Jornal Mundo Espírita

Dezembro de 2018 Número 1613 Ano 86

Manhã de autógrafos e Palestra no Teatro da FEP

novembro/2018

Para todos os que estávamos saudosos de ouvir Raul Teixeira, na tribuna, foi uma dádiva especial o domingo, 23 de setembro, no Teatro da FEP.

A Manhã de Autógrafos, anunciada com bastante antecedência, com chamadas radiofônicas, inclusive, atraiu grande público que, desde cedo, foi chegando para adquirir o livro ou livros que desejasse e se postar à espera do amigo e orador espírita, abraçá-lo, dizer da alegria em revê-lo.

A Livraria FRÁTER, com Leila e Wilson Reis, no comando, auxiliados por outros voluntários, tomou conta do hall do Teatro que, nesse dia, foi deixado com exclusividade para esse labor.

Livros não faltaram: os da psicografia de Raul Teixeira, os escritos a respeito dele e os infantojuvenis de Cristiane Beira e Cezar Braga Said. Literatura para todas as idades e os gostos mais variados.

E Raul, que chegou alegre, cumprimentando a todos, ficou à disposição, ao lado de Pedro Paulo Legey Junior e o primeiro vice-presidente da FEP, Luiz Henrique da Silva.

Frise-se que, coincidindo a vinda de Raul e Pedro Paulo com a realização de Inter-Regional, no interior do Estado, estavam ausentes o presidente e os diretores de Departamentos, substituindo-os Luiz Henrique e a coordenadora da Comunicação Social Espírita da FEP, Maria Helena Marcon.

Próximo às dez horas, Raul fez uma pausa estratégica para acompanhar a fala do amigo Pedro Paulo, da Sociedade Espírita Renovação, de Niterói, no Teatro. A abordagem girou em torno da Justiça e Amor, título homônimo de obra mediúnica de Raul, que teve seus volumes esgotados, na oportunidade.

Pedro Paulo e Raul vieram ao Paraná, a convite do Centro Espírita Ildefonso Correia, ao ensejo do seu 82º aniversário de fundação e desenvolveram atividades, naquela Casa, no sábado, 22.

Ali foi um seminário à tarde para trabalhadores e uma palestra à noite, também com direito a autógrafos de Raul, cujos livros foram amplamente divulgados e ofertados.

Raul pediu, ao final, para dirigir umas palavras ao público. Uma aragem delicada envolveu os presentes, enquanto ele informava das personagens desencarnadas que ali estavam, na festiva comemoração.

Enumerou trabalhadores do ontem distante e do ontem mais próximo, como Maria Ruth Junqueira e Napoleão Araújo. A primeira, pioneira do trabalho profissionalizante e que tem seu nome ligado à Escola Profissional da FEP. O segundo, que foi presidente da Federação Espírita do Paraná, nos períodos de 1984 -1985, 1989 – 1992 e 1997 – 1998.

Quando finalizou, os aplausos foram muitos. E antes que a mestre de cerimônias desse prosseguimento às atividades, uma senhora rompeu o protocolo e, entre a emoção e a surpresa, disse da sua grande alegria em ouvir a voz de Raul, de quem estava tão saudosa.

Comovida, falou que desejava que ele soubesse o quanto é amado por ela e por muitos, finalizando com rogativa por bênçãos celestes para sua vida.

De forma gentil e aproveitando as preciosas presenças, o Centro Espírita consultou a FEP da possibilidade de atividades de ambos no domingo, o que somente ensejou alegrias.

Antes da palestra, Pedro Paulo e Raul receberam das mãos de Luiz Henrique, exemplares dos mais recentes lançamentos da FEP: o livro A Missão de Allan Kardec, de Carlos Imbassahy e o CD Momento Espírita, volume 33, Brasil.

Maria Helena, que coordenou toda a atividade dessa manhã, disse da grande dívida que o Movimento Espírita, especialmente deste Estado, tem para com Raul Teixeira. Graças aos seus seminários, treinamentos, encontros, ao longo de trinta e sete anos, realizados nas várias regiões, ele determinou o grande diferencial, estabelecendo a linha divisória que assinala o Movimento Espírita Antes e Depois de Raul.

Pedro Paulo conquistou os espíritas paranaenses em outubro de 2017, ao ocupar, pela primeira vez, os microfones da Federativa, em palestra de profundas reflexões.

Após a sua alocução, Raul ocupou a tribuna e o fez por quase dezoito minutos, num verdadeiro preito de gratidão, numa fala pausada, emocionada, rememorando quem o trouxe ao Paraná, por primeira vez: Marcelo Ajuz, jovem que ele conhecera na Mansão do Caminho, em Salvador, na Bahia.

Era o mês de junho, recordou, e foi necessário lhe providenciassem agasalhos para suportar o frio de Curitiba. Sorrindo, disse que, desde então, amou Curitiba, com esse seu clima alternando-se de frio para morno para  invernoso, com sua chuva fina e ar gélido.

Recordou das primeiras viagens ao interior do Estado, com Marcelo, que o levou a Guarapuava, a Cascavel, a Ponta Grossa, apresentando-o aos espíritas paranaenses.

E como estivesse a visualizar outros amigos espirituais que se lhe apresentavam à vidência mediúnica, teceu comentários ainda a respeito de Javier Salvador Gamarra, médico homeopata, desencarnado em 6 de novembro de 2014, que o tratou, aliviando-lhe sintomas de enfermidade que periodicamente o atormentava.

Lembrou das tantas atividades empreendidas, no transcorrer dessas quase quatro décadas de trabalho incessante. Inclusive, ao entrar pela coxia do teatro, recordou das tantas gravações do programa televisivo Vida e Valores e quase num sussurro, deixou escapar: Quanta saudade!

Concluindo suas rememorações, ele encerrou com sentida prece ao Senhor da Vida, retornando ao hall do Teatro para mais autógrafos e cumprimentos, após ter sido demoradamente aplaudido.

Os presentes lhe entenderam o esforço e muitos livros foram vendidos. Houve quem adquirisse mais de um, afirmando ter todas as obras de Raul, mas que estaria levando para presentear alguém ou para ofertar à Biblioteca da Casa Espírita.

Tudo isso porque, além, do conteúdo doutrinário de excelência, todo o produto da venda dos produtos da FRÁTER redunda em favor do Remanso Fraterno, departamento da Sociedade Espírita Fraternidade, em Niterói.

Como tem sido a sua marca registrada, desde o Acidente Vascular Cerebral que o alcançou em novembro de 2011, a quem lhe perguntava Como está você?, respondia, de imediato: Feliz, muito feliz.

E recebeu múltiplos abraços de amigos de longa data, de pessoas que apenas o conheceram de há pouco e de quem o viu, nessa oportunidade, por primeira vez.

Foi uma manhã plena de bênçãos, de gratas surpresas, de convivência fraterna.

À tarde, Pedro Paulo e Raul retornaram aos seus lares, em voo direto Curitiba-Niterói. E nós ficamos aguardando por um retorno breve para reprisar tantos momentos especiais.

Assine a versão impressa
Leia também