Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87

Lições para a vida

Deixou cadeira de rodas e virou personal trainer

novembro/2014

A história desse rapaz mostra como é importante não desistir.

Quando tinha nove anos, Adam Low teve um tumor cerebral, foi operado e ficou dois anos em uma cadeira de rodas.

Os médicos disseram que ele nunca mais voltaria a andar.

Mas, a sua paixão pelo esporte, e olhar os amigos correndo e jogando, fizeram-no desafiar o diagnóstico médico.

Adam Low, de Sunderland, localidade do Reino Unido, usou toda sua determinação.

Na adolescência, lentamente, aprendeu a ficar em pé e a andar.

Depois, conseguiu correr e, finalmente, praticar esportes.

Com a ajuda de um tapa-olho, superou, quase totalmente, sua falta de equilíbrio e embarcou em seu sonho de ser instrutor de fitness, um personal-trainer.

Assim que comecei a andar novamente, notei mudanças em mim, e eu queria ajudar outras pessoas que tiveram dificuldade com a aptidão, disse ao Daily Mail, um dos mais populares jornais britânicos.

Para passar a vida ajudando as pessoas, Adam Low abriu uma empresa para treinar pessoas, a Adam Low Personal Training.

Hoje, ele dá aulas de fitness  cinco vezes por semana.

Meu plano inicial era ajudar as pessoas com deficiência, mas pensei que não seria o suficiente, então comecei a ajudar as pessoas que queriam perder peso também.

Se ele superou todos os problemas? Não.

Meu equilíbrio ainda não é perfeito; quando estou andando, às vezes, eu tropeço. 

Eu aprendi a viver com isso, corrigir e seguir em frente. Agora, o objetivo é inspirar outras pessoas a superar seus maiores desafios.

 

Este exemplo de superação, publicado no site www.sonoticiaboa.com.br, em 7 de setembro de 2014,  nos diz da importância da luta pelo que se deseja. Em texto do Momento Espírita (www.momento.com.br), intitulado Aos que desejam desistir, colhemos reflexões oportunas:

Por que desistir da vida, se ela nunca desiste de nós?

Por que desistir dessa grande oportunidade, se ela foi tão arduamente conquistada por nós, antes de voltarmos a nascer?

Sabíamos das provas que iríamos enfrentar aqui, aliás, viemos aqui justamente para isso, para suportar, e suportando com bravura, crescer interiormente.

Se não são as provas que nos assustam, mas sim expiações duríssimas que a lei nos impõe, encaremo-las como o momento da redenção, da libertação do sofrimento prolongado e indefinido.

O segredo da felicidade não está na vida de mansuetude, mas nas vitórias logradas sobre as batalhas diárias.

Cada vitória, uma felicidade a mais.

Aos que desejam desistir, força sempre! Quem resiste bravamente cresce e é feliz, mesmo em meio aos desafios.

Assine a versão impressa
Leia também