Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Inter-Regional Centro

União da Vitória

maio/2011

Com efeito, um nome sugestivo: União da Vitória…

Os principais teóricos da Psicologia Social, particularmente da Dinâmica dos Grupos – que é a ciência que analisa os processos, as forças, os elementos que atuam sobre o desenvolvimento dos grupos e das relações interpessoais – afirmam que o processo de união começa com a convivência, que gera a confiança, e esta, por sua vez, pode facultar um exercício de poder ou de papéis mais consciente, portanto mais saudável.

Logo, não é senão a partir do esforço pessoal de cada trabalhador, de cada dirigente, que se estabelece o clima para a formação da verdadeira família espírita, na medida em que fazemos esforços para estarmos juntos.

Foi assim que vimos, no caso da Inter-regional Centro, o confrade Danilo Luz sair sozinho de Maringá e dirigir seu carro até União da Vitória, deixando esposa e filhas na retaguarda. Vimos, também, a equipe do Setor de Estudos da Doutrina Espírita da FEP, liderada pelo Dr. Marcelo Kolling, sair de Curitiba na sexta-feira, deixando seus compromissos profissionais, indo a Cascavel para a realização de um workshop específico para coordenadores de grupos de estudos na sexta à noite e no sábado até 13 horas, chegando a União da Vitória perto de 21h, no próprio sábado, a fim de confraternizar, de estar junto, de aproximar e fortalecer os laços que sustentam o processo de Unificação do Movimento Espírita Paranaense.

Foi realmente assim, nesse clima da mais absoluta cooperação e empenho, que se deu o encontro da Inter-regional Centro, verdadeira festa de almas, que congregou a Diretoria da FEP e as URE 12ª e 15ª, sediadas em Guarapuava e União da Vitória respectivamente.

Como no ano anterior, União da Vitória foi a cidade que acolheu a todos, de forma impressionantemente comovedora. A recepção foi permeada pelo carinho da valorosa equipe da 15ª URE, que possui uma equipe de 7 confreiras, todas uniformizadas, que fizeram, já pela segunda vez, a recepção e o atendimento dos participantes, com alegria no semblante, o sorriso permanente na face, num clima sustentado pela legítima fraternidade e que impressionou sobremaneira os integrantes da diretoria executiva da FEP, além dos representantes das Casas das URE integrantes, como Guarapuava e Cruz Machado.

Sábado, 20h, abertura do evento

Durante cerca de 2 horas, como habitualmente se faz, reuniram-se os presidentes e os demais representantes das Casas Espíritas da 12ª e 15ª URE com a Diretoria da FEP.

Logo na abertura, os convidados puderam assistir ao vídeo institucional da FEP, disponível no endereço www.youtube.com/canalfep (institucional), com duração de 10 minutos, contendo a história de 108 anos de atividades promotoras do progresso intelectual e moral do ser humano, em diversos setores de atuação. Uma história fascinante, sem dúvida alguma.

A mesa diretiva do encontro foi formada por Luiz Henrique (1º vice da FEP), Élcio Borges (2º vice-presidente da 15a URE – União da Vitória), Francisco Ferraz Batista (presidente da FEP), Ivan de Souza Dutra (presidente da 12ª URE – Guarapuava), Daniel Dallagnol (2º vice da FEP), Marcelo Ville (1º vice da 15a URE), José Góes.

O confrade Élcio Borges, representando a URE anfitriã, deu as boas-vindas e agradeceu pela presença de todos.

Francisco, evocando os efeitos maravilhosos da extraordinária XIII Conferência Estadual Espírita, fez referência às manifestações que chegaram à FEP após sua realização. Foram cerca de cem e-mails, todos tecendo elogios, destacando o Presidente que o bom êxito foi o resultado da participação dos trabalhadores voluntários e dirigentes que deram sustentação ao trabalho com amor e fraternidade; mencionou também o recebimento de mensagens no facebook, entre as quais nenhuma reclamação quanto aos trabalhos e organização do evento.

Foram dezenas de milhares de pessoas presentes. Não houve qualquer percalço, o que deve também ser creditado à presença dos bons Espíritos que fizeram a sua parte no bom êxito do evento; catorze países conectados à XIII Conferência e um público em torno de cem mil pessoas.

Embalado pelo entusiasmo e sensibilizado com os resultados positivos, Francisco concluiu anunciando que colocou a FEP como candidata a sede do IV Congresso Espírita Brasileiro, em Curitiba.

