Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Lições para a vida

Amor à vida

outubro/2016

O aborto é um assunto muito polêmico, mas a verdade é que mulheres do mundo inteiro, pelas mais variadas razões, continuam a se desfazer dos filhos.

Em 2001, um vietnamita chamado Tong Phuoc Phuc foi para o hospital com a esposa grávida, alguns dias antes de o filho nascer. Enquanto lá esteve, reparou que muitas gestantes entravam na sala de operações, mas saíam sem os bebês. Ele ficou intrigado. Quando descobriu a razão, não conseguiu conter as lágrimas.

Elas estavam lá para abortar. Tong ficou muito triste ao pensar que aquelas crianças estavam sendo privadas do direito à vida. E resolveu fazer algo emocionante.

O antigo trabalhador da construção civil perguntou se podia levar os corpos dos abortados para sepultar. Comprou um terreno, no topo de uma colina, chamada Hon Thom, em sua cidade, Nha Trang, situada no sudeste do Vietnã, com as suas escassas economias, e fez um cemitério para os fetos.

Em quinze anos, já sepultou mais de dez mil bebês. Mas, a verdadeira intenção desse homem não era somente dar-lhes um enterro digno.

Tinha como objetivo maior sensibilizar as grávidas que estivessem em dúvida quanto a abortar seus bebês. Muitas mulheres foram lhe pedir conselhos e ajuda.

Para aquelas mães, que não tinham posses para cuidar dos filhos, ele se propôs a adotá-los, até que elas pudessem voltar a ficar com eles. Não sendo possível, ele próprio passou a criá-los e educá-los.

Atualmente (junho 2016), Tong dá abrigo a mais de cem crianças. Como são muitos nomes para decorar, ele resolveu chamar todas as meninas de Coração, e os meninos de Honra. Ele cuida de todos eles como se fossem filhos biológicos.

Continuarei esse trabalho até o dia em que morrer, e espero que meus filhos continuem a fazer o mesmo quando já não estiver no mundo.

http://historiascomvalor.com

Assine a versão impressa
Leia também