Jornal Mundo Espírita

Julho de 2020 Número 1632 Ano 88

Lições para a vida

O outro lado do combate

maio/2020

Não serão os flagelos, igualmente, provas morais para o homem,
por porem-no a braços com as mais aflitivas necessidades?
 

                        Os flagelos são provas que dão ao homem ocasião de exercitar a sua inteligência,
de demonstrar sua paciência e resignação ante a vontade de Deus e que
lhe oferecem ensejo de manifestar seus sentimentos de abnegação, de desinteresse
e de amor ao próximo, se o não domina o egoísmo.
O Livro dos Espíritos – Allan Kardec – pt. 2, cap. VI, q. 740.

 

Vivemos momentos de insegurança e angústia com a possibilidade de transmissão do coronavírus (Covid–19). As autoridades sanitárias, visando diminuir a probabilidade de contaminação, prescreveram medidas de isolamento social.

Essa situação inusitada, mundial, tem servido para o homem colocar em ação sua inteligência, sua criatividade, seu desinteresse e amor ao próximo. É isso que temos acompanhado pelos noticiários e redes sociais.

Aqueles que estão classificados com menor risco de contaminação estão se voluntariando para ajudar aqueloutros que estão em confinamento, enquanto os próprios isolados se desdobram em demonstrar gratidão ou insuflar alegria e esperança a um mundo amedrontado:

  • em cidades da Espanha e Portugal, em horários determinados, previamente ajustados pelas redes sociais, aqueles que estão confinados batem palmas demoradamente para as heroicas equipes da área médica;
  • na Itália, um dos países mais duramente atingidos, pessoas tocam e cantam serenatas. Em Turim, uma cantora lírica e um violinista utilizam as sacadas dos seus apartamentos para oferecerem a música instrumental e cantada;
  • em diversas localidades do nosso país, jovens se prontificam a fazer compras em supermercados e farmácias para idosos, que não devem sair de casa. Bilhetes e cartazes são colocados nos condomínios e prédios a fim de se apresentarem e poderem ser acionados;
  • também em locais do Brasil, está sendo ofertado álcool gel, de forma gratuita ou a preço de custo.

Isso comprova o que assevera o livro básico da Doutrina Espírita: é nos momentos de dor e aflição coletivas que a solidariedade, a abnegação e o desinteresse pessoal se fazem presentes na Humanidade.

Fonte: site g1.globo.com/bemestar – parcial

Assine a versão impressa
Leia também