Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87

Lições para a vida

Lixo lucrativo

abril/2019

Uma tecnologia inédita na América Latina foi implantada, com sucesso, no aterro de Seropédica, na baixada fluminense do Rio de Janeiro.

Desenvolvido por uma empresa privada, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e financiamento do BNDES, o projeto transforma lixo em dois produtos lucrativos.

O lixo, recolhido por empresa de coleta urbana do Rio de Janeiro, é depositado em câmaras com capacidade para armazenar até duzentas e cinquenta toneladas.

Fica ali, sem a presença de oxigênio, durante trinta dias e recebe o despejo de um líquido preto composto por bactérias, que aceleram a decomposição da matéria orgânica.

No final do processo, é possível ter dois produtos: o primeiro é um composto orgânico rico em carbono e nutrientes, pronto para ser utilizado como adubo.

O segundo é o biogás, resultado do processo de decomposição da matéria orgânica, que é expelido por uma abertura no teto das câmaras e armazenado em uma grande bolsa de lona.

O gás produzido é suficiente para gerar energia elétrica para mil, seiscentas e cinquenta casas por mês, abastecer uma frota de mil veículos de passeio ou boa parte da frota de caminhões que transporta lixo para o aterro sanitário.

A substituição do diesel pelo biogás, além de baratear o custo do combustível, beneficia o meio ambiente pois reduz as emissões de gases de efeito estufa e pode significar o decréscimo da dependência nacional do diesel importado.

Bem sucedido, este projeto, que possui tecnologia nacional, pode ser a solução para a questão da destinação do lixo de pequenas, médias e grandes cidades.

https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2018/11/projeto-
piloto-inedito-brasil-transforma-lixo-america-latina/35259

Assine a versão impressa
Leia também