Jornal Mundo Espírita

Dezembro de 2019 Número 1625 Ano 87

II Encontro de Multiplicadores

novembro/2009

Na introdução do Livro dos Espíritos, Kardec afirma que “o estudo de uma doutrina, qual a Doutrina Espírita, que nos lança de súbito numa ordem de coisas tão nova quão grande, só pode ser feito com utilidade por homens sérios, perseverantes, livres de prevenções e animados de firme e sincera vontade de chegar a um resultado.” (LE, introdução, VIII) Afirma, ainda no mesmo texto, que o estudo sério é caracterizado pela “continuidade que se lhe dá”.

Com base nesses princípios, mencionados por Kardec, a Federação Espírita do Paraná, por meio de sua Coordenadoria de Estudos da Doutrina Espírita, fez promover, em 25 de julho, o II Encontro de Multiplicadores, tendo como objetivo divulgar e capacitar cooperadores para a divulgação dessa Doutrina.

A necessidade de se capacitarem promotores do ensino de uma doutrina, tal qual essa iniciativa adotada pela FEP, foi bem apreendida por Rubem Alves, para quem não basta o indivíduo ser professor para bem educar. Para que se proponha ao ensino, o indivíduo deve ser educador, pois enquanto ser professor é uma questão de profissão, ser educador depende de vocação. (ALVES, Rubem. Conversas com que gosta de ensinar. Campinas/SP: Papirus Editora. 2000)

Sendo assim, ainda que não exista um curso de formação de professores do Espiritismo, as iniciativas de reforçar a vocação do estudioso da Doutrina são sempre positivas.

Repetindo as palavras de Rubem Alves, não se faz necessário preparar o educador, “é necessário acordá-lo”, …“basta que os chamemos do seu sono, por um ato de amor e coragem”.(idem)

E foi essa a tônica do II Encontro de Multiplicadores: animar a vocação dos multiplicadores que, por sua vez, e em suas regiões, devem animar a vocação dos educadores da Doutrina Espírita.

Sob o comando da coordenadora da CEDE, Shou Wen Allegretti, os trabalhos se iniciaram pela manhã, estendendo-se até o final da tarde do mesmo dia.

O método utilizado pode ser descrito na seguinte maneira: a) os presentes trouxeram para a assembléia as dificuldades acerca da divulgação do estudo da Doutrina Espírita que colheram em suas regiões; b) comentadas essas dificuldades, foram elas divididas em grandes grupos e devidamente catalogadas; c) com o conhecimento prévio das mesmas, a assembléia foi dividida em diversos grupos de integrantes, tendo cada qual um facilitador dos trabalhos; d) os grupos passaram a discutir as dificuldades, tentando encontrar soluções para as mesmas; e) voltando ao plenário, os grupos expuseram suas conclusões, tendo sido coletadas as sugestões para que se possa ter melhor aplicação nos grupos de  Estudo da Doutrina Espírita.

A parte da tarde do Encontro foi reservada para dois seminários:

a) Refletindo em torno do estudo no Centro Espírita, conduzido pelo confrade Luís Maurício de Resende, componente da equipe da CEDE e presidente da União Regional Espírita 2ª Região;

b) Conhecer para Enfrentar-se – Conhecimento e estudo, onde aplicar?, apresentado por Ubiratan Cesar Archetti, também integrante da equipe da CEDE e presidente da União Regional Espírita 14ª Região.

Com esse II Encontro, a FEP cumpre mais uma etapa da administração de seu Presidente, o confrade Francisco Ferraz Batista, buscando levar a todos os cantos do Paraná essa especial atividade da Doutrina Espírita, que é o seu estudo.

Assine a versão impressa
Leia também