Jornal Mundo Espírita

Julho de 2019 Número 1620 Ano 87
Acerca das palavras Envie para um amigo Imprimir

Nardo

março/2019

Nardo é nome não-semítico de uma planta (Nardostachys jatamansi), também conhecida como espicanardo, nardo indiano e jatamansi.

Originária do Nepal, China e Índia, de sua raiz é extraído um óleo cheiroso, usado em bálsamos e pomadas.

É uma planta da família das gramíneas, que pode crescer até um metro de altura e que apresenta flores brancas e cor de rosa em forma de sino.

A palavra nardo pode ser sinônimo de perfume, porque o óleo aromático é usado para essa finalidade.

O bálsamo de nardo tem, ainda, várias propriedades medicinais, sendo usado no tratamento da pele (possui propriedades anti-inflamatórias, fungicidas e bactericidas). Também tem efeito sedativo, sendo usado como calmante e possui características antissépticas, sendo utilizado para tratar problemas no sistema digestivo e respiratório.

No Antigo Testamento3, encontramos referências ao perfume: (…) dá o meu nardo o seu cheiro.

E mais adiante4, refere-se a ele junto a outras árvores de incenso, oferecendo seus frutos, ou seja, o perfume e os demais benefícios.

O episódio mais conhecido com o óleo de nardo está descrito no Evangelho de João1Então Maria, tomando um frasco de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-os com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do unguento.

O Evangelista Marcos2, por sua vez,  menciona que o frasco de perfume em questão custava trezentos denários, quantia que correspondia aproximadamente a trezentos dias de salário, o que significa que era um óleo muito caro.

Refere-se aqui ao nardo puro pois, considerando-se seu alto preço, há registros de que haveria imitações, naturalmente, bem menos onerosas.

 

Referências:

  1. BÍBLIA, N. T. João. Português. O novo testamento. Tradução de João Ferreira de Almeida. Campinas: Os Gideões Internacionais no Brasil, 1988. cap. 12, vers. 3.
  2. Op. cit. Marcos. cap. 14, vers. 2-5.
  3. Op. cit. Cântico dos Cantares. cap. 1, vers. 12.
  4. Op. cit. cap. 4, vers. 13-14.
  5. BORN, A. Van Den. Dicionário Enciclopédico da Bíblia. Petrópolis: Vozes, 1985. Nardo.
  6. SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Concordância Bíblica. Brasília, 1975. Nardo.
Assine a versão impressa
Leia também