Logo após, manifestaram-se os dirigentes das URE, representantes da FEP nas regiões.

Marcelo Ville, inicialmente agradeceu pela presença de todos, asseverando que o Movimento Espírita regional está demarcado em antes e depois da criação da 15a URE, e que a FEP, em consequência, num trabalho gigantesco no Estado, chegou definitivamente às Casas Espíritas locais, o que dá oportunidade a realizações como a que ocorre nesta data; que as Casas Espíritas têm suas dificuldades, pois são células frágeis e que necessitam desse apoio, dessa presença, e essa presença tem sido marcada de maneira permanente pela URE e pela FEP. Disse, ainda, que o ano 2010 foi o mais importante do Movimento Espírita na região. Agradeceu pela confiança na criação da URE local, enfatizando que a união regional é de aprendizado no trabalho, e que esta visita, esta incursão, no segundo ano consecutivo, fortalece o ânimo de todos; destacou o esforço na realização de palestras, seminários, reuniões ordinárias do Conselho Regional Espírita, reuniões com os departamentos dos Centros. Encerrou a sua fala tecendo elogios ao excelente trabalho de organização da XIII Conferência Estadual Espírita.

Dando continuidade às manifestações, Ivan de Souza Dutra, presidente da 12ª URE, cumprimentou e agradeceu pela presença de todos, acrescentando que na última reunião, houve o planejamento para 2011, e que uma das propostas foi retomar o intercâmbio de palestras que existia no passado entre as casas, com palestrantes dos próprios Centros, estabelecendo-se agenda de exposições até o final do ano (Guarapuava, Prudentópolis e Laranjeiras do Sul); além disso, foi retomado o SERESP (Seminário Regional Espírita), onde o palestrante expõe tema da URE com abertura para perguntas pelo público acadêmico; também a retomada da feira regional do livro espírita em local público, agendada para maio próximo, em Guarapuava. Para a as demais cidades serão definidos os locais.

Destacou que todas essas atividades estão sendo revitalizadas com grande apoio da FEP, o que permitiu um engajamento dos trabalhadores novos e resultados surpreendentes. Todas as Casas Espíritas estão trabalhando na organização da Feira do Livro Espírita. Outra grande novidade é a criação de uma comissão para elaboração do projeto COMO CONSTRUIR UMA CASA ESPÍRITA, com ajuda da FEP; também será realizada neste ano a CEME – Confraternização de Mocidade Espírita. Então, são muitas atividades que visam, sobretudo, à congregação da família espírita em torno de objetivos comuns.

Luiz Henrique, primeiro vice, relatou que a FEP investiu no Recanto Lins de Vasconcellos, com o objetivo de unir os espíritas na formação doutrinária para melhor divulgar o Espiritismo. O Recanto possui, hoje, a casa sede; três alojamentos para hospedagem de 180 pessoas; Centro de Treinamentos, que funcionará em regime de hotelaria, com capacidade para 64 hóspedes; cozinha e refeitório para atender de 400 a 500 pessoas e anfiteatro para 500 pessoas. Essa estrutura servirá não só para os paranaenses, mas também para os companheiros de outros estados, multiplicadores de metodologias e conteúdos para as regiões onde atuam.

Além disso, informou que o Hospital Bom Retiro tem hoje 240 leitos, sendo 160 para atendimento do SUS, e convênio com a Prefeitura Municipal de Curitiba, com dois CAPS e internamente um CAPS II (saúde mental), hospital dia, hospital dia particular e ambulatorial. Finalizou a sua fala lembrando que a FEP possui, além das livrarias Mundo Espírita e daquelas que atuam nas próprias Casas Espíritas, pontos de venda dos produtos FEP em meio não espírita. Enfatizou que a Editora FEP tem catalogados, em sua livraria, cerca de 500 produtos de produção própria, entre CD, DVD e livros. Nos próximos anos teremos em torno de mil pontos de venda, o que constitui a meta. Além disso, foram estabelecidas parcerias com 6 federativas que possuem pontos de venda, com possibilidade de ampliação.

