Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Sugestão de Leitura Envie para um amigo Imprimir

Ilumina-te

dezembro/2013 - Por Marco Antonio Negrão

Iluminar-se é acender a claridade do discernimento na mente e do amor no sentimento.

O extraordinário orador, médium e educador Divaldo Pereira Franco psicografou esta incrível obra da veneranda Joanna de Ângelis, publicada pela InterVidas.

O silêncio interior, a busca da iluminação, as lutas abençoadas, os lazeres e divertimentos, os sentimentos perversos, as enfermidades da alma, a renúncia, a serenidade, o perdão, os relacionamentos, a mediunidade, o dever: tudo isto e muito mais se encontra nos trinta capítulos cativantes e objetivos, acompanhados de quatrocentas e cinquenta notas explicativas e índice geral, com mais de oitocentas entradas.

Com a experiência de quem, há séculos, já se iluminou pelo Cristo, Joanna de Ângelis conduz o leitor a profundas reflexões sobre diversos temas da vida, tanto das nossas relações íntimas quanto com aqueles que nos cercam.

No prefácio, com o título Ilumina-te, ela nos fala da irradiação mental que, sustentada pelo pensamento e vontade, é o reflexo do nosso mundo íntimo, com as nossas conquistas e dificuldades que ainda temos, na profundeza dos nossos seres imortais.

O livro, conforme a autora espiritual, compõe a trilogia com os anteriormente editados Entrega-te a Deus e Liberta-te do mal.  Foram escritos, ao longo de três anos, abordando temas conflitivos da atualidade e oferecendo a fórmula eficaz para a sua vivência dignificante, haurida no Evangelho de Jesus.

Só por essa introdução, vale a leitura da obra pois, além de elucidar com seu vasto conhecimento e iluminação, nos ensinamentos de Jesus, contribui para auxiliar a quem a consulte nestes dias de tormento que precedem a era nova.

O livro tem uma característica importante pois, para determinadas palavras que não são do uso comum, para alguns de nós, há uma explicação, o que ajuda a compreender melhor a mensagem.

Para aguçarmos o desejo dos nossos leitores a se decidirem pela leitura, destacamos:

capítulo 7 – Assim Passa – a argumentação de Joanna nos leva a reflexões sobre nossas convicções alinhadas com as leis da vida, orientados pelos ensinamentos de Jesus; que cada fase da nossa jornada terrena tem uma razão de ser pois a morte nos alcançará a todos e o patrimônio que levaremos, para o outro lado, para o mundo espiritual, são as nossas ações.

Com habilidade e verbo fácil, escreve: Se logras alcançar a longevidade, aplica quanto armazenaste em conhecimentos e vivências edificantes, de modo que os teus sejam dias de harmonia e de ação direcionados para a plenitude;

No capítulo 17 – A Bênção do Perdão – Joanna disserta, de maneira sublime, sobre as consequências de não se perdoar. Utiliza-se do conceito tão bem discorrido na pergunta 88 de O Livro dos Espíritos, quando Allan Kardec indaga ao Espírito de Verdade – Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade como a entendia Jesus? E, a resposta dos imortais: Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas. Joanna tece comentários sobre o que leva o homem a ter dificuldades em perdoar, ligado ao seu estágio evolutivo.

Declara: A primeira técnica para a dádiva do perdão é fazer-se silêncio ante a acusação, não vitalizando o mal de que se reveste. No algodão do silêncio morrem as agressões ou tem diminuídos o impacto e a ira do agressor.

O inimigo é alguém infeliz, que se sente desamparado, que conserva inteira a criança maltratada, fugindo sempre para a agressividade, a fim de esconder a sua insegurança.

E adiante: Por tua vez, também carregas muitas imperfeições morais que vens superando pouco a pouco, naturalmente contando também com a bondade dos outros que te facultam a oportunidade de errar e corrigir-te, de cair e reerguer-te, de aprender desprendimento pessoal e solidariedade.

E assim nos demais capítulos, as lições são sublimes, os temas, atualíssimos: Lazeres e Divertimentos; Dignidade Moral; Tua Contribuição; Anencefalia; Relacionamentos Afetivos; Consciência e Dever, dentre tantos outros.

E, porque Joanna de Ângelis menciona como fazendo parte da trilogia – Entrega-te a Deus e Liberta-te do mal, passamos rápidas observações sobre cada um deles.

Entrega-te a Deus enfoca perguntas eternas, problemas atuais, os desafios vindouros, que são abordados e elucidados com maestria, demonstrando a direção segura que conduz à iluminação interior.

Compreenda como ir além da crença, da transitoriedade, para encontrar a sabedoria, a eternidade. O caminho está posto, a vida está a clamar: Entrega-te a Deus.

Em Liberta-te do Mal, a benfeitora discorre a respeito das questões relacionadas às problemáticas sociais e existenciais, apresentando reflexões acerca do comportamento do indivíduo enquanto ser social e espiritual em constante transformação.

Assine a versão impressa
Leia também