Jornal Mundo Espírita

Agosto de 2019 Número 1621 Ano 87

Haroldo Dutra Dias no Paraná…

Porque temos saudades de Jesus!

junho/2011

O final do mês de maio marcou o 9º mês desde que recebemos Haroldo Dutra Dias pela primeira vez no Paraná, o que se deu em agosto de 2010, em União da Vitória, Rio Negro, Ponta Grossa e Curitiba.

Além da primeira vez, ele esteve conosco durante a XIII Conferência Estadual Espírita, em março de 2011.

E cada vez que ele abre a boca para se apresentar, é uma emoção diferente, indescritível, uma espécie de conexão com as esferas do Cristo.

A sua, é uma fala profunda, permeada pela amorosidade, pela humildade, característica daqueles que são portadores das verdades de Jesus na Terra.

Às vezes, parece até paradoxal termos entre nós alguém com tanto conhecimento e ao mesmo tempo com tanta simplicidade, pois um pouco de conhecimento eventualmente nos tem tornado arrogantes, inflexíveis.

Maringá, 21 e 22 de maio.

As suas atividades, desta feita, se iniciaram em Maringá, onde ele falou para cerca de 400 pessoas sobre “As três revelações”, apresentando sua tese a partir de uma parábola dos Evangelhos de Lucas e Mateus:

Outra parábola lhes falou: O Reino dos Céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três satas* de farinha, até estar toda fermentada {a massa}. (Mt. 13:33)

* Sata – Medida hebraica para coisas secas, equivalente ao “modius” romano, segundo Flávio Josefo, o que corresponderia a aproximadamente treze litros.

O mais impressionante é que, diferentemente de todos os intérpretes do mundo, Haroldo enxergou nessa parábola as Três Revelações.

A mulher tem, ali, o seu significado especial, segundo as tradições hebraicas.

A massa é o pão espiritual que Deus oferece à criatura humana.

Cada medida de fermento é uma das Revelações: Moisés, Jesus e o Espiritismo, que completam as medidas necessárias para que compreendamos esse pão espiritual que é a Lei de Deus, a Lei Divina ou Natural.

No sábado, pela manhã, com o auditório principal lotado, além do miniauditório, durante 4 horas pudemos navegar no universo das cartas de Paulo, como se fôssemos transportados à sua época, vivenciando as suas experiências, os seus dramas, as suas conquistas e a sua integração ao psiquismo do Cristo.

Não é possível a compreensão das epístolas paulinas se não tivermos a chave da obra do Espírito Emmanuel, sobretudo o livro “Paulo e Estêvão”.

Entre sábado e domingo, mais de 600 pessoas estiveram presentes na AMEM – Associação Espírita de Maringá, nos eventos que encerraram a VI Jornada Espírita da 7ª URE.

Vale destacar o empenho dos confrades Lannes e Ivone Csucsuly, Danilo e Vânia da Luz, que nos receberam com muito carinho e nos deram toda a assistência para que as tarefas se realizassem.

Maringá também foi o palco do lançamento mundial do livro “Parábolas de Jesus – texto e contexto” e do site www.parabolasdejesus.com.br.

 

Londrina, 3 de maio.

Com aquele entusiasmo que caracteriza os nossos irmãos Luiz Cláudio de Assis e Paulo Fernando, presidente da URE Metropolitana de Londrina e secretário inter-regional Norte, respectivamente, fomos recebidos, Haroldo Dutra Dias e a equipe da FEP, sob a responsabilidade do presidente Francisco Ferraz Batista, presente desde as primeiras horas, na sexta-feira, quando, em Maringá, fez palestra sobre o tema “O Espiritismo como Revelação”, durante a já mencionada VI Jornada Espírita. Foi nesse clima de muita expectativa, com direito ao coral do C. E. Nosso Lar, anfitrião do evento, que Haroldo foi recebido e durante cerca de uma hora fez mais de 300 pessoas navegarem pelas águas das parábolas de Jesus, enfatizando o conteúdo dessa obra que é lançada em parceria com a Editora da Federação Espírita do Paraná.

Alguns comentários sobre o livro Parábolas de Jesus, que foram destacados durante a palestra de Haroldo:

Jesus falava, predominantemente, através de parábolas.

O vocábulo grego “parabolé” deriva do verbo “paraballein” (colocar ao lado de; comparar), razão pela qual significa literalmente “palavra colocada ao lado de”. O sentido comum é de uma “justaposição, comparação, analogia, ilustração”.

