Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

História do Espiritismo em Ponta Grossa

Ponta Grossa – 1908

abril/2011

Desembarca na Estação da Estrada de Ferro, vindo do Rio de Janeiro, um jovem idealista, literato, interessado na defesa das causas sociais, adepto e divulgador dos princípios básicos da Doutrina Espírita, que aproveitava os espaços do jornal “O Progresso”, hoje Diário dos Campos, para em seus artigos difundir os preceitos espíritas. Hugo Mendes de Borja Reis, precursor do Espiritismo em Ponta Grossa. Conforme pesquisa do historiador e espírita Flamarion Laba da Costa, em sua dissertação de mestrado, não foi encontrada nenhuma informação sobre adeptos do Espiritismo anterior à chegada de Hugo Reis a Ponta Grossa.

A partir de 1909, Hugo Reis utilizou-se desses jornais para noticiar e propagar as atividades espíritas da cidade, divulgando os acontecimentos ocorridos na Federação Espírita do Paraná. EssSs notícias foram intensificadas a partir de 1912, com a fundação do Grupo Espírita Francisco de Assis.

1911 – A mesma estação ferroviária recebe um grupo de militares designados para prestar serviços no Quartel do 13º Regimento de Infantaria, espíritas militantes logo iniciaram o Grupo de Estudos Allan Kardec. Entre eles o Ten. Joaquim Theopombo Godoy de Vasconcelos.

1912 – Membros da comunidade pontagrossense, simpatizantes do Espiritismo e que já se reuniam para aprofundar conhecimentos sobre os preceitos da Doutrina unem-se ao Grupo de Estudos Allan Kardec, formando um único grupo para melhor estudar e propagar o Espiritismo, dando origem ao Grupo Espírita Francisco de Assis, mais tarde Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, tendo como primeiro endereço: Rua Santana, nº 27.

O segundo endereço e primeira sede própria foi a casa da Rua das Flores, mais tarde Rua Professora Judith Silveira.

Nos dias 23, 24 e 25 de dezembro de 1915 realizou-se na cidade o 1º Congresso Espírita Brasileiro, idealizado por Hugo Reis, e o 2º Congresso Espírita Paranaense, nas dependências do Cine Renascença, de propriedade da família Holzmann, com a presença de ilustres autoridades pontagrossense e da comunidade espírita de diversas regiões do Brasil.

Em 1918, por ocasião da avassaladora Gripe Espanhola, que dizimou milhares de pessoas em todo o

mundo, foi possível curar centenas

de pessoas com a distribuição de medicamentos homeopáticos receitados mediunicamente.

Consta que em 1921 o emérito conferencista espírita Manuel Vianna de Carvalho proferiu palestra no Francisco de Assis.

Há registro fotográfico de uma distribuição de presentes de natal a crianças carentes, em 1922, na sede da Rua Professora Judith Silveira.

1932 – O “Francisco de Assis” passa a contar com um colaborador extremamente dedicado à causa do bem e do amor ao próximo, que dinamiza sua estrutura no campo assistencial e doutrinário, como também, com o auxílio da comunidade, edifica o atual prédio sede da Sociedade. Álvaro Holzmann, que deixou um acervo de trabalho edificante na Seara do Senhor.

A inauguração da sede atual à Rua Santos Dumont, 646, ocorreu em 7 de fevereiro de 1942, como resultado do trabalho incansável e persistente do presidente Álvaro Holzmann, um baluarte na difusão e divulgação da Causa Espírita em Ponta Grossa, exemplo vivo da aplicação dos preceitos do Evangelho de Jesus.

A esse tempo, outras Casas Espíritas foram sendo fundadas, na cidade que crescia, visando atender aos moradores de diversos bairros e vilas.

