Jornal Mundo Espírita

Agosto de 2019 Número 1621 Ano 87
Trabalhadores do Bem Envie para um amigo Imprimir

Flávio Ferreira da Luz

agosto/2017 - Por Mary Ishiyama

A Federação Espírita do Paraná – FEP completa 115 anos de existência, de trabalho perseverante na divulgação do Espiritismo, em 24 de agosto de 2017.

Com bases sólidas, se utiliza de várias formas de divulgação, como a Livraria Mundo Espírita, oferecendo livros, CDs e DVDs; a Biblioteca Espírita Virtual de obras raras; a Sede Histórica, com programação especial de Visitas guiadas, recebendo, no último domingo do mês, o público interessado na História do Espiritismo e na atuação da Federativa, através de painéis e fotografias.

Realiza, em seu amplo teatro, palestras aos domingos, pela manhã; conta com o programa radiofônico Momento Espírita, há 25 anos levando aos ouvintes mensagens de consolo e esclarecimento pelas emissoras espalhadas pelo Brasil; oferta o seu Portal,  com o site Momento Espírita,  Jornal Mundo Espírita, em suas versões online e digital; da conferência e, naturalmente, a própria Conferência Estadual Espírita, que se prepara para a sua vigésima edição, em 2018.

Esse é apenas um breve panorama para agradecermos a homens e mulheres que, através de suas iniciativas, vivências e, muitas vezes, sofrimento, fizeram a Federação que temos hoje.

Entre esses abnegados trabalhadores da primeira hora temos Flávio Ferreira da Luz, nascido em Curitiba, Paraná, em 18 de agosto de 1887. Formou-se em direito no Rio de Janeiro, casou-se com Sarah Lopes, com quem teve cinco filhos.

Foi um homem que viveu o que pregava. Juntamente com outros trabalhadores da Federativa, influenciou uma geração, perdurando seus atos no tempo.

Profissionalmente, Flávio sucedeu seu pai como titular do Cartório de Registro de Imóveis do 1º Distrito da Capital. Era um homem culto, inteligente, adiante de sua época. Foi pioneiro da radiofonia no Paraná e um dos fundadores da Rádio Clube Paranaense.

No ano de 1912, os médicos Victor Ferreira do Amaral e Silva e Nilo Cairo da Silva, contando com o apoio dos juristas João Pamphilo de Assumpção, Euclides Bevilacqua e Hugo Gutierrez Simas e mais alguns professores, entre eles Flávio Ferreira da Luz, lideravam um grupo com a finalidade de criar a Universidade Federal do Paraná.

Segundo Nilo Cairo,  que era concunhado de Flávio: Um de nós levantou a ideia de darmos, nesse caso, ao nosso futuro instituto o nome de “Universidade do Paraná”. O nome nos assustou; havia ahi a vertigem do abysmo – era o universo!1

Graças a esses homens temos a Universidade Federal do Paraná. Homens de brio e coragem.

Flávio, mais de uma vez provou sua coragem. No ano de 1925, o Conselho da FEP tomou conhecimento de que havia um projeto de Lei a ser votado na Assembleia Legislativa do Estado para a criação de dois bispados, um em Ponta Grossa e outro em Jacarezinho, com doação de uma gleba de centenas de alqueires de terras pertencentes ao patrimônio estadual.

Flávio era Secretário Geral da Federação e Lins de Vasconcellos o presidente. Ambos, contando com o apoio do Conselho Federativo, enviaram um telegrama de protesto ao presidente da República,  atitude que lhes custou sérias perseguições por parte do governo do Estado.

Eram serventuários da justiça e foram privados de seus cargos. Mais tarde, tal ato foi reparado. Flávio retomou as atividades, mas Lins abriu mão, inclusive da reparação econômica que teria direito, em favor dos cofres públicos.

Nas muitas atividades exercidas por Flávio na FEP, ocupou a presidência em 1917, em 1918 a 1921 e 1927.

Participou da 1ª Comissão Organizadora do Hospital Espírita, atual Hospital Espírita de Psiquiatria Bom Retiro, dirigiu o setor de publicidade da Federação, foi tesoureiro, compôs o Triunvirato, foi diretor da Revista de Espiritualismo que, com sua inteligência e conhecimento doutrinário, contribuiu de forma ímpar na divulgação doutrinária.

Companheiro inseparável das atividades espíritas de Arthur Lins de Vasconcellos, esteve ao seu lado até o ano de 1930. Em 1936, em reconhecimento por mais de 20 anos de trabalho valoroso prestado à FEP, foi incluído no quadro de benfeitores e eleito Membro Honorário do Conselho.

Em 20 de março de 1954, com a tarefa realizada, Flávio Ferreira da Luz retornou à Pátria Espiritual, deixando uma grande contribuição para todos nós, espíritas, que nos beneficiamos da Doutrina e desta digna Federativa.

Neste mês, parabenizamos a FEP pelos seus 115 anos e a Flávio, pelos 130 anos de nascimento.

 

Bibliografia:

  1. https://sites.google.com/site/exatas100/acervo/historico/rumos_pesquisa_dados
    Universidade Federal do Paraná. Pró-Reitoria de Pesquisas e Pós-Graduação. Rumos da pesquisa: uma história da Pesquisa e Pós-Graduação na UFPR. Curitiba: UFPR, 1998. 163 p.
  2. http://www.feparana.com.br/topico/?topico=2087
  3. http://www.ctaflavioluz.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=9
Assine a versão impressa
Leia também