Até agora, a nossa cultura concebia como parábola as comparações, as analogias.

No entanto, o mashal hebraico e o mathla aramaico designam, mesmo no judaísmo pós-bíblico, toda sorte de linguagem figurada: Parábola, alegoria, fábula, provérbio, revelação apocalíptica, dito enigmático, figura de ficção, piada, etc.

Observemos um exemplo disso:

“Disse (Jesus) a eles: Sem dúvida, me direis esta parábola: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’; todas as coisas que ouvimos ter ocorrido em Cafarnaum, faze também aqui, na tua pátria”. (Lc. 4:23).

Mais da metade dos Evangelhos é constituída de parábolas. Cerca de 52% de todos os textos.

Essa obra fascinante não é um manual de técnicas para interpretação das Parábolas. É, antes de tudo, um mergulho no universo de Jesus, onde o autor, que fala com a legitimidade de quem se tornou uma grande autoridade na interpretação dos textos bíblicos no meio espírita, além de ter recebido reconhecimento da comunidade rabínica de Israel, procura desenvolver algumas sensibilidades mínimas e indispensáveis no leitor.

Os primeiros capítulos nos farão transcender a condição humana e enxergar a vida e a religiosidade através de uma perspectiva grandiosa. Exercitaremos a habilidade para entender a linguagem usada por Jesus e conheceremos as armadilhas deste mundo, de modo que não se repitam os mesmos erros e vícios de interpretação até agora cometidos ao longo da História.

Texto e contexto (o que está por baixo de sua superfície), também são enfocados. Quantas mensagens subliminares exigem atenção do leitor, sem que isso esteja explícito?!

Outra descoberta não menos importante: Os evangelistas usavam modelos da tradição hebraica. Esses modelos são os gêneros literários. Muito do conteúdo de um texto está relacionado e limitado pelo gênero em que foi escrito. Os Testamentos estão cheios de poesia.

Jesus também falou em linguagem poética, além da linguagem por parábolas.

“A parábola provoca um sentimento e quer que você viva uma experiência. É nesse mar da linguagem figurada que o leitor irá navegar.” (Haroldo Dutra Dias)

No último capítulo da obra, toda a caixa de ferramentas será aberta e todas as sensibilidades serão aguçadas. Experimentaremos todas as cores, aromas e sabores de uma das mais famosas parábolas do Evangelho, a do Bom Samaritano.

Para a palestra, Haroldo utilizou outra parábola, a do Semeador.

 

Campo Mourão, 24 de maio.

“Kardec e os testemunhos do verdadeiro espírita cristão”. Esse foi o tema de Haroldo, que conseguiu demonstrar ao público (cerca de 320 pessoas) a inteligência e a amorosidade do Codificador do Espiritismo, que é um Espírito temperado ao longo dos milênios, em importantes reencarnações. É ele um dos missionários diretos do Cristo, responsável por organizar a terceira medida de fermento e completar a obra do pão espiritual sobre a Terra, resgatando Jesus, exaltando a obra mosaica e unificando as três revelações da Lei de Deus.

Depois da palestra, o confrade Edemilson, presidente da 9ª URE, bem como toda a dedicada equipe de trabalho, além de colaborar no êxito do evento, nos permitiram compartilhar de momentos ricos de fraternidade e alegria, em um jantar especial para Haroldo Dutra Dias.

 

Toledo, 25 de maio.

Surpreendente o trabalho do confrade Ademir Bebber e da carinhosa equipe da 17ª URE, a mais nova de todas, com André, Juliana, Letícia e Gerte, entre outros.

Foram 700 pessoas ao Teatro Municipal de Toledo e uma abordagem fascinante de Haroldo a respeito das parábolas de Jesus – texto e contexto. Os participantes viajaram pelo mundo da simbologia da linguagem utilizada por Jesus e puderam constatar, com efeito, a fala do benfeitor Emmanuel: “As parábolas são como sementes divinas que desabrochariam, mais tarde, em árvores de misericórdia e de sabedoria para a Humanidade” (O Consolador, Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, questão 290)

Vale lembrar que os Evangelhos possuem 3.778 versículos, sendo que em 52% deles Jesus utiliza a linguagem figurada. Os demais são narrativos.

 

Ponta Grossa, 27 de maio.

