Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2020 Número 1634 Ano 88

João de Mattos Lima

novembro/2019 - Por Maria Helena Marcon

Desencarnou Joãozinho, como era carinhosamente nominado, cem anos completados em fevereiro. Comemorados numa festa de alegria e de muitas recordações, que a lucidez dele permitiu.

Trabalhador de anos passados, foi homenageado pela Federativa, que lhe reconheceu os esforços, em várias oportunidades: foi banner da VII Conferência Estadual Espírita; foi retratado em folders de mensagens, em 2005 e 2009; recebeu placa de agradecimento em 23.8.2014 e especial pelo seu centenário, em fevereiro de 2019; recebeu referências, em artigos específicos, neste Jornal, em fevereiro de 2000 e novembro de 2014, além de texto do Momento Espírita, que foi ao ar em 1º.4.2019.

A partir de 2013, quando dificuldades de translado principiaram a lhe ocasionar impedimentos para comparecimento ativo, foi eleito membro honorário do Conselho Federativo Estadual que, até então, integrara.

Regressou ao Mundo Espiritual em 23 de setembro, próximo às 2h da madrugada. A primavera rompera no dia anterior e para ele, agora, era o anúncio da aurora do Espírito liberto.

Partiu sereno como foi sua vida. Deixou muitos amores: familiares, amigos, idealistas da Doutrina Espírita, trabalhadores do Movimento Espírita.

No corpo, que ficou na Capela Esmeralda, em Curitiba, para visitação, portava na lapela do terno o bóton da FEP.

Segundo a filha, Juvita, ele não ia a lugar nenhum sem ele.

A emoção nos disse que, na Espiritualidade, será seu emblema de trabalho.

Joãozinho dizia que o que o entristecia, na vida, era a impossibilidade de prosseguir no trabalho, tanto quanto apreciaria.

O trabalho espírita, afirmava, lhe fazia falta.

No entanto, a coluna Revista Espírita, do Jornal Mundo Espírita, iniciada em novembro de 2011, era de sua responsabilidade. Sua era a seleção dos textos. Diga-se, adiantando-se, deixou textos prontos até a edição de dezembro.

Optando pela cremação, manifestou o desejo de que as cinzas fossem jogadas na Ponta da Pita, em Antonina, lugar de sua predileção.

Assine a versão impressa
Leia também