Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87
Sugestão de Leitura Envie para um amigo Imprimir

Liberta-te do mal

março/2015 - Por Marco Antônio Negrão

Sim, em todos os pontos do Globo vão produzir-se as subversões morais e filosóficas; aproxima-se a hora em que a luz divina se espargirá sobre os dois mundos.

Ide, pois, e levai a palavra divina: aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque, principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação terrena, encontrareis fervor e fé. Ide; estes receberão, com hinos de gratidão e louvores a Deus, a santa consolação que lhes levareis, e baixarão a fronte, rendendo-lhe graças pelas aflições que a Terra lhes destina.

Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! o arado está pronto; a terra espera; arai!

Ide e agradecei a Deus a gloriosa tarefa que Ele vos confiou; mas, atenção! entre os chamados para o Espiritismo muitos se transviaram; reparai, pois, vosso caminho e segui a verdade.

O Evangelho segundo o Espiritismo, Allan Kardec, cap. XX,  item 4.

 

Vive-se uma atualidade muito complexa na sociedade terrestre, inicia a Benfeitora Espiritual Joanna de Ângelis, na apresentação desta obra, psicografada por Divaldo Pereira Franco, publicada pela EBM Editora, em dezembro de 2011.

Comenta que a luz da inteligência expande-se, iluminando o conhecimento humano e, em contradição a isso, as atitudes da Humanidade demonstram que as trevas ainda estão presentes no seu dia a dia.

Menciona as contribuições inimagináveis da medicina, nos diagnósticos de doenças, nos transplantes, nos remédios que possibilitam ao homem ter uma existência amena e saudável, enquanto alguns buscam a satisfação na drogadição, na volúpia dos prazeres desenfreados que dilapidam as energias sagradas do organismo, instrumento de progresso do Espírito imortal;

a ciência psicológica, que avança no diagnóstico e cura dos transtornos do comportamento, onde o homem se debate na depressão, na loucura, nos desvios de todas as matizes, na fuga da vida.  Tudo isso ligado ao desassossego da sociedade que valoriza o ter em detrimento do ser;

novas tecnologias para a produção de alimentos enquanto ainda permanecem grandes contingentes de pessoas com fome. A FAO (Food and Agriculture Organization – órgão das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) divulgou o relatório O estado de insegurança alimentar no mundo (SOFI-2014), no qual informa que um em cada nove habitantes da Terra sofre de fome crônica.

Por que tudo isso?

A Humanidade apresenta um progresso intelectual, que lhe tem possibilitado os avanços tecnológicos porém,  não o progresso moral, que permitira ajustar todas as diferenças entre os homens, num auxílio mútuo: os mais fortes ajudando os mais fracos, os mais brilhantes ajudando os menos brilhantes.

A questão 780 a. de O livro dos Espíritos bem dimensiona a situação em que se encontram os homens:

Como pode o progresso intelectual engendrar o progresso moral?

“Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.”

Na questão 785, Kardec, com sua capacidade de questionamento, visando entender todo as dificuldades para se avançar na senda do Bem, pergunta:

Qual o maior obstáculo ao progresso?

“O orgulho e o egoísmo. Refiro-me ao progresso moral, porquanto o intelectual se efetua sempre.”

Estes comentários iniciais assinalam muito bem o que Joanna de Ângelis trabalhará, nos trinta e um capítulos do livro: as dificuldades que têm origem no aspecto moral em que se situa a Humanidade.

E sua argumentação é de que o homem precisa ir se libertando do mal, que paralisa o progresso espiritual.

São capítulos belíssimos, dos quais destacamos Epístola ao menestrel de Deus; Tempo de renovação; Sacrifício por amor; Portal para o triunfo; Beneficência e promoção humana e Rei solar, este o que encerra a excelente obra de duzentas páginas.

Nas palavras da própria benfeitora espiritual: Tudo quanto anotamos já tem sido apresentado por estudiosos sérios e interessados nos comportamentos felizes, assim como por sociólogos e psicólogos, religiosos e cidadãos afeiçoados ao Bem.

O nosso trabalho encontra-se, porém, enraizado nos textos do Evangelho de Jesus e nas seguras orientações que os Espíritos trouxeram ao mundo desde o dia do surgimento de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, a 18 de abril de 1857 e as obras que foram publicadas depois pelo insigne codificador.

São o resultado da nossa própria experiência, assim como da experiência de milhões de indivíduos que optaram pelo Bem em luta incessante para a libertação do mal, que ainda vige no íntimo de todos os seres humanos, como herança doentia do processo grandioso da evolução antropológica e psicológica através das sucessivas reencarnações.

Com este modesto contributo, esperamos cooperar com as pessoas sinceras e afeiçoadas ao amor e à verdade, a fim de que não desanimem nunca no afã da edificação e da vivência do amor, conforme o Mestre de Nazaré nos ensinou, em todas e quaisquer situações em que se encontre.

…E o amor solucionará todos os problemas, por mais intrincados se apresentem.

Assine a versão impressa
Leia também