1948 – É criada a União da

Mocidade Espírita Cristã – UMEC, no dia 28 de março, tendo como primeiro presidente o Senhor Victor Ribas Carneiro. O grupo de jovens, muitos deles com família consti-tuída, contribuiu muito nas áreas doutrinária, assistencial e de divulgação do Espiritismo, fundando em 3 de outubro do mesmo ano o Jornal Voz da Espirituali-dade, mensário que circulou até meados dos anos 1960. Instituiu a partir de maio de 1954 o programa radiofônico Samaritanos no Ar.

A UMEC contou em seu início com o entusiasmo

e dinamismo de jovens como: Lycurgo Negrão, Ricardo Engel, Guaracy Paraná Vieira, João Haddad, os irmãos Waldemar e Daily Luiz Wambier, Gustavo Biscaia, Lauro Divardim, Omar Leite Gondin, João Batista Muzzollon, entre tantos outros, bem como o incentivo de alguns veteranos como Joanino Sabatela, Fidélis Alves, Álvaro e Ruy Holzmann.

Conforme relato do Sr. Álvaro Holzmann publicado na Voz da Espiritualidade, edição de janeiro de 1956, o Francisco de Assis foi pioneiro em diversas atividades nas áreas social e de saúde, como distribuição de cestas básicas no Natal, campanhas de arrecadação de gêneros alimentícios, movimentos femininos pró-infância, tuberculosos e leprosos.

A primeira Campanha de Alfabetização de Adultos de que se tem notícia no Brasil, foi iniciativa da SEFAN, que contou com vários professores voluntários, destacando Dona Balbina Branco e o Sr. Flávio Carvalho Guimarães, que ensinava nosso idioma a inúmeros alunos.

1954 – Numa noite muito fria do mês de abril, acompanhando comitiva da Federação Espírita do Paraná, chegou a Ponta Grossa, para proferir palestra, um jovem baiano de 26 anos que muito contribuiu para o desenvolvimento

das atividades espíritas na região. Divaldo Pereira Franco, depois que pisou o solo princesino, além de incentivar a criação de várias frentes de trabalho, conquistou os pontagrossenses e criou um vínculo tão forte com a cidade que desde então, por 57 anos consecutivos, nos traz o calor de sua presença, a luz dos ensinamentos do Mestre Jesus. Em 1977 recebeu o título de Cidadão Pontagrossense das mãos do Prefeito Luiz Carlos Zuk.

Desde então várias entidades espíritas se instalaram na cidade: Organização Espírita Cristã “Irmã Scheilla”, Mansão Bezerra de Menezes, Recanto de Nazaré, mais tarde Casa Transitória Fabiana de Jesus, Guarda Mirim (Instituto Educacional Duque de Caxias).

1965 – INAUGURAÇÃO DO EDIFÍCIO HUGO REIS – anexo da SEFAN, com salas para Reuniões Mediúnicas e Associação Protetora do Recém-Nascido.

1965 – INSTALAÇÃO DAS UNIÕES REGIONAIS ESPÍRITAS – organismos regionais representativos da Federação Espírita do Paraná, formados por Centros Espíritas de determinada região do Estado, ligadas pelo ideal da difusão doutrinária.

O dia 13 de março de 1965 marcou a instalação da União Regional Espírita Campos Gerais, URE – 2ª Região, que passou a dar assistência e orientação aos Centros Espíritas da Região dos Campos Gerais e teve como primeiro Presidente Guaracy Paraná Vieira, indicado pela Presidência da Federação Espírita do Paraná. Atualmente, a URE atende mais de 40 Casas Espíritas em 18 municípios, representando a Federação Espírita do Paraná.

Desde sua fundação, a SEFAN tem desenvolvido inúmeras atividades na área assistencial e doutrinária. Consta que na época das guerras foi o arrimo de muitas famílias tanto atendendo necessidades materiais como de saúde. À época, através de seu Dispensário Homeopático, hoje extinto, distribuía esses medicamentos prescritos através de receituário mediúnico, uma vez que o número de médicos era escasso e havia falta e dificuldade em conseguir os alopáticos, além de não haver sistema público de saúde. Distribuía também alimentos que eram arrecadados junto à comunidade.

