Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Trabalhadores do Bem Envie para um amigo Imprimir

João Ghignone

abril/2008

Este incansável tarefeiro, nasceu na cidade de Serrovale, na região italiana da Sévia, em 11 fevereiro de 1889, ano da Proclamação da República Brasileira.

Ao desencarnar em 8 de junho de 1978, aos 89 anos de idade, deixou uma das mais profícuas sementeiras espíritas do País.

Durante 50 anos foi membro do Conselho Deliberativo da Federação Espírita do Paraná.

Participou do Movimento Federativo Estadual por cerca de 60 anos.

Presidiu a FEP por 46 anos. De 1932 a 1978.

Em sua gestões foram construídas as mais expressivas obras da Federação, tais como: o Albergue Noturno, o Sanatório Bom Retiro, o Lar “Icléa”, o Lar “Hercília de Vasconcellos”, a Creche “Mariinha”, a Creche “Josefina Rocha”, o Instituto “Lins de Vasconcellos”, entre outros.

Atuava administrativa e doutrinariamente, viajando com as enormes dificuldades da época, para as cidades do interior. Levava a mensagem espírita e as orientações necessárias ao sucesso das instituições, ante as perseguições movidas pelo fanatismo religioso.

Foi casado com a senhora Itália Dall’Igna com quem teve 8 filhos.

Foi músico, tipógrafo, dono de restaurante. Vindo para Curitiba, estabeleceu-se como livreiro a partir de 1925.

O reitor da Universidade Federal do Paraná, Dr. Algacir Munhoz Mader, referindo-se a Ghignone, disse, emocionado: “Ainda há gente boa neste mundo. Gente que pode recordar o passado com tranquilidade e paz de espírito, porque nunca conheceu o mal como João Ghignone, cujas virtudes vão além, pois dispende suas melhores energias com a simplicidade que todos lhe admiram para minorar o sofrimento alheio

Assine a versão impressa
Leia também