Jornal Mundo Espírita

Janeiro de 2020 Número 1626 Ano 87

Federação Espírita do Paraná – 110 anos – a comemoração

setembro/2012 - Por Maria Helena Marcon.

O Recanto Lins de Vasconcellos, situado no município de Balsa Nova, recebeu no dia 25 de agosto de 2012, cerca de trezentos convidados para as festividades dos 110 anos da Federação Espírita do Paraná – FEP, entre diretores de departamentos e das Unidades Sociais Integradas, assessores, coordenadores, membros do Conselho Federativo Estadual – CFE, presidentes das Uniões Regionais Espíritas – UREs, presidentes das Casas Espíritas da Inter-Regional Leste, ex-conselheiros, ex-presidentes da FEP e das UREs, seus familiares e funcionários.

Os convites foram pessoais e a tônica foi de alegria, desde a recepção, realizada por voluntários e funcionários da Federativa. A Presidência da FEP optou pelas comemorações um dia após o da fundação da Instituição, a fim de possibilitar a ampla participação de todos os conselheiros e presidentes das UREs, presentes na Capital, desde a tarde desse dia, para a terceira reunião anual ordinária do CFE.

Luiz Henrique da Silva, à tribuna, deu as boas-vindas, saudando as autoridades presentes e, em seu breve, mas emocionado pronunciamento, lembrou daquele domingo, 24 de agosto de 1902, quando se reuniram na Rua América, n. 9, homens idealistas, para fundar uma entidade que congregasse os ideais da Doutrina nascente.  Doutrina que rompia com o medo da morte, pois a morte não existe! Uma Doutrina de consolo, de esperança, de esclarecimento. Uma doutrina de paz, de fraternidade, de caridade para com nossas imperfeições, mas nem por isso condescendente com os erros. Esses abnegados irmãos que foram os fundadores desta nossa federativa lançaram as sementes para o futuro e estamos hoje colhendo os frutos dessa semeadura.

Quanto trabalho, quanto esforço, quanta dedicação, quanto idealismo, quanto amor ao próximo!

Recordou dos tantos Espíritos dedicados que passaram pela FEP e lhe ditaram os rumos que a fazem respeitada, até os dias atuais.

E saudou os companheiros das primeiras horas como Sebastião Paraná, Domingos Duarte Velloso, João Pedro Schleder, Augusto Correia Pinto, Benedito Vianna, Jesuino da Silva Pereira Ribas, João Urbano de Assis Rocha, Manoel Pacheco de Carvalho, José Lopes Neto, Teodorico Lassala Freire, João Álvaro de Aguiar, Antonio Guiss, Felix Fernandes Alves e Alfredo Alves da Silva, juntamente com os Grupos Espíritas Allan Kardec e Luz nas Trevas, de Antonina e a Revista A Doutrina, redacionada  por Vicente Nascimento Junior e todos os companheiros que os sucederam.

Recordou do benfeitor Lins de Vasconcellos e dos servidores do Movimento Espírita do Paraná, especialmente  Divaldo Pereira Franco e José Raul Teixeira, ausentes por motivos de agenda e saúde, respectivamente, e que deveriam, nessa oportunidade, receber placas de homenagem, especialmente confeccionadas para a ocasião.

O vídeo institucional dos 110 anos resumiu, em breves dez minutos, o trabalho que ultrapassou um século de bênçãos.

Enrique Baldovino, espírita vinculado ao Movimento Espírita da cidade de Foz do Iguaçu, pianista formado pela Escola Superior de Comunicação Social da Universidade Nacional de La Plata, Argentina, com Mestrado, foi quem ainda mais abrilhantou a noite, com  execuções primorosas ao piano.

Mas não se limitou a ser o pianista. Lembrou do que ocorreu na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, a 8 de abril de 1859, quando, na presença de numerosos conhecedores da música, a Srta. de Davans, aluna de Chopin e distinta pianista, executou uma música que Mozart compusera quando encarnado e, em seguida, interpretou Fragmento de uma Sonata, ditada pelo Espírito Mozart ao excelente médium Bryon Dorgeval. Todos foram unânimes em reconhecer não apenas a perfeita identidade do gênero, senão também a superioridade da composição espírita – lembrou Enrique, que disse ainda que também um trecho musical de Chopin foi executado pela mesma pianista.

E, antes de sentar-se ao piano, concluiu: Quando recebemos o gentil convite do Presidente da Federação Espírita do Paraná, nosso estimado irmão Luiz Henrique da Silva, em nome da Diretoria Executiva da FEP, a fim de tocarmos essas músicas históricas, nas comemorações dos 110 anos da veneranda Federação, todas essas lembranças comovedoras vieram à nossa mente. Interpretar ao piano a Wolfgang A. Mozart (1756-1791) e a Frédéric Chopin (1810-1849), causou-nos realmente uma grande emoção e uma elevada honra, ainda mais na merecida festa da nossa Casa Máter, mais do que centenária.

  Então, neste dia de festa espiritual dos 110 anos da FEP, vamos interpretar ao piano, como naquele dia distante da Sociedade de Paris, primeiramente, uma música de Mozart encarnado (como não sabemos qual obra foi executada, interpretaremos um Minueto de sua autoria), em ritmo moderato, que é o mesmo andamento musical do histórico e raro Fragmento de uma Sonata, do Espírito Mozart, que tocaremos logo após, fragmento que tentaram silenciar há 150 anos [Auto de fé de Barcelona de 9.10.1861], e depois executaremos um trecho musical de Chopin, como também aconteceu naquele dia histórico ante o emérito Codificador Allan Kardec.

O público se postou em pé, por três vezes, a fim de aplaudir às interpretações musicais, que se alongaram por mais de hora, em que foram ainda apresentadas peças de Beethoven, Bach e Brahms, sempre entremeadas de informações históricas e citações doutrinárias.

Finalizou Enrique com uma homenagem à esposa Regina, a quem tributou gratidão pelo companheirismo, permitindo-lhe tantas realizações nos campos da música e da Doutrina Espírita, ele que é ainda tradutor de obras espíritas do francês ao espanhol, tradutor e revisor de livros do português ao espanhol.

Encerrando as festividades, foi lançado o Livro dos 110 anos da Federação Espírita do Paraná e o cd Momento Espírita, volume 22, com que foram brindados os convidados que se detiveram no hall de entrada do Auditório do Centro de Treinamento do Recanto Lins, em conversas amigas, abraços, cumprimentos, enquanto se serviam do coquetel oferecido por três empresas parceiras da Federativa.

Parabéns à FEP! Que ela se mantenha no bom trabalho, disseminando as luzes da Doutrina Espírita.

Assine a versão impressa
Leia também