Jornal Mundo Espírita

Junho de 2020 Número 1631 Ano 88
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Maria da Paz Ribeiro

julho/2018 - Por Maderli Sech, Magali Furlan, Neyda Ulysséa

Pedagoga, psicóloga, com pós-graduação em Psicologia Transpessoal e Parapsicologia, compôs o quadro de conselheiros do Instituto de Cultura Espírita do Paraná, mantenedora das Faculdades Integradas Espírita, que desenvolveu o projeto Universidade Bezerra de Menezes – UNIBEM, em Curitiba, introduzindo a Espiritualidade no Ensino Superior.

Durante trinta anos, ou seja, a partir de 1980, compartilhou momentos de experiência gratificante e edificante na UNIBEM.

Como professora, direcionou seu amplo conhecimento e sua dedicação marcou presença e inspiração no coração de centenas de alunos, que sempre a tiveram no mais alto grau de consideração, pelo exemplo e suas atitudes nobres.

Disse uma aluna, ao saber da sua partida para o Mundo Espiritual: A passagem da professora Maria da Paz nos deixa saudosos, porém, nossa admiração é eterna.  Ajudou muitas pessoas com seus conhecimentos e exemplo de ser humano.  Ficamos em oração, manifestando a nossa gratidão por tudo que  dela recebemos.

Participou, em 1998, do 2º Congresso Espírita Mundial, promovido pelo Conselho Espírita Internacional, em Lisboa, realizando seu grande sonho que era visitar Portugal.

Teve oportunidade, junto a amigos, de alongar a visita por mais alguns dias, dirigindo-se, inclusive à cidade do Porto, onde foi convidada a proferir palestra. Estabeleceu ali laços de amizade, que se prolongaram, através dos anos.

Maria da Paz semeou o bem e acordou muitas consciências para a evolução espiritual.

Na Federação Espírita do Paraná, atuou como evangelizadora, tendo elaborado as primeiras apostilas para a Evangelização Espírita Infantojuvenil.

Amiga da gaúcha Cecília Rocha, vinculada à Federação Espírita do Rio Grande do Sul, uniu seus esforços àquela idealista e surgiram, no território nacional, editadas pela Federação Espírita Brasileira, as  preciosas apostilas de orientação ao ensino da Doutrina Espírita a crianças e jovens.

Em verdade, sua folha de serviços, nessa área, é extensa. As primeiras notícias de sua atuação a encontram como participante da equipe da FEP presente no 1º Congresso de Orientação de Escolas de Evangelização, em Juiz de Fora, no segundo semestre de 1957.

Dois anos depois, em julho, em Cambé (Paraná), Maria da Paz foi uma das coordenadoras do Curso para Orientadores de Ensino de Evangelização para a Infância, ofertado pela FEP.

Quando da realização do Simpósio Centro Sulino, em abril de 1962, Maria da Paz participou como membro das Comissões de Estudo do Simpósio, que tratou de assuntos de interesse geral como Doutrina, Unificação, Educação, Mocidade Espírita e Assistência Social.

Finalmente, em 1967, quando o Departamento de Infância e Juventude da FEP foi desdobrado em Departamento de Infância e Departamento de Juventude, coube a ela a direção do primeiro.

Nascida em 24 de janeiro de 1925, em São Francisco do Sul, Santa Catarina, desencarnou, em 6 de junho de 2018, aos 93 anos, em Curitiba, cidade que escolheu para viver e realizar seu sonho de educadora.

Ela partiu de nossa turbulenta Terra, rumo ao Portal da Imortalidade. Sua amiga e companheira de trabalho na Federação Espírita do Paraná, na área da Evangelização Espírita Infantojuvenil, Magali Furlan, declarou: Tenho a certeza de que foi recebida com aplausos e festa, por aqueles que a antecederam no ambicioso caminho da educação e da evangelização da criança e do jovem.

Que da nova dimensão em que se encontra, com mais liberdade e dilatada visão espiritual, continue nos inspirando e nos ajudando, na difícil, mas sublime tarefa da Evangelização Espírita!

Foto: Acervo FEP

Assine a versão impressa
Leia também