Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2020 Número 1634 Ano 88

Lições para a vida

A música que acalenta as almas

setembro/2020

No transcorrer dos meses da pandemia, que estabeleceu o isolamento social e estarrece o mundo com os números de infectados e mortos, muitas ações têm sido registradas.

O que temos observado é que cada qual, a seu modo, busca mitigar a dor, abrilhantar um dia, aconchegar corações.

Nesse particular, a música tem sido extraordinariamente utilizada.

Em Varsóvia, na Polônia, o tenor Leszek Świdziński, da Ópera Real da Polônia, aliado ao Coro de Médicos Medicantus comoveu médicos, enfermeiras e hospitalizados com sua apresentação no pátio do Hospital.

A extraordinária interpretação de Nessum Dorma, da famosa ária da Ópera Turandot, de Giacomo Puccini, foi a peça que levou às lágrimas os que pararam para ouvir, naquele 20 de julho.

Uma pausa no trabalho estafante. Uma pausa para a dor. Um lenitivo para o coração.

As estrofes, na boca do tenor, adquiriram um novo significado, no momento especial em que o seu desejo era homenagear o corpo hospitalar, insuflando-lhes novo ânimo.

 

O meu nome ninguém saberá…

O seu nome ninguém saberá…

Desvaneça-se a noite…

Ocultem-se as estrelas.,.

Ao amanhecer, eu vencerei…

 

Um registro especial merece o Ré Maior de Vencerò (Vencerei) que o tenor manteve por seis compassos…

Sim, venceremos…

Assine a versão impressa
Leia também