Jornal Mundo Espírita

Maio de 2020 Número 1630 Ano 88
Revivendo Ensino Envie para um amigo Imprimir

Nossos amigos, os invisíveis

maio/2020

Consoladora é a crença doutrinária que prova ao homem com fatos concludentes a existência de um Guia espiritual que junto dele desempenha missão tutelar conferida pelas leis do Todo Misericordioso e Complacente.

O Guia Espiritual será como um agente do Amor Divino junto das criaturas. Ele conhecerá, com precisão, as leis sobre que o Criador estabeleceu a harmonia moral das sociedades espirituais, e as aplica com sabedoria equivalente ao próprio grau de elevação na escala do aperfeiçoamento. Se necessita inspiração para os graves problemas a solucionar dentro das atribuições que lhe são conferidas, ele a suplica, ardoroso, ao grande Foco que nas profundezas do infinito irradia sabedoria sobre o Universo todo, e o Grande Foco lhe refloresce as energias na mente lúcida, que se amplia, vigorosa, no carreiro a prosseguir…

É incompreensível e incompreendido pela maioria das individualidades às quais se dedica. Sua formosura integral, resplandecente de virtudes imortais, passaria despercebida aos olhos da vulgaridade, se a esta fosse possível defrontá-lo. A fim de contemplá-la e compreendê-la em toda a sua radiosa realidade, tornar-se-á necessário ao tutelado adornar-se de potenciais psíquicos de ordem elevada, os quais se encontram ainda latentes, sufocados pela materialidade, no interior de cada um, à espera das clarinadas decisivas do progresso.

Age sobre o homem frequentemente, e o homem não o compreende! Sente, este, suas manifestações em torno da própria vida, mas geralmente ignora que sejam suas!…

O Guia Espiritual é a destra do Criador que se espalma sobre o homem, inspirando-o e protegendo-o na espiral difícil, mas gloriosa, do Espírito, rumo da redenção!

As doces lendas do passado o denominavam Anjo de Guarda. Seja, porém, qual for o nome que lhe derem será invariavelmente a dedicação incansável, o amor abnegado até ao sacrifício!

Ama seus pupilos com o amor elevado à potência espiritual a que chegou, o que quer dizer que tal sentimento se avoluma e fortalece à proporção que ele  próprio ascende na espiral do progresso, rumo da perfeição. O homem desconhece essa modalidade do amor, a qual denominaremos divina, conquanto a Terra já tivesse ocasião de contemplá-la em toda a sua gloriosa expressão.

Lembrai-vos de Jesus, o Cristo do Senhor, amando a Humanidade, por ela incompreendido, mas, ainda assim, oferecendo-se em sacrifício pelo grandioso ideal de atraí-la a si! Recordai os primitivos cristãos, enamorados da Causa Libertadora aprendida com o Mestre inesquecível, a tudo renunciando, a coisa alguma ambicionando senão merecer desenvolver e multiplicar a divina herança legada pelo Filho do Céu que conviveu entre eles!

É com idêntico sentimento que cada um de nós tem a felicidade de ser bem- por seu Guia Espiritual.

Que seria da criatura humana, em luta ininterrupta com a inferioridade dos planos em que se movimenta, no aprendizado cotidiano da experiência, se essa Consciência iluminada pelas próprias virtudes não a seguisse paternalmente – expressão celeste do reconforto e do amparo, na existência de cada uma?… Assiste-a da selvageria ao coroamento dos méritos, e, na gloriosa peregrinação, colhe para si mesma triunfos maiores, à proporção que a alma tutelada ascende ao progresso. Sofre, se o tumultuar das paixões do protegido, por muito renitentes, lhe dificultam o desempenho da missão de que foi investido. Rejubila-se, porém, sempre que o contempla a conquistar vitórias na peleja contra si mesmo. Pode, de uma vez, tal seja o grau da própria elevação, influenciar sobre cem, sobre mil individualidades diferentes, protegendo-as, a todas inspirando. E no amor do Divino Mensageiro se revigora para as peripécias da avultada missão.

Quando sua elevação, por avantajada e radiosa, ultrapassar as necessidades imanentes ao gênero humano, poderá, se quiser, ingressar em mundos mais bem- dotados de moral e de ciência, anelando triunfos novos, glórias crescentes, através do trabalho honroso do Amor como do Progresso Universal, em missões árduas ou tarefas abnegadas. |Todavia, geralmente, só o faz quando as pobres almas que lhe foram confiadas o puderem seguir nessa etapa luminosa, caminho do progresso. Raramente as deixa, e só por ordem superior emigrando para outros continentes do Universo Sideral.

(….)

As entidades espirituais de ordem superior podem refletir a própria personalidade sobre vários pontos da Terra, como do Espaço, a um mesmo tempo, tornando real sua presença em todos eles. São como o Sol, que, suspenso nos eternos abismos do infinito, irradia de suas propriedades generosas, imperecíveis, sobre as montanhas imponentes como para a singeleza dos vales, levando-as ainda a vagar, graciosas, sobre as águas, a aquecer os lares, a fecundar campos, selvas e searas produtivas, favorecendo com seu esplendor até os abismos submarinos, equilibrando a própria existência do planeta e sua humanidade! E – gloriosa, sublime atuação do seu poder! – equilibrando e fecundando até mesmo outros mundos e outras humanidades!

Assim os Guias Espirituais de elevada hierarquia. Podem reter as vibrações a fim de chegarem até a pobreza da nossa condição. Poderão também distender energias para além e para mais longe, tornando-se presentes aqui como acolá. Bastar-lhes-á ativar a potencialidade brilhante da própria Vontade!

 

Referência:

1 PEREIRA, Yvonne A. Amor e Ódio. Pelo Espírito Charles. Rio de Janeiro: FEB, 2004. pt. 3, cap. V.

Assine a versão impressa
Leia também