Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2020 Número 1635 Ano 88

Materialização do lírio dourado – 130 anos

julho/2020 - Por Marco Antônio Negrão

Madame d’Espérance (1849/1918)¹ em sessão de 28 de junho de 1890², com o concurso do Espírito Iolanda³, materializou um lírio dourado.

Narra a médium que aquele dia tinha lhe causado grande desconforto. Tivera um acidente doméstico (ao acender um bico de gás, uma fagulha atingira a manga do vestido e queimara-lhe o braço). Durante o dia, sofrera uma persistente dor de dente. No horário do início da sessão, por causa de violenta ventania, que sacudia a casa até aos alicerces, foi cogitada a não realização da sessão. Walter, Espírito coordenador espiritual da reunião, disse que Iolanda desejava fazer uma experiência.

Deixaram na sala um vaso, água e argila, pois, com frequência, acontecia materialização de flores. Iolanda, Espírito, juntamente com Alexandre Aksakof 4, um dos participantes naquela noite, misturaram a água e argila no vaso. O Espírito o cobriu com um véu e, lentamente, o véu foi se elevando até atingir a altura de 7 pés5, tendo onze flores, sendo cinco com floração completa (8’’ de diâmetro)6, três flores abrindo e três em botão. Era um lírio dourado (lilium auratum7).

Iolanda autorizou tirarem fotos e disse que deveria devolver de onde o tirara. Porém, devido ao desgaste físico da médium lhe impossibilitou a desmaterialização.

Ela solicitou que o lírio fosse mantido em penumbra. No dia seguinte, a curiosidade levou os participantes a tirarem mais fotos e o levaram para um local com luz para examiná-lo melhor. Aparentemente, isso dificultou a sua desmaterialização. Ele ficou sete dias materializado. Foram três tentativas para a desmaterialização, o que ocorreu em 5 de julho de 1890.

Os participantes das sessões perguntaram a Walter qual a origem e o local de onde a flor fora retirada, não lhes sendo informado. No entanto, Iolanda deixou uma pista na haste da planta, um pequeno pedaço de pano que, após pesquisas, concluiu-se  ser do Egito, por se tratar de tecido semelhante ao utilizado em embalsamamento.

 

Referências:

¹ Elisabeth d’Espérance (Elisabeth Hope) 1849/1918 – médium de importante projeção, servindo de instrumento para pesquisas de diversos pesquisadores na sua época. (http://www.feparana.com.br/topico/?topico=95)

² D’ESPÉRANCE, E. No país das sombras. Rio de Janeiro: FEB, 1981. cap. XXIII.

³ Iolanda – Espírito descrito como uma moça árabe, entre 15 e 16 anos muito curiosa e que gostava de música.

4 Alexandre Aksakof – 1832/1903  (site http://www.feparana.com.br/topico/?topico=102)

5 Pé – medida que equivale a 0,3048m e representada por um apóstrofo sobre o número indicado. No caso do lírio 7’ que representam 2m, 27cm e 36mm que são 84 polegadas (84’’).

6 8 polegadas (8’’) – representam 20,32cm.

7 Lilium, da família Liliaceae – herbácea florida. A espécie auratum tem bastante fragrância e ocorre em variadas cores. Certas espécies podem atingir até 8’. (site https://www.britannica.com/plant/lily#ref124789)

Assine a versão impressa
Leia também