Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Lições para a vida

Professores vão na obra ensinar pedreiros a ler

novembro/2015

Professores da UNESP, Universidade Estadual Paulista, trocaram o campus por um canteiro de obras para ensinar pedreiros de Araraquara, no interior de São Paulo.

Durante parte do dia, pedreiros e serventes se reúnem para assistir a aulas e, aos poucos, estão aprendendo a ler e escrever.
Dezessete  funcionários estudam na obra, duas horas por dia, em uma sala ao lado do prédio que estão erguendo.

O material utilizado foi confeccionado, especialmente com palavras e fotos que remetem ao cotidiano da construção: ferramentas, objetos do trabalho ou que eles conhecem da casa, um carro, uma moto, para que tenham mais facilidade de memorização, explicou o professor Mazzeu Neto.

A ideia surgiu quando a construtora resolveu trabalhar apenas com pessoas alfabetizadas. Para não demitir quem não sabia ler e escrever, a empresa resolveu investir em cada um.  As horas que os funcionários passam estudando contam como jornada de trabalho e são remuneradas.

Seria “prejuízo”, mas, em contrapartida, estamos oferecendo instrução para eles, afirmou Maria de Lourdes Lourenço, administradora de recursos humanos da empresa.

 Oportunidade 

Pai de família, o servente José Sebastião nunca teve a oportunidade de estudar e agora desvenda as primeiras palavras.

Aos  cinquenta e seis anos, José de Lima Araújo também está aproveitando a oportunidade e se surpreendendo com as descobertas.

Investimento 

A Prefeitura, que doou livros, cadernos, lápis e réguas, pretende expandir o projeto, verificando junto a outras construtoras, para localizar onde estão essas pessoas que não sabem ler e escrever e estender a parceria, contou a secretária de Educação, Arary Ferreira.
E, para quem já integra o programa, não faltam planos para o futuro:
Vou dar o máximo para aprender, pelo menos saber ler alguma coisa, completou o pedreiro Vilmar Pereira da Silva.

Que bela lição de vida: de quem investe no ser humano, a fim de melhor qualificá-lo e de quem, com décadas de vida, se dispõe a aprender, abandonando a ignorância das letras para abraçar o mundo novo do conhecimento.

www.sonoticiaboa.com.br, de 5.5.2015.

Assine a versão impressa
Leia também