Outra atividade, igualmente extinta, foi o Lar de Meninas Hercília de Vasconcellos, mais tarde Creche. O imóvel destinado a essa finalidade é hoje utilizado pela Prefeitura Municipal, mediante locação para o Centro Municipal de Educação Infantil do mesmo nome.

Também desativados o Albergue Noturno “Álvaro Holzmann”, uma vez que as atividades ali desenvolvidas, por força de legislação federal, são de atribuição do Poder Público, bem como os Grupos de Costura que perderam sua finalidade.

Em plena atividade o Lar das Vovozinhas Balbina Branco, que abriga 50 idosas, em sua grande maioria carentes e abandonadas pelos familiares, e a Associação Protetora do Recém Nascido que desde 1939 atende gestantes com distribuição de enxovais e orientações.

Ao longo de sua história, nas instalações da SEFAN se realizaram inúmeros eventos: Congressos, Confraternizações, Seminários, Palestras, com a participação de renomados oradores espíritas de diversas regiões do Brasil, entre eles Vianna de Carvalho, João Leão Pitta, Jacob Holzmann Neto, Newton Boechat, José Raul Teixeira, Antonio César Perri de Carvalho, Deolindo Amorim, José Jorge, Jorge Andréa, Geraldo e Ana Guimarães, Francisco Thiesen.

Atualmente a Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados desenvolve as seguintes ativi-dades doutrinárias:

11 grupos de estudos;

7 grupos de palestras públicas com passes e atendimento fraterno;

28 grupos mediúnicos;

Mocidade Espírita;

Evangelização Infanto-Juvenil;

Palestra dominical;

Livraria Espírita “A Educadora”;

Biblioteca Esp. “Francisco Cândido Xavier”.

Nestes CEM ANOS, dedicados companheiros de ideal deixaram sua contribuição valiosa para o desenvolvimento das atividades espíritas em Ponta Grossa, ocupando ou não cargos na diretoria das instituições.

Muitos dos trabalhadores da SEFAN migraram para outras Casas, para outras Cidades e Estados.

Muitos espíritas vieram de outras localidades e se integraram às atividades do Francisco de Assis.

A homenagem aos precursores do movimento espírita em Ponta Grossa e região, a partir dos fundadores do Grupo de Estudos Allan Kardec, fazemos nominando aqueles que têm dirigido os destinos da Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, desde 02 de fevereiro de 1911 (ver rodapé).

————

Divaldo Franco esteve na noite de 17 de março de 2011 em Ponta Grossa. O evento marcou o Centenário do Espiritismo em Ponta Grossa. Várias autoridades do Movimento Espírita local e da Diretoria Executiva da Federação Espírita do Paraná compuseram a mesa diretiva. Leia mais na página 22.

—————

Presidentes da Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados:

1. João Felipe Alves de Oliveira – 1912 – 1916/1917 – 1926/1928

2. Ten. Joaquim Theopombo Godoy Vasconcellos – 1913

3. Alberto Lopes – 1913 (sem foto)

4. Napoleão Dias Ayres -1913/1915 – 1919/1920 – 1923/1924 – 1932/1934

5. Marcolino Monteiro – 1915 – 1934/1935

6. Amantino Veiga – 1917

7. João Gonçalves Pereira – 1918

8. Joanino Sabatella – 1921/1923 – 1925

9. Paschoalino Provisiero – 1928/1932

10. Ruy Holzmann – 1936/1937

11. Plínio Schleder de Araújo – 1938

12. Henrique de Mattos Guedes – 1938/1939

13. Álvaro Holzmann – 1939/1959

14. Vicente Barbur – 1960/1972

15. Rubens Pedro Diogo Galera – 1976/1977

16. Arnaldo Schasiepen – 1972/1975 – 1978/1997

17. José Antonio Santos Araújo – 2001/2003 – 2004/2006

18. Vicente Coney Campiteli – 1998/2000 – 2007/2009 – 2010/2012

Assine a versão impressa
Leia também