Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Lições para a vida

Jovem começa a retirar plástico do oceano: toneladas

outubro/2015

Em novembro de 2014, Jornal Mundo Espírita enfocou na coluna Anúncios da Nova Era, o projeto revolucionário do jovem holandês Boyan Slat: criar uma série de barreiras flutuantes, ancoradas no leito do mar. Juntas, elas deveriam capturar e concentrar os detritos flutuantes. O plástico se moveria ao longo das barreiras no sentido de uma plataforma, onde seria extraído de forma eficiente.

A corrente oceânica passaria por baixo das barreiras, levando toda a vida marinha flutuante com ela. Não haveria emissões nem redes para a vida marinha se enroscar. O plástico coletado no oceano seria reciclado e transformado em produtos ou em óleo.
Em 2011, quando tinha apenas dezesseis anos, ele teve a ideia, quando mergulhava na Grécia e viu mais sacos plásticos do que peixes.

Declarou ele: Todo mundo me disse: “Ah, não tem nada que você possa fazer com os plásticos depois que eles chegam aos oceanos”, e eu me perguntei se isso era verdade.

Em agosto do ano em curso, ele começou a realizar seu sonho de retirar toneladas de plástico que poluem os oceanos, demonstrando sua tenacidade e perseverança, a vontade de fazer a diferença no mundo.

O primeiro passo para colocar este projeto em prática era criar um mapa para avaliar a posição exata do lixo.

E isto é exatamente o que fez uma frota de trinta barcos, cuja missão foi percorrer as águas do Oceano Pacífico, entre o Havaí e a costa oeste dos Estados Unidos.

 

O plástico
Entre os últimos trinta e quarenta anos, milhões de toneladas de plástico entraram nos oceanos.

A produção mundial de plástico é de duzentos e oitenta e oito milhões de toneladas por ano, das quais 10% acabam no oceano. A maioria – 80% – é proveniente de fontes terrestres.

O lixo é arrastado por ralos e esgotos e acaba nos rios. O plástico é transportado por correntes para cinco sistemas de água rotativos, chamados de giros, nos grandes oceanos, sendo o mais famoso a enorme Mancha de Lixo do Pacífico, entre o Havaí e a Califórnia.

www.sonoticiaboa.com.br – 11.8.2015.

Assine a versão impressa
Leia também