EFAN – Sociedade Espírita Francisco de Assis, num evento que fez parte do Centenário do Espiritismo em Ponta Grossa, cidade que trouxe notáveis contribuições para o enobrecimento do Movimento Espírita do Paraná.

Ali, procurando homenagear alguns desses personagens, o incansável presidente da FEP, Francisco Ferraz Batista, sempre presente, fez menção ao confrade Guaracy Paraná Vieira (1918-1991), bem como ao maestro Álvaro Holzmann (1906-1968), ambos grandes líderes da região.

Haroldo coroou esse momento com a sua fala singela e ao mesmo tempo profunda, comovedora, que toca as fibras mais íntimas do coração daqueles que têm sede de Jesus.

Mais uma vez, ele aproveitou o ensejo para falar das parábolas, através dos “Gêneros literários do Novo Testamento”, demonstrando a existência de padrões previamente estabelecidos pela cultura hebraica, através da Bíblia Hebraica, que comporta algumas outras contribuições anteriores a Jesus, além da Torá (revelação, ensino manifestado na oralidade).

Assim, mais uma vez, como se seguíssemos um curso, mais uma pedaço desse extraordinário universo do Cristo foi desvendado, aprofundado pelo notável intérprete que é Haroldo.

Depois da palestra, a equipe da Direx/FEP foi conhecer a sala da 2ª URE, junto com o palestrante, e lá saboreou um jantar preparado pela equipe da URE, sob a coordenação da presidente Iara Garbuio de Freitas, sempre presente e extremamente dedicada ao seu trabalho de união dos espíritas locais.

 

Curitiba, 26 de maio.

Centro Espírita Paz, Amor e Caridade foi o cenário do sexto evento com Haroldo.

Vocês se recordam do “pão espiritual?” Pois bem, é aquela massa levedada pelas três medidas de fermento da mulher da parábola. É a Lei Divina, a verdade, trazida através das 3 grandes revelações.

Com o seu verbo carinhoso, com a sua fala amorosa, o amigo mineiro sensibilizou o coração das quase 200 pessoas que superlotaram as dependências do CEPAC, no Bairro Vila Hauer.

A equipe do Jornal Mundo Espírita registra, aqui, toda a dedicação do confrade Gerson Sokoloski, presidente da Casa e da URE Leste, que acolheu o público com todo o carinho que lhe é peculiar.

 

Curitiba, 28 de maio.

Foi um dia bastante intenso de atividades.

Logo pela manhã, Haroldo fez uma reunião especial com alguns confrades locais, empresários da região de Curitiba, apresentando-lhes algumas idéias a respeito das demandas do Movimento Espírita, da necessidade de unirmos nossos talentos, como se cada qual possuísse uma peça de um imenso quebra-cabeça.

Assim, enquanto alguns produzem seus conteúdos, outros ajuntam recursos, outros também têm capacidade de unir, de integrar, e vamos colando essas peças e fortalecendo nossa comunidade espírita, recordando o texto publicado pelo grande benfeitor da FEP, ex-presidente Lins de Vasconcellos, em 9 de julho de 1949, quando tratava da necessidade imperiosa de estabelecermos, no Brasil, a Comunidade Espírita Mundial.

À tarde, 14h30, aguardava-nos uma boa surpresa: A Casa Espírita Eurípedes Barsanulfo, presidida pela irmã Maria Helena Marchiori, recebeu com muito entusiasmo, atitude de cristãos decididos mesmo, toda equipe que acompanhava Haroldo e que ia aumentando a cada dia, contando, agora, com Luís Eugênio Martins e Gesiane Martins, além de sua família; dos amigos que vieram de Belo Horizonte, Sheila e Sergio Lavarini, Julio Adriano, Téo Cabral e Thiago Franklin (vejam o site www.portalser.org).

Ali, procurando traçar a trajetória de Jesus e o compromisso, bem como o sofrimento de sua mãe, Maria, Haroldo arrancou lágrimas das 180 pessoas presentes, estabelecendo um clima espiritual difícil de descrever.

Nas próprias palavras dele, parecia que o Reino dos Céus havia “descido” até ali, porque quando o amor está em nós, é Deus que se manifesta.

Por aí entendemos o que dizia Chico Xavier: “A maternidade é um segredo entre a mulher e Deus”.

