a certeza de que a nossa reencarnação tem objetivo específico dentro do nosso processo evolutivo e, da mesma forma, precisamos estar atentos para os objetivos que devem ser alcançados, através das atividades de evangelização, a serem desenvolvidas durante o ano.

Nesse sentido, vários aspectos devem ser observados no planejamento de nossas atividades, para que saibamos exatamente onde queremos chegar e quais os caminhos que deveremos tomar.

Seguem algumas observações importantes:

 

Objetivos:

Os objetivos da evangelização em si e do Departamento de Infância e Juventude devem estar muito claros para todos os membros da equipe e demais trabalhadores do centro espírita. Os objetivos são o lugar onde queremos chegar e podem ser classificados da seguinte maneira:

  1. Objetivo geral: é o objetivo maior que fundamenta a existência desta atividade dentro do centro espírita.
  2. Objetivos específicos: são os que queremos alcançar neste ano, observando a realidade de nosso centro espírita, da nossa equipe, dos nossos evangelizandos, das famílias que nos procuram, sempre em consonância com a busca da realização do objetivo geral da evangelização.

Cientes e conscientes dos objetivos, necessitamos PLANEJAR as nossas ações, de modo que as atividades desenvolvidas nos permitam alcançá-los.

 

Para o adequado planejamento, necessitamos seguir alguns passos, analisando:

  1. 1.   Ambiente interno:
  2. realidade de nossa casa espírita, sua estrutura organizacional (diretoria, coordenações, documentos), estrutura física, recursos humanos e financeiros de que podemos dispor;
  3. realidade da nossa atividade de evangelização: quantos evangelizadores, quantos ciclos de evangelização, faixa etária que estamos atingindo, preparo da equipe, salas e materiais de que dispomos.
  4. 2.   Ambiente externo:
  5. região em que está localizado o centro espírita, público que pode atingir, União Regional Espírita a que pertencemos, movimento espírita local, recursos disponibilizados pela Federativa Estadual e Nacional, etc.
  6. 3.   Pontos fortes e pontos fracos:
  7. Dentre os recursos de que dispomos e nas atividades que realizamos, o que é bom e deve ser mantido e aperfeiçoado; onde estão nossas maiores fraquezas e o que precisa ser melhorado.


Com tais informações, podemos executar o planejamento das atividades elaborando e realizando:

a)  Plano de ação: planejar o calendário de atividades estabelecendo metas a serem alcançadas ao longo do ano, para que possam ser cumpridos os objetivos da evangelização espírita.

b)  Execução: a partir do planejamento elaborado, executá-lo, realizando as atividades propostas.

c)  Análise: estabelecer ferramentas que permitam avaliação constante do alcance das metas estabelecidas (feedback de pais, evangelizandos, evangelizadores, através de observação, conversas, reuniões, pesquisas, etc.).

d)  Revisão: com as observações colhidas, na análise das ações, rever periodicamente o plano de ação e corrigir rumos, replanejar atividades, sempre que necessário.

Lembramos que quanto mais envolvida a equipe estiver na elaboração do planejamento das atividades, tanto mais estará comprometida com os resultados a serem obtidos. Também de que as atividades do DIJ devem estar integradas e em consonância com as demais do centro espírita.

Jesus veio à Terra com o objetivo de deixar Suas lições imorredouras entre os homens. Planejou Sua vinda, Sua estadia e Sua partida. Preparou Sua equipe para que as lições se perpetuassem. Agiu sem hesitação. Orientou e reorientou os apóstolos, sempre que necessário. Exemplificou Suas lições através da própria vida.

Registrado no Evangelho de Lucas (16:2) nos deixou a recomendação: Dá conta da tua administração, lembrando-nos dos tesouros que nos seriam confiados e da responsabilidade que teríamos em bem gerenciá-los. Não por acaso abraçamos a nobre tarefa de evangelizar e não é sem esforço e dedicação que a executaremos muito bem.

Revendo o Planejamento Estratégico da Federativa Estadual, à qual estamos vinculados, recordamos o lema que norteia nossas atividades, enquanto membros do Movimento Espírita do Paraná: Unidos para construir o futuro.

Sigamos unidos, somando esforços, amparando-nos e amando-nos, fortalecendo-nos nas claridades da mensagem consoladora da Doutrina Espírita e permitindo que ela chegue, com sua limpidez e pureza ao coração das crianças e jovens que nos buscam nas casas espíritas; que, em conjunto, possamos construir o futuro venturoso que almejamos.

Façamos de 2017 um ano especial, com a certeza de onde queremos chegar e o cuidado necessário para que o caminho a ser trilhado seja o mais adequado.

Assine a versão impressa
Leia também