Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Sugestão de Leitura Envie para um amigo Imprimir

Nos domínios da mediunidade

novembro/2011

Editado em 1954, é de impressionante atualidade. Todos os que se dizem espíritas, principalmente os médiuns, deveriam lê-lo.

Aborda questões fundamentais para a nossa formação doutrinária, além de fazer revelações preciosas, como o psicoscópio, aparelho de “auscultação da alma”, que permite o exame de pessoas e grupos, denunciando o potencial de realização, o que permite aos benfeitores investir ou não nos programas de trabalho dos que se oferecem aos serviços do Cristo. É um captador das irradiações individualizadas ou grupalizadas, das energias que emitimos correspondentes ao grau de evolução em que estagiamos.

Traz temas de altíssima importância que possibilitam o mais amplo domínio da mediunidade.

Assuntos indispensáveis à cultura espírita são trazidos de forma objetiva, facilitando-nos a plena compreensão de fenômenos como o das correntes mentais, da psicofonia, do sonambulismo, da clarividência, da clariaudiência, da dominação telepática, da emersão do passado, da fascinação, da mediunidade transviada, entre outros.

O devotado autor dessa magnífica obra consola-nos o coração, reafirmando que “os gênios realmente superiores da Espiritualidade jamais abandonam os sofredores e os pequeninos. À maneira do Sol que clareia o palácio e a furna, auxiliam a todos, em nome da Providência”.

Emmanuel, em seu prefácio, lembra-nos: “Na grande romagem todos somos instrumentos das forças com as quais estamos em sintonia. Todos somos médiuns, dentro do campo mental que nos é próprio, associando-nos às energias edificantes da vida superior, ou às forças perturbadoras e deprimentes, se ainda nos escravizamos às sombras da vida primitivista ou torturada”.

Autor espiritual: André Luiz
Médium: Chico Xavier
Editora: Federação Espírita Brasileira – FEB

Assine a versão impressa
Leia também