Jornal Mundo Espírita

Abril de 2021 Número 1641 Ano 89

Lições para a vida

Jovem com paralisia se forma em letras

março/2021

Andresa Jerônimo ouviu de seus professores, quando era criança, que seria incapaz de aprender a ler e escrever. Ainda bem que ela não acreditou nisso! Hoje, aos 24 anos, essa jovem, que nasceu com paralisia cerebral, acaba de se formar em Letras!

Ela mora em Orlândia/SP e conta que os pais foram seus maiores incentivadores. Foi graças à insistência da mãe, Maria Veríssima, que ela se alfabetizou.

Com seis anos, uma psicóloga me disse que ela não aprenderia nada. Eu discordei, mas ela insistiu nisso, então eu mesma ensinei. Ela aprendeu super-rápido, começou a ler gibi e se apaixonou pelas letras, diz Maria.

A mãe conta que a jovem sempre teve muita força de vontade, o que ajudou no processo de aprendizado.

E foi com essa persistência que Andresa também entrou em uma faculdade de Franca/SP. Ela se matriculou em Letras pelo Ensino a Distância – EAD, concluiu o curso e fez uma sessão de fotos com a família para celebrar a conquista.

Foi muito emocionante. Estou explodindo de alegria. A vitória dela é a minha alegria, diz Maria.

A falta de acessibilidade foi uma das grandes dificuldades que Andresa teve durante a vida escolar. No seu primeiro dia de aula, descobriu que a escola não tinha rampa, o que dificultava e muito o seu acesso, por ser uma cadeirante. Ela tinha apenas oito anos e já sentia o que teria que enfrentar ao longo da vida.

Maria teve que recorrer às Secretarias Municipal e Estadual de Educação, para que a filha ganhasse o direito de fazer o ensino médio como qualquer outro jovem da sua idade.

Ninguém acreditava que ela fosse conseguir. Falavam que ela sabia ler, mas não entendia o que lia, até que uma professora ficou admirada com o texto que ela escrevia e elogiou.

Foi a paixão pela leitura que ajudou Andresa em todo o seu processo de aprendizado. Ela conta que encontrava nos livros o apoio que precisava para enfrentar as dificuldades do dia a dia.

Agora que concluiu sua Faculdade, Andresa quer trabalhar como revisora, mas quer ainda passar pela experiência de lecionar. Ela fez um estágio em uma das escolas onde estudou e gostou da experiência. Também comentou que o prédio agora estava mais acessível.

O que falta são pessoas entenderem que a gente existe e tem direito de viver em sociedade. Somos seres humanos como qualquer pessoa. Sou esperançosa, porque já vi muita gente mudar depois de me conhecer, diz.

Monique de Carvalho
https://razoesparaacreditar.com

Assine a versão impressa
Leia também