Jornal Mundo Espírita

Janeiro de 2022 Número 1650 Ano 89

Lições para a vida

Multiplicador do Bem

dezembro/2020

Ele tem 14 anos e, no mês de outubro, se apresentou no Canta Comigo Teen, interpretando a ária do último ato da ópera Turandot, criada em 1926, por Giacomo Puccini, Nessun dorma, levando os cem jurados a aplaudirem em pé,  emocionados.

Antes de projetar sua voz, nessa noite, ele disse que costuma cantar para sua avó Florinha, portadora de mal de Alzheimer, afirmando que a ele parece que, ouvindo-o cantar, ela lembra dele.

Uso minha voz para projetos sociais, sou voluntário de ONG. Eu sou patriota, apaixonado por este nosso país – disse ainda Bruno Bomfim Bioza.

Revelou que canta desde muito pequeno, e começou por uma causa nobre. Sua mãe teve depressão, e ele cantava para ajudá-la no tratamento.

Ela falava para mim: “Canta, passarinho, canta!” Aí, eu ia lá e cantava para ela.

Em 2018, apresentando-se no musical sobre Chico Xavier, Um cisco, declarou: A música representa um convite para que as pessoas que a ouvem encontrem, dentro delas mesmas, emoções suficientes onde as palavras já não conseguem ser entendidas através da conversa. Minha mensagem é de amor e paz, desviando o olhar das pessoas das diferenças, violências, intolerâncias e preocupações.

Aos 7 anos, Bruno escreveu seu primeiro livro, João pede feijão, com o intuito de ajudar as pessoas do sertão do Nordeste. A venda foi revertida para a ONG Amigos do Bem, iniciada em 1993, hoje, um dos maiores projetos sociais do país. Voltado ao atendimento a pessoas do sertão de Alagoas, Pernambuco e Ceará, vem promovendo a transformação de milhares de vidas por meio de projetos de educação, geração de renda, acesso à água, moradia e saúde.

Um dos objetivos desse menino é transformar o mundo à sua volta. Ele já percebeu que, com a música, a mensagem chega muito mais rápida no coração das pessoas, contou Elaine Bomfim, sua mãe.

Assine a versão impressa
Leia também