Daniel Dallagnol, segundo vice, complementando o que foi apresentado no vídeo institucional, disse que a FEP tem diversas frentes que também são frentes doutrinárias. Exemplificando, disse que “quando a FEP atua no atendimento à comunidade, também atende aos seus fins”. Nesse passo, a Escola Profissional Maria Ruth Junqueira oferta 35 cursos profissionalizantes e 16.000 certificações por ano, de forma gratuita, promovendo a Sociedade, engendrando o progresso e ensejando a autonomia das pessoas que buscam capacitação. A FEP não atua apenas em torno de 320 Casas filiadas que promovem a inserção social, pois também faz esse papel de assistência social. São mais de 650 crianças nos CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL em Curitiba e Campo Largo, além dos resultados alcançados pela Livraria Mundo Espírita. Disse que frequentemente a FEP recebe convites do Poder Público para eventos sociais e visitas, que traduzem o reconhecimento dos investimentos em atividades sociais, uma vez que a Federação é um ótimo parceiro para qualquer instituição e, sobretudo para o próprio setor público. São 20 Uniões Regionais Espíritas, no Estado, que giram em torno do apoio da Direx por serem o braço executivo da FEP nas regiões, legítimas representantes do Conselho Federativo Estadual junto às Casas. Falou que a FEP se sente felicitada, com as ótimas referências ao seu trabalho no Estado e que o apoio às URE e aos Centros prosseguirão.

O Presidente Francisco fez referência ao Conselho Editorial da FEP, que analisa propostas de obras que com frequência chegam à Federativa. Noticiou que este deverá ser um ano de bons resultados, pródigo mesmo, contando com três futuros novos livros de Haroldo Dutra Dias: Parábolas de Jesus, Texto e Contexto e Tradução das Cartas de Paulo e do Apocalipse sob a Visão Espírita; novo livro de Suely Caldas Schubert a respeito da Mediunidade de Divaldo Franco; um segundo livro de Alberto Almeida e mais dois livros novos de autoria de Sandra Borba Pereira.

José Virgílio Góes, Diretor de Unificação e assistente da presidência da FEP, falou sobre o espírito de Unificação plena que a 15ª URE, anfitriã, demonstrou, em função da acolhida magnífica aos companheiros. Ressaltou que a união não se impõe, ela é consentida e principalmente vivida por aqueles que sabem superar as diferenças em favor do conjunto. Enalteceu os trabalhos da 12ª e 15ª Uniões Regionais, mencionando que a ambiência espiritual, naquele momento, fazia divisar a presença de espíritos bondosos, trabalhadores da Causa no mundo espiritual, e que ali se encontravam para a verdadeira festa de trabalho, união e integração total, que é o espírito das Inter-Regionais.

Palavra franqueada aos participantes

Antonia Bilinski, presidente do Centro Espírita Amor e Caridade, relatou que a Casa se confunde com a 15a URE, eis que lá funciona a sede da URE; falou da alegria de receber os amigos da FEP, agradeceu pela realização da XIII Conferência Estadual Espírita. Disse que o que viu na XIII CEE foi uma organização espetacular e extraordinária. O carinho de todos, o serviço de refeições, os serviços de limpeza, tudo perfeito, destacando a maneira atenciosa e carinhosa com que a Diretoria recebeu todos os integrantes de União da Vitória e de outros locais, qualidade essa que só poderia vir mesmo da FEP. Destacou o conhecimento compartilhado com as URE e as Casas Espíritas; o apoio da FEP sentido em todos os eventos, atividades doutrinarias, sociais, livraria espírita, com a excelente qualidade dos livros comercializados pela FEP. Disse que o Centro atua quase exclusivamente com os produtos FEP, Informou que no ano passado houve investimentos importantes da região, na divulgação do livro: feiras de livros espíritas em Cruz Machado, Paula Freitas e Bituruna. Em Paula Freitas, haverá nova feira, em maio próximo, depois, mais uma vez nas três cidades já mencionadas. Concluiu sua fala referindo-se à Ação Social da URE, ao grande trabalho que está em curso na cidade de Cruz Machado. Antônio se despediu, destacando o carinho com que as Casas do interior recebem as equipes itinerantes, além apoio incondicional da FEP em todas ações que contemplam o engrandecimento do Movimento Espírita.

Janina, diretora do DIJ da 15a URE, com sede em União da Vitória, relatou que, apesar dos oito anos de sub-URE, não havia trabalho com a infância.

