Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Orientação para a Ação Evangelizadora

julho/2016

Há 102 anos, iniciava-se no Brasil a preocupação de evangelizar crianças e jovens, com o intuito de levar-lhes a palavra de Jesus. De 1914 a 1975, muitas ações e orientações foram realizadas para sedimentar tal ideia.

Em 1977, surgiu na Federação Espírita Brasileira – FEB, a Campanha Permanente de Evangelização Espírita Infantojuvenil, aprovada na reunião do Conselho Federativo Nacional – CFN, em 1978, com o objetivo de conscientizar os espíritas sobre a importância dessa tarefa.

Foram produzidos folders, cartazes, mensagens e o Currículo para as Escolas de Evangelização Espírita Infantojuvenil, em forma de apostila, elaborado por representantes de vários Estados. Representando o Paraná, Maria da Paz de Oliveira Ribeiro não poupou esforços nesse trabalho, impresso pela primeira vez em 1978.

Seguindo as orientações dos Benfeitores Espirituais, a equipe do DIJ/FEB periodicamente avalia, reformula e adequa o Currículo, de acordo com a necessidade pertinente à época, sem esquecer a questão doutrinária.

A Campanha preocupa-se com a qualidade da evangelização que as Casas Espíritas oferecem à infância e à juventude e, nos últimos 5 anos, inseriu a família nesse contexto.

Em 2016, o DIJ/FEB propôs o documento Orientação para a Ação Evangelizadora da Infância/Juventude: Subsídios e Diretrizes, no qual descreve três grandes diretrizes baseadas no Plano de Trabalho da FEB, direcionadas à infância, juventude e família.

Como no Currículo para a Evangelização, esse documento tem a participação das Federativas estaduais, em sua construção. Da Federação Espírita do Paraná – FEP, as contribuições tiveram início, em 2012, nas reuniões de Diretores Regionais de DIJ e foram encaminhadas através do DIJ/FEP.

A FEB utilizou, também, respostas, via internet, de enquetes direcionadas a jovens e evangelizadores de juventude, resultando em material específico para eles.

Com o intuito de dinamizar a ação evangelizadora, o documento Orientação à Ação Evangelizadora traz conteúdo teórico, com clareza e profundidade, levando o evangelizador a refletir sobre a prática e ação da evangelização. Apresentando uma visão do protagonismo (infantil/juvenil), define-o como um tipo de relação pedagógica que tem a solidariedade entre gerações como base, a colaboração educador e educando. A formação integral é a base desse processo que visa desenvolver cabeça, coração e mãos, alinhado com a dimensão humana de pensar, sentir e agir em consonância com os eixos: conhecimento doutrinário (cabeça), aprimoramento moral (amor) e transformação social (agir).

É um documento de orientação a toda prática da evangelização, o papel da família, do evangelizador e do dirigente; interação do jovem e evangelizador, a qualidade da tarefa e os espaços de ação da juventude: estudo e vivência, confraternização, vivência social, integração no Centro e no movimento espírita, convivência familiar. Fortalece ainda os conteúdos referentes ao por que e para que se evangeliza.

O DIJ/FEP sugere a sua utilização nas Casas Espíritas, não esquecendo do Currículo de Evangelização (ed. FEP), que oferece diretrizes precisas.

Sugere, por fim, que haja esmero no estudo e discussão do documento: Orientação à Ação Evangelizadora, para que as ações possam ser unificadas em prol da evangelização, recordando a orientação do Espírito Bezerra de Menezes: Jesus aguarda! Cooperemos com Cristo na evangelização do homem!

 

Juventude em questão! 

Discutido no DIJ/FEP, com os representantes regionais, levadas as sugestões ao Conselho Federativo Estadual, foi aprovada, a partir de 2008, a realização do Encontro Estadual de Juventudes Espíritas, a cada três anos.

Nos anos intermediários, permaneceram os Encontros Regionais, promovidos pelas Inter-Regionais Norte (CONMEL) Noroeste (ENJUVESP), Oeste (ENCORAJE) e Leste (EEV).

Trazida proposta, pela Inter-Regional Lete, ao DIJ/FEP de que, mesmo com a realização do Encontro Estadual, permanecesse a realização dos Encontros Regionais, foi discutida na reunião de 28 de maio, junto com os representantes regionais de DIJ.

Considerando que já fora definido o XIII Encontro Estadual de Juventudes Espíritas, em 2017, com o tema: Jesus e vida: do que estamos falando?, para jovens de 15 a 21 anos; considerando ainda as tantas tratativas empreendidas até o momento, envolvendo lideranças e coordenadores de juventudes, bem assim a expectativa dos jovens, o DIJ/FEP optou pela continuidade do que vem ocorrendo.

Essa decisão foi levada ao CFE, de viva voz, pelos representantes das Inter-Regionais, onde ocorrem os eventos: Rosilene Carvalho (Norte), Índia Nara Smaha (Oeste), Diego José Siqueira (Centro), Vania Luz (Noroeste) e Hermes Cristian Brun (Leste), juntamente com a coordenadora do Setor de Juventude da FEP, Elisângela Dias de Toledo.

A proposta continuará sendo analisada. Deseja o DIJ ouvir a opinião dos jovens e evangelizadores, através dos diretores de DIJ das UREs.

Dessa forma, estão convidados os jovens a se manifestarem junto ao representante de sua região.

Assine a versão impressa
Leia também