Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2021 Número 1647 Ano 89

Francisco Cândido Xavier no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria

outubro/2021

Em 6 de setembro de 2021, pela Lei nº 14.201, foi inscrito o nome de Francisco Cândido Xavier, no Livro de Aço, que preserva os nomes de figuras que marcaram a História do Brasil e que se encontra, no Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

Francisco Cândido Xavier, conhecido como Chico Xavier foi médium espírita, deixando mais de 400 livros psicografados.

Desencarnou a 30 de junho de 2002, por volta das 19h30, em Uberaba, em meio às vibrações de alegria do povo brasileiro, pela conquista de mais um troféu mundial de futebol, como se o Plano Espiritual Superior quisera, propositadamente, diluir as repercussões que a partida do médium, por certo, viria causar em todos os segmentos da nossa sociedade.

À medida que a notícia da desencarnação se espalhava pela cidade, centenas de pessoas se dirigiam para a casa do médium, de onde saiu o corpo, por volta das 23h, para ser velado no Grupo Espírita da Prece, ali permanecendo por quase 48 horas, para receber as homenagens derradeiras do povo que ele tanto amou.

Filas quilométricas de pessoas, de todas as idades, sem distinção de raça e de condição social, professando diferentes credos religiosos, se formaram, numa espantosa demonstração de solidariedade e indisfarçado reconhecimento pelo grande obreiro que partia para o Além. Foi decretado luto oficial de três dias, no Estado de Minas Gerais.

Às 17h do dia 2 de julho, conduzidos pela viatura do Corpo de Bombeiros, os restos mortais do médium deixaram o Grupo Espírita da Prece, acompanhados por uma multidão incalculável, que seguia a pé e em silêncio, em direção ao Cemitério de São João Batista, em Uberaba, sem falar no sem-número de criaturas que, espremidas, se dispunham de ambos os lados das ruas, por onde passava o cortejo. Em várias ocasiões, pétalas de rosas em grande profusão derramavam-se sobre o cortejo, lançadas por um helicóptero da Polícia Militar de Minas Gerais.

Assine a versão impressa
Leia também