Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

José Jorge

abril/2007 - Por Antonio Lucena

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, no dia 11 de agosto de 1931, filho do casal Felipe José e D. Mercedes Roiz, José Jorge realizou seus primeiros estudos em escolas nas imediações de sua residência, ingressando, posteriormente, na Universidade do Rio de Janeiro, onde licenciou-se em Letras Neo-Latinas.

Foi professor, naquela Universidade, de Português, e Didática de Línguas Neo-Latinas, lecionando, posteriormente, Português e Francês no Colégio Pedro II. Como professor, poeta, escritor e tradutor de francês, publicou cerca de 20 obras.

Pioneiro do Ensino Secundário no bairro Ricardo de Albuquerque, no Rio de Janeiro, onde fundou o Colégio Ricardense, José Jorge foi agraciado, em 1974 com a Medalha Anchieta, pelo Estado da Guanabara. Além de outras publicações, editou, pelo Centro Espírita Léon Denis os seguintes livros: Ilustrações Doutrinárias (volumes I e II); Allan Kardec no Pensamento de Léon Denis; Índice Remissivo de O Livro dos Espíritos (3 volumes); Antologia do Perispírito e Relembrando Deolindo (volumes I e II).

É muito difícil dizer tudo o que José Jorge realizou no  Espiritismo. Convivemos com ele desde 1948, por ocasião do Congresso de Mocidades Espíritas do Brasil, criação do Prof. Leopoldo Machado, a maior epopeia Espírita realizada no Brasil e no Mundo, de 18 a 25 de julho de 1948, no Rio de Janeiro.

Participou de inúmeros Congressos, em quase todos os Estados brasileiros, Semanas Espíritas, Encontros, Cursos, Inaugurações, Fundações de Casas Espíritas e, até, de Federações Estaduais, como as de Roraima e Amapá.

Professor e fundador do Instituto de Cultura Espírita do Brasil (ICEB); fundador da Associação Brasileira de Jornalistas e Escritores Espíritas e da Associação dos Divulgadores do Espiritismo, participou do Pacto Áureo, em 1949, pela Federação Espírita Brasileira (FEB), atuando ativamente  na constituição do Museu Espírita do Brasil, hoje sediado na FEB, em Brasília.

José Jorge foi um dos expositores espíritas mais solicitados , não só no Rio de Janeiro, como em todos os Estados, o que motivava constantes viagens, por todo o país. Foi amigo incondicional de todos os Presidentes da Federação Espírita Brasileira e filantropo, por excelência, muito especialmente do Dr. Antônio Wantuil de Freitas.

Padecendo do Mal de Parkinson, foi hospitalizado em diversas ocasiões, demonstrando, sempre, paciência e confiança em Jesus. No dia 11 de dezembro de 2006, em sua residência, no aconchego da família, José Jorge entregou sua alma a Deus, ingressando na Espiritualidade. Seu corpo foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, no bairro de Paciência, no Rio de Janeiro, com grande acompanhamento.

11ª Confraternização de Mocidades Espíritas do Paraná
Autor: desconhecido

Assine a versão impressa
Leia também