Há muito por se fazer, a partir da instalação da 15a, mas destacou que contam como apoio irrestrito da FEP, que se tem materializado de todas as formas, com o apoio, com capacitação e, sobretudo com as reuniões trimestrais das quais as URE participam em Curitiba. Nada obstante as dificuldades do deslocamento são muito importantes os encontros, as orientações, os subsídios para prosseguir com trabalho e bom ânimo. Reconhece o apoio do presidente da 15ª URE, Marcelo Scaramela, acompanhando, estimulando e motivando todos no trabalho da 15ª URE. Enfatizou ainda que as Casas da região são visitadas no mínimo duas vezes por ano. Relatou encontro realizado na área de evangelização no SAPSE, acolhido pela cidade de Cruz Machado. Janina finalizou a sua fala destacando que “a Casa Espírita é uma célula, uma casa ajudando a outra, uma influenciando a outra, assim como a FEP, através das UREs. Somos todos um movimento único, o que é percebido amplamente na política de atuação doutrinária e administrativa da FEP, o que tem dado muito apoio, muita força e muito ânimo para continuar o trabalho.

O presidente Francisco, aproveitando os momentos finais da reunião, questionou fraternalmente por que alguns Centros não colocaram ainda em suas estantes exclusivamente os livros da livraria da FEP. Disse não entender o fato de uma grande instituição espírita que além de ocupar um imóvel de propriedade da FEP e de ter recebido muito apoio da FEP em diversos eventos seus, havia enviado pedido para a área comercial da Federação propondo um desconto de 40%, ao invés dos 35% que são oferecidos na venda de livros para revenda no Centro, alegando que se não conseguisse os 5% a mais de descontos, passaria a comprar em editoras que dão 40% de desconto. Francisco citou o fato lamentando a atitude de alguns espíritas, ainda mais quando utilizando um próprio que está registrado em nome da FEP e tendo recebido vários apoios institucionais e inclusive financeiros em eventos passados, agem dessa forma egoística e despropositada, esquecendo que todo lucro alcançado pela Editora e Distribuidora FEP é revertido em ações doutrinárias em favor do movimento espírita, sem distinção de Centros. Lamentou tal acontecimento, principalmente por parte daqueles que nenhum compromisso tem com o Movimento de Unificação, submetendo-se a caprichos e contrariedades pessoais que absolutamente não constroem, pois o recurso que seria destinado às instituições espíritas, por conta de atitudes assim, fica na conta de editoras particulares, que objetivam exclusivamente o lucro.

Tatyanna Braga de Moras, diretora do DIJ-FEP, referiu-se ao Encontro Estadual de Juventudes Espíritas no Recanto Lins de Vasconcellos. Foi a estreia do Centro de Treinamentos, mesmo não concluído. Foram três dias de muita reflexão. Chegaram até ela relatos das URE de que os jovens retornaram encantados não só pela beleza natural, mas pelas reflexões realizadas. Ao todo, 110 jovens estiveram reunidos nesse encontro especial.

Danilo Luz, chamado por Francisco para relatar o que constatou na reunião de avaliação feita pelos jovens da 7ª URE, afirmou que os jovens da região de Maringá apresentaram relatos emocionantes a respeito do ambiente e do encontro, indescritível na expressão de todos os presentes à reunião. Os jovens reconheceram que o local é mesmo algo que suscita emoções que não tinham experimentado até então, e principalmente as reflexões que foram convidados a fazer. Disseram que nunca tinham sido tratados daquela maneira, que nunca tinham experimentado tanta alegria e emoção, e na hora dos depoimentos na reunião de avaliação, vários não conseguiram encerrar suas falas porque chegaram às lágrimas, o que é maravilhoso e fantástico, disse Danilo. Disse que estão de parabéns a Diretoria e a Coordenação do DIJ da FEP, pela realização de evento tão marcante para a juventude espírita do Estado.

Domingo, entre 9h30 e 13h.

Como de hábito, todos os participantes, além dos trabalhadores do evento e da equipe da FEP, dividem-se em setores.

Antes, contudo, da divisão, o presidente da FEP apresentou uma série de advertências de Allan Kardec e do Benfeitor Bezerra de Menezes a respeito da Unificação no Movimento Espírita, dentre as quais destacamos:

Há necessidade de um esforço coletivo, conforme pondera Allan Kardec ao traçar o Projeto 1868, quando adianta, de início, que “Um dos maiores obstáculos, capaz de retardar a propagação da Doutrina Espírita, seria a falta de UNIDADE”.