À noite, a partir das 20 horas, no teatro da FEP lotado e com parte do auditório da Sede Histórica parcialmente tomado, perfazendo um total de mais de 550 pessoas, Haroldo fez um resumo do brilhante seminário apresentado em Maringá, há uma semana, a respeito das “Cartas de Paulo”. Em Maringá, esse evento durou 4 horas e em Curitiba uma hora e meia. Portanto, um grande desafio compactar essa obra riquíssima do apóstolo da gentilidade, talvez, a mais importante personalidade do Cristianismo nascente, depois de Jesus.

Como disse o palestrante, é provável que Paulo tenha escrito cerca de 100 epístolas (cartas). Todavia, menos de 15 foram incorporadas ao Novo Testamento. A boa notícia é que essas 15 são o resumo de todo o seu pensamento, que, em realidade, reflete o pensamento do Cristo, conforme está exarado no livro “Paulo e Estêvão”, de Emmanuel, por Chico Xavier.

 

Curitiba, 29 de maio

Mais de 850 pessoas, além daquelas que não puderam se acomodar nas dependências da Federação Espírita do Paraná, ficaram absolutamente deslumbradas com a capacidade intelectual e com a amorosidade através da qual se comunica Haroldo Dutra Dias, das 9 horas da manhã até meio-dia e meia.

Falar de Jesus com essa profundidade é estabelecer conexões com as esferas mais altas da espiritualidade.

O tema: O Apocalipse e as descobertas dos novos códigos de interpretação.

Passeando pelos conceitos fundamentais do Espiritismo, chave única para a interpretação plena da mensagem contida na obra do evangelista João, escrita na ilha de Patmos, Grécia, o conferencista chegaria aos códigos de interpretação mais atuais para o Apocalipse, escrito, fundamentalmente, em uma linguagem simbólica, dentro de uma perspectiva hebraica. Assim, não é com a lógica ocidental que compreenderemos esse mundo. Antes, todavia, com um olhar intuitivo, com o sentimento, com as sensibilidades despertadas.

O mais impressionante é que Haroldo não é um mero reprodutor de conhecimentos, não! Ele é um gerador, uma fonte de conhecimentos, um revelador. Depois de anos de reflexão, concluiu que todos os eventos, consoante o pensamento do Espírito Arago, presente na Codificação kardequiana, são marcados por tempos. Tudo acontece dentro de uma harmonia perfeita, seguindo ciclos perfeitos, coordenados pelas potências divinas.

Quem é Jesus nesse processo todo?

Qual o papel da Providência Divina? Para que servem as profecias?

O que significa o “juízo final”?

Sem o entendimento do Espiritismo, impossível uma interpretação lógica destes assuntos.

Haroldo é o primeiro estudioso a decifrar as “7 shabuas” (períodos de sete) do Apocalipse e a demonstrar o funcionamento desse relógio divino.

Distanciado dos profetas do caos, dos arautos da desgraça e das catástrofes, no momento em que nos aproximamos da meia-noite “cósmica”, a sua fala é a de quem enxerga as manhãs de esperança cantando das glórias da vida para aqueles que, desde já, fizerem a opção pelo Bem, pelo belo, pelo harmonioso… através da mensagem poética e convidativa do Cristo.

 

Matéria da jornalista Fernanda Borges, de Londrina

“O Evangelho é o código moral que prevalece no infinito.” Haroldo Dutra Dias

A palestra realizada ontem no Centro Espírita Nosso Lar, de Londrina, foi muito boa. Eu particularmente ainda não conhecia o jurista mineiro Haroldo Dutra Dias mas tive a oportunidade de escutá-lo e presenciar as palavras de um homem extremamente culto e do bem, falando para um público grandioso. O evento foi promovido pela Federação Espírita do Paraná (FEP) por meio da 18ª União Regional Espírita.

Baseado no seu livro “Parábolas de Jesus – texto e contexto”, Haroldo abordou alguns aspectos relacionados às mensagens deixadas por Cristo, mas principalmente, salientou a importância de conhecermos e sabermos compreender os ditos Testamentos.

Não é de hoje que o livro mais vendido no mundo conta com inúmeras contestações, polêmicas, acaba se tornando alvo de fanatismo e até mesmo daqueles que o usam para pregar o próprio ateísmo. Assim como Haroldo deixou claro em suas explanações, a Bíblia precisa ser lida e estudada sempre baseada no seu contexto histórico, temporal e principalmente, linguístico.

Aqueles que leem a Bíblia esperando por milagres ou até mesmo a interpretam tendo como base a fé cega podem estar fadados a uma grande frustração. O livro sagrado tem um porque de existir e atravessou as marcas do tempo para poder estar aqui entre nós hoje para que seja dele extraído o seu melhor.

