Jornal Mundo Espírita

Agosto de 2019 Número 1621 Ano 87

Na evangelização espírita infanto-juvenil, o que ensinar?

setembro/2008

(…) Estabelecer linhas mestras ou um eixo filosófico em torno do qual possamos nos encontrar não é tarefa fácil nesse labirinto de enfoques tão diversificados e de ângulos de visão tão parciais, com os quais cada um de nós costuma ver os fatos relativos à educação, especialmente à evangelização espírita.

Todavia, com o devido respeito aos filósofos, pedagogos, psicólogos de todas as escolas antigas e atuais, e a outros expoentes das ciências afluentes da educação, temos em mira as bases do Evangelho de Jesus – o maior filósofo, o mais competente dos pedagogos – e as da Codificação Kardequiana, as quais enfeixam os princípios norteadores, capazes de orientar todo o processo de renovação do homem, no rumo do seu aperfeiçoamento moral, ético, afetivo, intelectual e social.

(…) Esses caminhos, entretanto, têm uma meta comum – Jesus.

Sendo o Espiritismo a revivescência do Cristianismo, nada mais natural que ele tenha no seu interior uma dimensão essencialmente educativa, uma proposta de educação moral voltada para a formação do homem cristão, do homem de bem.

(…) Assim, ficam então, estabelecidos como objetivos da evangelização infantojuvenil:

a) Promover a integração do evangelizando: consigo mesmo; com o próximo; com Deus;

b) Proporcionar ao evangelizando o estudo: da lei natural que rege o universo; da “natureza, origem e destino dos Espíritos bem como de suas relações com o mundo corporal”;

c) Oferecer ao evangelizando a oportunidade de perceber-se como homem integral, crítico consciente, participativo, herdeiro de si mesmo, cidadão do universo, agente de transformação do seu meio, rumo a toda perfeição de que é suscetível.

Conteúdos que com certeza, ajudarão na melhora progressiva da humanidade, onde as crianças e jovens de hoje contribuirão para um mundo mais feliz de amanhã.

(Texto extraído do Currículo para Evangelização Infantojuvenil, FEP, 2005)

 

 

Formação de evangelizadores no CEPE

Nos dias 07 e 08 de agosto foi aplicado o quarto, e último módulo, do Curso para Formação de Evangelizadores, cujo tema central foi: Aprender a Fazer.

No primeiro dia aconteceram as seguintes oficinas, aplicadas pelos integrantes da equipe do DIJ:

E.V.A – sob coordenação de Elisabeth Choinski e Nelson Henrique Silva;

Brincadeiras: a cargo de Elisabeth Bianco e Julio Machado;

Jogos com sucata: aplicada por Tatyanna Braga de Moraes, e como convidado especial, Marcos Azuma, um dos coordenadores do Setor de Artes da FEP.

Em momentos de muita descontração os participantes fizeram rodízio entre todas as oficinas e puderam: voltar à infância relembrando brincadeiras esquecidas na memória, exercitar a habilidade manual trabalhando com E.V.A., e também brincar com jogos feitos com sucata; facilmente encontrada em nossos lares e que ao invés de ir para o lixo; virou pura diversão.

No último dia, a oficina foi inteiramente dedicada à música, esta aplicada pela integrante do DIJ, Cristina Prevedel Pereira, vinda especialmente de Campo Mourão, para esta atividade.

Os participantes puderam aprender um pouquinho sobre a opinião dos Espíritos a respeito da Arte elevada, teoria musical, importância da utilização da música como recurso para enriquecer a atividade da evangelização infantojuvenil.

Na sequência foi a hora de soltar a voz com vários exercícios em grupo; que fizeram todos se desinibir e dar muitas gargalhadas; percebendo como são ricos os momentos em grupo e como a música pode servir como elo de união.

O encerramento deste módulo foi cercado de muita emoção e enternecimento. Foram cinco meses de muito aprendizado, troca de experiências e ideias e renovação de ânimo.

Assine a versão impressa
Leia também