Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Kardec, o homem por trás do nome

julho/2019

O filme de Wagner de Assis, que estreou em maio, movimentou os companheiros espíritas do nosso Estado.

Não conseguimos mensurar, com exatidão, tudo que ocorreu. Mas as notícias nos dizem do trabalho empreendido pelas UREs, Casas Espíritas ou trabalhadores, individualmente, na divulgação e organização de caravanas a fim de se deslocarem para a cidade onde estava sendo exibido, considerando que nem todos os municípios o receberam.

No litoral, as duas sessões de estreia do Cinesystem, em Paranaguá, ficaram lotadas. O filme se manteve em cartaz por duas semanas, e continuou a receber caravanas de Antonina, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Pontal do Paraná, além dos parnanguaras.

Em Mafra (SC), cidade que limita com Rio Negro, sede da 3. Ure, o Cine Imacite teve tomados seus 700 lugares na primeira sessão e as pessoas se deslocaram de suas cidades de origem, para se fazerem presentes.

Companheiros de Santo Antônio da Platina, por sua vez, se organizaram e se dirigiram a Londrina.

Também para Londrina se dirigiram os espíritas de Cornélio Procópio, lotando um ônibus de 42 lugares.

Os espíritas da 6. URE  rumaram de Apucarana, Arapongas, Jandaia do Sul para Londrina ou Maringá.

Em Maringá, o sucesso foi grande. Os três cinemas locais receberam quase dois mil espíritas, conforme anotações da 7. URE. A Associação Espírita de Maringá, tomou a si a incumbência da venda antecipada de ingressos.

Em Campo Mourão, na estreia, os duzentos assentos do cinema local foram tomados pelos trabalhadores espíritas. A Sociedade Espírita Meimei suspendeu os três grupos de estudos, a fim de que o comparecimento fosse total. Caravanas vieram de Cianorte, Goioerê, Peabiru e Ubiratã, nos dias seguintes.

Em Guarapuava, as gestões dos espíritas junto ao cinema local, iniciaram em abril. O filme disputou sua projeção com outros, mas venceu pela intensa votação pelo facebook do Cine XV. Algo semelhante ocorreu em Cascavel.

Na sala do Cine Gracher, em Pato Branco, com capacidade para 140 espectadores, ficou em cartaz duas semanas, recebendo os espíritas patobranquenses e as caravanas de Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Palmas. Também de São Lourenço do Oeste, do vizinho Estado catarinense.

Na região metropolitana de Curitiba, intensa foi a movimentação e vários foram os registros de caravanas deslocando-se para a capital.  A Casa Espírita Luz e Caridade Dom Bosco, de Fazenda Rio Grande compareceu com a Juventude Espírita;  o  Grupo Espírita Caminho da Fé, de Araucária e Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade, de Piraquara trouxeram os trabalhadores.

 A Casa Espírita João Ghignone empreendeu diversos contatos com o Cineplus e o filme foi exibido em Campo Largo, com venda prévia de ingressos pelo Centro Espírita, que conseguiu, ainda, preço promocional e o Centro Espírita Caminho do Evangelho se programou e compareceu às sessões em São José dos Pinhais.

Em Curitiba, o Centro Espírita Luz do Evangelho teve sala exclusiva no Cinesystem, em  uma das sessões; o Centro Espírita Luz da Caridade se organizou e se fez presente, em grupos e dias diversos, bem como a Associação Beneficente Espírita Caminheiros do Bem e a  Casa Espiritualista Cristã Obreiros da Paz.

O União Espírita Os Caminheiros do Bem suspendeu um dos grupos de estudo para o comparecimento de todos os seus integrantes.

Contou-nos o presidente da FEP, Adriano Lino Greca, que na sessão em que compareceu, encontrou um número expressivo de espíritas conhecidos e, ao final, a pedido de alguns, posou para fotos ao lado deles e do cartaz de Kardec.

Muitos desejaram registrar aquele momento especial: KARDEC no cinema!

Temos  certeza de que  outros movimentos devem ter ocorrido em nosso Estado. Registramos os que nos chegaram em tempo hábil para esta edição.

Esperamos que logo o filme esteja em outros países, em ampla distribuição, à semelhança do que ocorreu com Nosso Lar.

Assine a versão impressa
Leia também