Foi com o objetivo de levar o maior esclarecimento sobre a Bíblia que o palestrante propõe uma leitura mais técnica dos 72 livros reunidos nesse tão famoso periódico do bem. Haroldo lembra que as nossas perspectivas de vida variam de acordo com a maneira que nós as observamos e explica a importância de enxergarmos Jesus Cristo como um ser cósmico, universal, imortal. Ele transcende o tempo e por isso precisamos lembrar do esforço que precisou fazer para nos ensinar o bê-á-bá do bem da maneira mais simples possível para que nós – seres ainda muito ignorantes naquele tempo (há 2 mil anos) – pudéssemos compreendê-lo. E foi por meio das parábolas que Ele viu a oportunidade de nos ensinar o quão é importante vivermos o amor, ainda que para cada um de nós, mesmo nesse tempo, seja absurdamente difícil compreender a grandiosidade dessa palavra.

“A tarefa do autoaperfeiçoamento é individual”, nos lembrou Haroldo, nos remetendo às pesquisas em que cientistas já estimam que, só na nossa Via Láctea, possam existir cerca de 100 bilhões de sóis que alimentam planetas como a Terra e tantos outros. Ou seja… nós somos apenas um mísero pedaço do universo em busca da evolução. E essa procura pelo crescimento deve ser já.

Quem tiver interesse em adquirir o livro do estudioso e até mesmo interagir com ele por meio da Internet, pode acessar o site www.parabolasdejesus.com.br

 

Alguns depoimentos da comunidade do FACEBOOK

Foi muito elucidativa sua palestra e seminário em Maringá. Espero poder vê-lo em breve novamente. As fotos do evento em Maringá estão no blog da juventude: www.mocidadeamem.com.br (Rafael Dib, juventude de Maringá)

Parabéns FEP e obrigada por nos proporcionar belos e enriquecedores momentos com nosso querido Haroldo!!! (Darck Della Santa, Curitiba)

Espero que as palavras sábias e profundas do Haroldo possam nos estimular durante toda a nossa vida!! Obrigada por tão profundas reflexões… Que possamos a partir desta reflexão na perfeição divina, nos estimular diariamente a sermos parte da sua obra, em atos, pensamentos e ações… (Laylla Coelho, Ponta Grossa)

Maravilhoso! Já estamos com saudades. Faltam-nos palavras para expressar nossa gratidão. Todos nós fomos tocados pelos sentimentos mais nobres, pela esperança, movendo-nos a ser melhores. Que saudades de Jesus! Haroldo!! Traz outra vez Jesus mais perto de nós. (Marli Sokoloski, Curitiba)

Segunda em Londrina – Por ser o lançamento do livro a palestra foi boa; sexta em Ponta Grossa – parecia que seria igual a Londrina, mas foi ótima; sábado na FEP – apesar do pouco tempo e de ter resumido o seminário de Maringá, foi excelente; domingo de Manhã FEP, aí sim, o Haroldo foi excepcional. (Paulo Fernando, Londrina)

Amigos espíritas do Paraná, não deixem de ir alimentar seus espíritos através das palavras do querido e tão instruído Haroldo Dias!!! Que bênção! Aproveitem!!! Gostaria de saber se será disponibilizado vídeo das apresentações dele aí. Abraço fraterno com carinho a todos da FEP! (Sandra Mussi, do Canadá, presidente da Federação Espírita do Canadá)

 A palestra de hoje com Haroldo Dutra Dias foi muito esclarecedora e confortante! Um obrigado a todos que puderam compartilhar os momentos de paz e descontração nesta noite no feparana Fep !! (Valeria Zavadzki, Curitiba)

Estamos todos muito gratos e profundamente envolvidos pelo carinho e dedicação de Haroldo pelo ideal cristão-espírita. Suas palavras ainda ecoam em todos nós que tivemos a oportunidade de assisti-lo. Nossos votos de que continue a espalhar tamanho conhecimento e amor aos demais amigos do Paraná e do país. (Cristiane Sato, Maringá)

Esse mineiro já conquistou o coração do povo paranaense. Não participei de todos os eventos, mas onde estive foi um sucesso. Parabéns e obrigado à FEP e ao Haroldo! (Edemilson Siqueira, presidente de URE, Campo Mourão)

Assine a versão impressa
Leia também