Jornal Mundo Espírita

Julho de 2019 Número 1620 Ano 87

Anúncios da nova era

Menina inventa nave revolucionária

julho/2014

A jovem Ekaterina Trúsheva, de apenas treze anos de idade, apresentou um projeto revolucionário de uma nave que poderá alcançar a Alpha Centauri, a estrela mais próxima do nosso sistema solar, em apenas quarenta e dois anos.
As naves atuais demorariam mais de cinquenta mil anos para chegar lá.
O nome do projeto, apresentado e liderado pela jovem russa, é Nave Galáctica Terra.

Motivação
A garota soube que, em algum dia no futuro, daqui a milhões de anos, o Sol devorará nosso planeta.

Para salvar a existência da Humanidade, a pequena cientista se dedicou a encontrar uma alternativa de vida fora do nosso sistema solar.

Como

A ideia é utilizar como combustível o próprio ambiente interestelar, que é composto em 70% de hidrogênio. O elemento seria capturado por um funil magnético para depois ser comprimido e aquecido em uma reação termonuclear, que fornecerá a aceleração para a viagem.

A tecnologia é segura, econômica e fácil de executar.

A jovem cientista escolheu uma hélice de unifluxo termonuclear e outra hélice de unifluxo fotônico para motorizar sua nave.

É essa tecnologia que permite chegar ao destino em pouco tempo – quarenta e dois anos é desprezível em relação às enormes distâncias interestelares.

Uma das preocupações do projeto foi a alimentação da tripulação.
Alimentos sintéticos e/ou cultivados hidroponicamente foram as soluções encontradas.

Reconhecimento
O diretor do Instituto Internacional de Educação da Alemanha, Ralf Heckel, selecionou a jovem Ekaterina Trúsheva para fazer parte da competição de construção de astronaves para a exploração humana da NASA.

Gerson Belchior.
www.sonoticiaboa.com.br, em 30.4.2014.

 Notícias como esta nos remetem aos ensinos dos Espíritos a respeito da nova geração.  Uma nova geração de Espíritos, conforme lemos em A gênese, quinta obra da Codificação Espírita, de Allan Kardec, no capítulo XVIII, a partir do item 27.

A época atual é de transição; confundem-se os elementos das duas gerações. Colocados no ponto intermédio, assistimos à partida de uma e à chegada da outra, já se assinalando cada uma, no mundo, pelos caracteres que lhe são peculiares.

Cabendo-lhe fundar a era do progresso moral, a nova geração se distingue por inteligência e razão geralmente precoces, juntas ao sentimento inato do bem e a crenças espiritualistas, o que constitui sinal indubitável de certo grau de adiantamento anterior.

Não se comporá exclusivamente de Espíritos eminentemente superiores, mas dos que, já tendo progredido, se acham predispostos a assimilar todas as ideias progressistas e aptos a secundar o movimento de regeneração.

Assine a versão impressa
Leia também