“O Espiritismo, que apenas acaba de nascer, ainda é diversamente apreciado e muito pouco compreendido em sua essência, por grande número de adeptos, de modo a oferecer um laço forte que prenda entre si os membros do que se possa chamar uma Associação, ou Sociedade. Impossível é que semelhante laço exista, a não ser entre os que lhe percebem o objetivo moral, o compreendem e o aplicam a si mesmos.” (O Livro dos Médiuns, item 334 – Allan Kardec)

Concluída a fala breve, todavia profunda, de Francisco Ferraz, os 94 participantes foram divididos em 8 grupos. (Destacamos que este ano houve um incremento de 25% na quantidade de participantes em relação a 2010).

Estudo da Doutrina Espírita com Marcelo Garcia e Márcio da Cruz, acolhendo 23 pessoas.

Administrativa e Institucional na responsabilidade de Francisco Ferraz e Luiz Henrique, com 8 pessoas.

Comunicação Social com Maria Helena Marcon e Mari Ishiyama, tendo 5 participantes.

Serviço de Promoção Social Espírita com Ilírio Kessler e Marco Negrão, recebendo 9 participantes.

Estudo da Mediunidade sob a coordenação de César Kloss e Danilo Luz, com 29 participantes.

Unificação e Expansão com José Virgílio Góes e Daniel Dallagnol, com 3 pessoas.

Infância e Juventude com Tatyanna Moraes e Elisabeth Choinski, com 10 pessoas.

Atendimento Espiritual com Maria da Graça e Valdecir Rozetti, com 7 pessoas.

Depois dos trabalhos em grupo, todos se reuniram no auditório para as breves considerações finais.

O Presidente destacou o empenho dos trabalhadores da 12ª Região, ora capitaneados pelo Presidente da URE Ivan Dutra Filho, que acordaram e levantaram às 04h30 da manhã e não mediram esforços para estar juntos dos demais companheiros da URE 15ª e Diretoria da FEP no domingo pela manhã. Disse que se sentia profundamente emocionado e que fez questão, por imperativo de consciência e dever inalienável do cargo, de esperar lá fora, na rua, a chegada dos integrantes da caravana da 12ª URE, de Guarapuava, e teve a alegria de abraçar um por um. Manifestou ainda que seu gesto era um dever de reconhecimento por tanto esforço dos companheiros espíritas daquela região e pelo excelente trabalho que vem sendo desenvolvido pelo confrade Ivan Dutra Filho e seus pares à frente da 12ª URE, e que a FEP está e estará sempre à disposição desses empenhados trabalhadores.

A seguir, destacou o excelente atendimento, fraternidade e qualidade impecável do trabalho na organização da reunião, pelos integrantes da 15ª URE de União da Vitória, que, além do carinho usual, desta feita fizeram algo surpreendente, o que demonstra a intensa dedicação e empenho, pois os integrantes da 15ª URE fizeram, nas semanas que antecedeu ao evento, um movimento de arrecadação de doações financeiras na cidade e promoveram, sem custos para a FEP, um jantar maravilhoso oferecido a todos os presentes na noite de sábado e um café não menos maravilhoso de recepção aos participantes, no domingo. Tal atitude, no dizer do Presidente da FEP, é um exemplo digno de nota e profundamente comovedor, de embargar a voz, o que nos faz sentir que podemos tornar o nosso trabalho no bem, leve, alegre, absolutamente fraterno, sem dissensões e muito mais valioso quando fazemos o trabalho de integração, os encontros dos espíritas, com intenso amor e desprendimento, acima de qualquer interesse pessoal.

Após o encerramento das atividades, todos almoçaram juntos, em clima de intensa alegria.

Foi tudo isso o que se viu e que se viveu em União da Vitória, destacando-se, por óbvio, em ambiente tão acolhedor e de profundas alegrias e reflexões, a presença dos bons Espíritos, notadamente daqueles que trabalham incansavelmente pelo movimento espírita da região e do Estado.

Sem dúvida, a Inter-Regional Centro de 2011 já tem o seu registro na história do movimento espírita paranaense, como uma verdadeira festa espiritual de almas afinadas num único objetivo, de continuarmos servindo a Jesus de Nazaré, através das páginas vivas e vividas do Consolador.

Assine a versão impressa
Leia também